“Eu não me preocupo com a inteligência artificial, o que me apavora de verdade é a burrice natural.”

Eu estava com essa frase guardada há meses, pensando no que eu poderia escrever para aproveitá-la. Cheguei à conclusão de que não precisava escrever mais nada, ela dá o recado completo.

2 thoughts on ““Eu não me preocupo com a inteligência artificial, o que me apavora de verdade é a burrice natural.”

  1. Que poder de síntese! Nunca pensei que Dom Arthur seria capaz de uma proeza destas (ainda mais depois de ler sobre os trolls). Muito bom o insight. Acho que desta vez o comentário tem que ser maior que o post. Então vou acrescentar: a IA não nos preocupa porque na pior das hipóteses se pode puxar a tomada, e a BN é apavorante porque já está no pacote de DNA e só é percebida quando o indivíduo já cresceu, foi contratado, é seu chefe, se elegeu… coisas assim!

    1. Romacof, confesso que não fui original desta vez. Essa é uma daquelas frases recorrentes que surgem inúmeras vezes em diversas versões apenas ligeiramente diferentes ao longo dos anos. Eu já conhecia a idéia desde pelo menos 1988, quando comecei a cursar computação na UFRGS. Esta versão eu catei em algum blog por aí – acho que no do Dr. Plausível, não lembro… Mas que eu já havia dito o mesmo de diversos modos semelhantes, isso tinha. 🙂

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: