Pergunta feita em uma comunidade do Orkut: “Vocês acham que a era Orkut está acabando?” Eu fiquei um bom tempo relembrando minha experiência no Orkut antes de responder, mas meu diagnóstico é contundente: a era Orkut já acabou faz tempo. Salvo algum espetacular e imprevisível movimento para reverter o evidente declínio da outrora rede social preferida de nove em cada dez internautas brasileiros, o já decadente Orkut deve prosseguir em sua agonia.

O Orkut foi criado em 2004. Eu resisti o quanto pude a criar um perfil no Orkut, porque eu via a febre a meu redor e sabia que se criasse um perfil acabaria me tornando “orkutmaníaco”. Não deu outra: criei meu perfil em 2005 e logo minha previsão se tornou realidade. Cheguei a passar mais de 14h/dia debatendo e moderando comunidades no Orkut. Assisti toda ascenção e queda do império orkutiano.

Na minha sempre nada modesta opinião, a era Orkut acabou faz muito tempo, muito antes de inventarem porcarias como “Fazenda Feliz” e “Novo Orkut”. A inclusão de mais de 600 aplicativose a remodelagem visual foram duas tentativas de salvar o site da evidente decadência causada por uma série de impressionante de mancadas gerenciais e do total descaso para com as solicitações dos usuários.

As falhas de segurança

O Orkut provavelmente começou a se tornar decadente quando a paranóia estadunidense por privacidade começou a se refletir na estrutura do site, com a introdução das configurações de privacidade. Até então, o site era de uma simplicidade bastante razoável e bastante agradável de navegar. A partir dali, o número de falhas de segurança, a quantidade de furos de programação e o descaso da Equipe Orkut com os usuários só cresceram.

Os famigerados cadeados foram quebrados mais de uma vez. (Otários) Pessoas que confiaram na segurança do Orkut e colocaram nos álbuns fotos que deveriam permanecer privadas viram suas fotos circularem em sites do estilo “caiu na rede”. Até hoje existem sites com fotos do tipo “gostosa deu bobeira no Orkut” que foram copiadas devido às falhas de segurança dos cadeados que deveriam garantir a privacidade do usuário.

Embora já acontecessem roubos de dados antes da era das novas configurações de privacidade, a partir de então perfis e comunidades passaram a ser invadidos e roubados com freqüência assombrosa, chegando ao ponto de ter havido comunidades que congregavam todos os perfis roubados por um determinado golpe. Quando resolveram liberar o uso de HTML nos recados e nas comunidades, os ladrões de comunidades fizeram a festa.

Ao invés de facilitar a vida dos usuários roubados, a Equipe Orkut passou a tirar o corpo fora da responsabilidade de garantir a segurança do usuário e exigir dados que nenhum usuário costuma guardar para atender às solicitações. Por exemplo, quem tivesse o perfil roubado teria que saber a UID do perfil e a última data de acesso. Como ninguém guarda o número da própria UID, que é um dado totalmente desnecessário para a navegação no site, isso gerou impunidade e facilitou a vida dos ladrões de perfis e comunidades.

O desprezo pelo bom usuário

Enquanto as falhas de segurança atormentavam os bons usuários, que reclamavam e pediam o reforço da segurança digital e a inclusão de facilidades e ferramentas específicas para melhorar o site, a Equipe Orkut ignorava solenemente as críticas e sugestões, inseria inúmeros aplicativos que pioravam a segurança, escondia o formulário de contato em menus cada vez mais obscuros e mudava as regras segundo critérios tão absurdos quanto indecifráveis.

A inversão de valores no trato com o usuário se tornou tão gritante que perfis pessoais que nunca causaram dano ou incômodo para quem quer que seja foram deletados porque a Equipe Orkut acolhe denúncias de “fotos impróprias” (Óh! Céus! Uma foto de uma mãe amamentando seu bebê! Um seio exposto é pornografia!), enquanto perfis falsos, sem qualquer identificação, que se reúnem em comunidades explicitamente dedicadas à trollagem, foram mantidos porque a Equipe Orkut lhes dá aval para tornar a vida alheia um inferno:

Olá, Arthur “Dogbert”,

Obrigado pela denúncia de abuso no orkut em “aaaa-mm-dd”.

Com base na nossa verificação e considerando os termos de serviço do orkut, concluímos que esse conteúdo não viola nenhuma política no orkut.

Conclusão óbvia e necessária: a Equipe Orkut não está mais preocupada com a experiência do usuário, apenas com a imposição de seus próprios parâmetros.

A involução dos Termos de Uso

Duvido que muita gente tenha acompanhado isso com cuidado, mas eu acompanhei a involução dos Termos de Uso do Orkut.

No início de minha participação no Orkut, postar ofensas pessoais ou trollar comunidades era punido com o congelamento da conta: a conta ficava temporariamente bloqueada e com uma imagem de grades sobre a foto do perfil, a então famosa “cadeia do Orkut”.

Aquela foi a era de ouro do Orkut, quando era comum a referência ao slogan “ajude a deixar o Orkut bonito”. Alguém lembra disso? Pois é, o slogan foi abandonado faz tempo. Isso foi um reflexo direto do crescente descaso da Equipe Orkut com a experiência do usuário.

A corroboração de que houve uma drástica mudança de filosofia, de “stay beautiful” para “damn the user”,  ocorreu quando a Equipe Orkut passou a ignorar as denúncias contra trolls que violavam claramente as regras de conduta do site. Havia um item nos Termos de Uso do Orkut sobre “o respeito à experiência do usuário”, mas este item passou a ser abertamente descumprido, as denúncias sobre trollagem ignoradas e finalmente qualquer referência à “experiência do usuário” sumiu dos Termos de Uso.

Hoje os Termos de Uso do Orkut não passam de um amontoado de declarações legais para reduzir a responsabilidade da Google sobre qualquer coisa que possa acontecer devido ao uso do Orkut. Aquele blá-blá-blá de sempre, em que nenhuma garantia é oferecida, muito antes pelo contrário, a responsabilidade é toda sua e qualquer questão legal deve ser decidida exclusivamente no Fórum Inacessível das Luas de Saturno.

Facilitação de abusos devido à paranóia moralista

Além de deletar ou não os perfis segundo parâmetros absurdos e indecifráveis, a Google e a Equipe Orkut instituíram limitações técnicas com base em seus próprios critérios moralistas. A iniciativa rapidamente se mostrou não somente ineficaz como contraproducente, permitindo abusos que seriam facilmente evitáveis se a Google e a Equipe Orkut ouvissem e respeitassem a opinião dos bons usuários.

A paranóia falso-moralista da Equipe Orkut se mostrou perniciosa especialmente em função de ter introduzido limitações técnicas para forçar o usuário a comportar-se somente como ela deseja: palavras como “bunda” e a maioria dos palavrões não aparecem mais nas pesquisas. O resultado é que antes eu fazia uma pesquisa com essas palavras em comunidades sérias como a comunidade “Naturismo: Filosofia e Prática” e conseguia expulsar todos os perfis inadequados em poucos minutos, mas agora eles transitam impunemente por semanas até que eu consiga detectá-los entre os membros sérios da comunidade.

Para quem acha que esse é um assunto de menor importância, cabe esclarecer: não, não é um assunto de menor importância, é uma imensa violação dos direitos e da privacidade do internauta. Baseado nos mesmos critérios, daqui a pouco a Google pode resolver que ninguém mais deve encontrar termos como “sexualidade”, “desobediência civil”, “ateísmo” ou qualquer tema que eles considerem impróprios. E aí, quem apoiou o banimento de palavrões e de palavras como “bunda”, que moral terá para reclamar quando for a próxima vítima da imposição dos critérios morais alheios? Fascismo no olho do outro é democracia. Só arde quando é no olho da gente.

Site anti-relacionamentos

O usuário que tolerar as falhas de segurança, o desprezo da Equipe Orkut, o retrocesso contínuo dos Termos de Uso e as limitações devidas ao falso moralismo encontrará ainda mais um problema: ao invés de retornar à filosofia de uma plataforma simples e gerenciável, a Equipe Orkut passou a complicar tanto os movimentos dos bons usuários que o Orkut se tornou um site anti-relacionamentos.

Além de não poder mais ver as fotos de praticamente ninguém a que não esteja adicionado, o bom usuário não consegue mandar mensagens para ninguém, pois qualquer coisa cai no filtro anti-spam. Até mesmo uma simples pergunta como “ei, você não é o fulano, que estudou em tal lugar no ano tal?” é jogada na caixa de spam, coisa que normalmente ninguém confere.

Para tentar contornar isso, muita gente tem usado a estratégia de pedir para adicionar para poder fazer uma pergunta – isso quando não é barrado pela opção de só poder fazer o convite caso conheça o e-mail da pessoa convidada.

Quando se consegue solicitar para adicionar, com um pedido padrão ou um texto incrivelmente com ainda menos caracteres que os exíguos 140 permitidos em cada mensagem do microblog Twitter, muita gente não aceita. Entre os que aceitam, muitos se esquecem de deletar o contato. O resultado é que ou as pessoas não conseguem se relacionar ou ficam ligadas a pessoas que não conhecem.

Para piorar um pouco mais, a Equipe Orkut permite o uso de caracteres especiais nos nomes dos perfis, o que faz com que se tornem impossíveis de localizar nas buscas, mesmo que visualmente pareça estar escrito um nome ali. Graças a esta carcaterística, mesmo sabendo o nome completo de seus amigos, pode ser impossível localizá-los.

Incrivelmente, a Equipe Orkut descobriu um modo bem eficiente de impedir que as pessoas conversem, que façam novas amizades ou mesmo que encontrem velhos conhecidos. Tudo exatamente ao contrário do que deveria ser um site de relacionamentos.

Abandono do único ponto forte

O Orkut sempre perdeu para o Facebook em praticidade para informar os amigos sobre novidades, tanto é que o Novo Orkut quando foi lançado não passava da implementação de um arremedo da estrutura do Facebook com a possibilidade de colocar uma cor diferente no fundo do perfil. (Depois mudaram a apresentação das comunidades e inseriram um bug ridículo que mostrava o tempo todo ao usuário as comunidades de onde ele havia sido expulso, mas isso não mudou a essência do site, apenas o tornou um pouco mais irritante.)

O Orkut perde para o Twitter em termos de agilidade e flexibilidade na divulgação de informações, bem como em integração com a blogosfera. O Orkut até poderia tentar competir nesta área, mas isso requereria uma imensa reorganização do serviço.

O Orkut perde para o MySpace em termos de organização de músicas, fotos e vídeos, bem como em integração com a blogosfera. Esta é outra área na qual o Orkut poderia tentar competir, mas em que teria que reorganizar todo o serviço.

A única facilidade em que o Orkut ganha de longe de todos estes concorrentes é a estrutura das comunidades, que por sinal mudou muito pouco desde que foi implementada e talvez por isso tenha se mantido com boa qualidade. Os fóruns do Orkut são simples, intuitivos, fáceis de usar, dinâmicos e com um visual agradável. Eu mesmo uso comunidades fechadas para gerenciar grupos de trabalho no Orkut. Esta é a ferramenta em que o Orkut deveria apostar suas fichas, mas…

A experiência em comunidades de moderadores, em constante contato com a Equipe Orkut, é desanimadora. Parece que, se as sugestões dos moderadores fossem implementadas, o orgulho da Google ficaria ferido por não ter pensado naquilo antes. Portanto, eles fazem o contrário do que pedimos ou simplesmente nos ignoram.

Quando pedimos que fosse implementada uma melhor segurança digital, a Equipe Orkut primeiro habilitou o HTML nos recados e nas comunidades e depois implementou 600 aplicativos, cada um constituindo uma porta por onde poderia entrar um problema de segurança.

Quando pedimos que fossem implementadas diversas ferramentas para moderação de comunidades, a Equipe Orkut ignorou completamente a quase totalidade dos pedidos e implementou ações que atropelam os moderadores, como deletar automaticamente todo o conteúdo postado por um perfil deletado, o que mutila os tópicos, prejudica as comunidades e desrespeita os que ficam. Assim tem sido desde que ingressei no Orkut e não parece que vá mudar muito.

O que sobra?

Perante tamanho descalabro, os bons usuários, aqueles mais interessados em conteúdo do que em birrinhas e futilidades, acabaram em sua maioria se afastando.

Em 2006 eu quase não dava conta de acompanhar os debates de uma comunidade com dois mil membros, mesmo que ficasse14h/dia online. Hoje a mesma comunidade tem o dobro de membros e seria possível acompanhar todos os debates com menos de meia hora de leitura diária, se eu ainda tivesse interesse devido à queda de qualidade dos debates.

Em 2006 eu e mais três moderadores não dávamos conta de moderar os debates de uma comunidade com dez mil membros, mesmo quando eu ficava 14h/dia online. Hoje eu modero sozinho a mesma comunidade, com o triplo de membros, e não preciso mais que meia hora a cada dois ou três dias para acompanhar todos os debates.

Sim, o Orkut ainda tem muitos usuários. A maioria dos perfis, entretanto, são fakes. Muitos usuários possuem diversos perfis, que usam só para fazer zoeira às custas dos outros usuários do site.

Sim, o número de comunidades é assombroso. A maioria delas, entretanto, está parada, sem postagens há anos, e os moderadores já as abandonaram frustrados com a baixa qualidade dos debates.

Sim, é possível bater um papo com um ou outro pelo Google Talk, que nunca decolou porque não chega nem aos pés da interface do MSN.

Sim, muita gente ainda guarda fotos no Orkut e manda recadinhos superficiais para os amigos, devido ao risco de exposição pública.

Qual é então a perspectiva de futuro para o Orkut? Virar um site para combinar baladas, mandar parabéns pelos aniversários dos amigos e brincar com alguns joguinhos? Pode até ser, existe bastante demanda para isso. O problema é que isso inibe fortemente a utilização do site na área de sua melhor funcionalidade, que são os fóruns de debate.

Para mim é um imenso anti-clímax assistir o melhor site de debates temáticos que já conheci ser reduzido a um mero point para o encontro da galera do agito.

[Suspiro de resignação. Muito decepcionado.]

49 thoughts on “Orkut, o fim de uma era

  1. Lucas Belo Horizonte

    10/01/2011 — 13:39

    Parabens pelo artigo arthur.

    Muito bem escrito e articulado.

    Lucas

    1. Obrigado, Lucas.

  2. Ótimo artigo!
    Fiz minha conta de orkut em 2004, nem sabia “wtf” era!
    Realmente depois de quase 6 anos, e de reencontrar amigos, entrar em comunidades e obter conhecimentos e boas discussoes no fórum, tenho q admitir que o orkut acabou.
    É triste, pois marcou a migraçao da internet maximo 600k pra as de 10, 15 mega, que temos hoje!
    Passou de poder ter apenas 10 fotos, pra milhares!
    É nostálgico, mas era de se imaginar. Assim como aconteceu com ICQ por exemplo, tudo chega ao fim!
    Xau orkut! me diverti bastante com vc! E novamente, otimo artigo Arthur

    1. Obrigado, Thomas!

      Sabe, eu continuo no Orkut. Mesmo nesta fase de decadência, ainda há muita gente por lá e é o único site altamente popular que tem uma boa estrutura de fórum. Vou aturando as mancadas do Orkut justamente por ser um de seus pioneiros e olha que eu relutei mais de um ano a aceitar os convites que me faziam…

      Saudade do antigo Orkut, quando ainda era possível obter alguma resposta do suporte e quando as comunidades não estava afundadas na trollagem inconseqüente. Hoje em dia há grupos de trolls especializados em destruir fóruns e o Orkut nem tchuns…

  3. Excelente texto, eu ja abandonei o meu Orkut ha anos, (o perfil ainda existe, mas não entro ha pelo menos 3-4 anos), o Report as Bogus é da epoca que o Orkut não pertencia ao Google, após a aquisição do Orkut pelo Google, o serviço apenas piorou o fórum do Orkut era excelente, porém a arrogancia da equipe do google e o descaso para com os bom usuarios, deixou o serviço assim como está hoje, agoniando, apenas esperando para morrer, enquanto ve os concorrentes correndo na frente.

    1. Ué, o Orkut Buyukkokten não era funcionário da Google quando criou o site de relacionamentos?

    2. Manga-Larga

      15/04/2011 — 17:07

      Não Arthur, o Google tb foi enganado nessa 😉

  4. Arthur, ele era funcionário do Google sim, porém, o Orkut foi criado independente do Google(mais tarde sendo adquirida pelo mesmo, em 2006), portanto, quando você entrou, ele ainda não fazia parte do Google, eu assim como você acompanhei a mesma coisa, entrei no Orkut em 2004 quando ainda só se entrava por convites, e vi tudo o que aconteceu, de bom e ruim dentro da rede, até mesmo quando muitos usuários brasileiros agiram com falta de educação com os estrangeiros que estavam no Orkut(Entrei no Orkut em 2004, na época Brasileiros eram apenas 30% do Orkut), o que fez com que muitos deles deletassem sua conta e ficou como está, hegemonia brasileira, que por incrível que pareça muitos brasileiros reclamam que no Orkut não tem estrangeiros, mas esquecem que foram eles mesmos quem os expulsaram na época invadindo comunidades que eram deles(onde falavam apenas ingles, e não só americanos, mas pessoas de toda parte do mundo) falando portugues, criaram comunidades anti-USA, e quando foi criada uma comunidade anti-Brasil, invadiram a comunidade e postavam ofensas pessoais ao dono da comunidade (ainda acredito que seja possivel buscar rastros disso no Orkut), pra piorar, ainda lembro que espalharam na época que no Orkut se voce mudasse o seu país de origem, o orkut ficaria mais rapido (uma besteira sem tamanho), dai como varias pessoas acreditaram nisso, varios brasileiros “mentiram no perfil” falando que eram de outros países, o que dificultava a busca dos usuarios estrangeiros por pessoas do seu país, como os usuarios que não eram brasileiros foram sufocados dessa maneira, não lhes restou outra maneira, a não ser deixar o Orkut, e hoje vemos a herança do que aconteceu naquela época, lembro de comunidades com o nome “WTF a crazy Brazilian invasion”, “Report as Hateful”(onde postavam comunidades de odio contra países para reportar ao orkut para que a equipe do orkut deletasse a mesma) e a outra comundade (essa existe até hoje se não estou enganado) “The Third World of Orkut” (nessa eles nem aceitam brasileiros, o dono é um cara que protestou muito nessa época contra a falta de educação com comunidades estrangeiras, e teve seu perfil atacado por ofensas pessoais tambem).

    1. Ah, sim, a atitude dos brasileiros foi responsável pela debandada de muita gente do Orkut em outros países. Naquela época ainda não havia moderadores e muito menos se sabia minimamente como moderar, pois era uma época ingênua. O resultado foi a maior queimação de filme do Brasil perante outros povos. E naquela vez a culpa da vergonheira foi do próprio povo brasileiro, não foi culpa do governo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *