Em uma comunidade do Orkut eu li um cara alegar que “acha pouco” as ilegalidades e crimes diversos cometidos por policiais contra supostos bandidos porque ele teve uma arma apontada contra ele uma vez e “nada vai fazer ele esquecer o que sentiu”. Não sei se é pra rir ou pra chorar esse nível de argumentação.

Eu não tive um revólver apontado contra mim uma vez…

Eu tive um revólver apontado para contra mim seis vezes e disparado em duas destas seis vezes. Numa das oportunidades foram três tiros à queima-roupa. Aliás, tão literalmente à queima-roupa que eu ainda tenho o poncho com buracos de bala.

Facas, estiletes, canivetes e estoques foram onze vezes. Num dos casos a faca chegou a deixar um arranhão no meu pescoço. No outro o canivete deixou a marca de uma estocada na minha camisa, no meio da barriga, mas não chegou a me ferir.

Porretes, cassetetes, pedaços de pau e de ferro foram quatro vezes.

Intimidação numérica pela força física pura e simples, duas vezes.

Total: 23 assaltos.

Sofri ainda duas ameaças de morte, dois arrombamentos de residência, dois furtos de veículo, um seqüestro-relâmpago e uma tentativa de envenenamento.

Total: 31 crimes.

Isso sem contar as centenas de calúnias, injúrias e difamações cometidas por criminosos de todos os naipes na internet.

Nem por isso eu me permitiria me rebaixar ao nível dos que fizeram estas coisas.

Nem por isso eu vibraria de felicidade ao receber a notícia da morte de alguém que praticou alguma destas coisas.

E muito menos eu passaria a achar certo comissionar funcionários públicos para praticarem barbaridades semelhantes em nome dos cidadãos honestos.

Não é cometendo mais violência e baixaria que se vai melhorar tornar o mundo mais seguro nem mais agradável.

Simples assim.

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 13/12/2010

Postado Originalmente no Orkut em julho de 2009.

(Ah, sim… Eu já fiz curso de defesa pessoal, identifiquei os fatores de risco e alterei bastante meu comportamento para tentar manter a violência longe. Mesmo assim a contagem já subiu a 33 crimes, incluindo aí mais um furto e outra ameaça de morte. E eu continuo considerando um absurdo que um policial cometa qualquer ilegalidade contra quem quer que seja, não interessa o motivo.)

23 thoughts on “Sofrer violência justifica desejar violência?

  1. Maria Betânia Ferreira

    13/12/2010 — 04:50

    Faz bem ler isto, Arthur. Prova de que dentro de você o brilho de humanidade supera de longe o bruxuleio do medo, essa praga por trás de tanto desvario social.

    1. A mãe do Xiquito! 🙂 Que legal te ver por aqui no meu blog! Muito obrigado pela visita, pelo comentário e pelo elogio, também faz bem ler isto! 🙂 Encontraste o blog pelo Facebook?

  2. Manga-Larga

    13/12/2010 — 12:16

    Pois é Arthur, e o pior é que esses “cidadãos de bem revoltados” não percebem que estão defendendo crimes muito graves, como assassinato e furto, ou acham que tais crimes são merecidos.

    E pra torrar ainda mais a nossa paciência, esses cidadãos de bem, bestializados pela gravidade de suas posições, cercam-se do mais fino moralismo ao defender que os usuários de drogas financiam o crime organizado, e que por isso também merecem morrer ou serem presos.

    E eu já não entendo mais nada, não sei se os trato como cidadãos de bem ou como sádicos contumazes. E eles não se envergonham quando tais contradições são postas à mostra. O senso comum os defende, por isso a lógica é dispensável.

    1. Tenta o seguinte argumento: “Bandido é quem mata, tortura, agride, humilha e viola os direitos de uma pessoa ou a lei. Todo bandido tem uma desculpa para fazer o que faz. O que é mesmo que você propõe fazer com os bandidos? Qual é a sua desculpa?” 😉

  3. Moço, 33? Ou você é um verdadeiro pára-raios (nhé pra nova ortografia!) de gente violenta, ou mudar algumas coisas no comportamento pode ter sido uma ótima ideia! 🙂
    Mas concordo com você em gênero, número e grau: justificar uma violência com outra é coisa meio burra demais pro meu gosto.

    1. É, moça, 33. Sou um assaltado e ameaçado veterano. Minha sorte é ter o melhor anjo da guarda de todo o universo, ou já estaria adubando o solo faz tempo. Mudei muito meu comportamento, ainda que a contragosto. Afinal, não é um absurdo ter que limitar os locais e horários de minhas atividades porque criminosos estão livres e porque o Estado é incompetente para me defender e ainda por cima não permite que eu me defenda por conta própria com os equipamentos necessários para isso? Agindo assim, o Estado dá carta branca ao crime! E não é tão simples assim fazer “nhé” pro Estatuto do Desarmamento do Cidadão Honesto

  4. Tweets that mention Sofrer violência justifica desejar violência? | Pensar Não Dói -- Topsy.com
  5. Eu não tive um revólver apontado contra mim uma vez…

    Eu tive um revólver apontado para contra mim seis vezes e disparado em duas destas seis vezes. Numa das oportunidades foram três tiros à queima-roupa. Aliás, tão literalmente à queima-roupa que eu ainda tenho o poncho com buracos de bala.
    ………..
    Eu considero essa forma de pensar como uma falha da “seleção natural”, ou uma espécie de sadomasoquismo, sério mesmo. “Quer paz prepare-se para a guerra. Sun Tzu”.
    Como a Italia iria vender a Mafia pensando dessa forma? Lembre-se que as escolas já eram do mafiosos, educação não iria adiantar muito.

    1. Que forma de pensar, Leandro? Eu nunca disse que era contrário à legítima defesa. Se és dos leitores antigos da comunidade de Direitos Humanos, deves te lembrar de vários tópicos que eu abri dizendo claramente que todo cidadão honesto deveria ter, portar e saber usar armas de fogo. Aqui mesmo no blog há mais de um artigo em que digo isso, inclusive republicações de tópicos da comunidade de Direitos Humanos.

      Uma coisa é usar de violência em legítima defesa, outra coisa bem diferente é usar de violência como forma de vingança ou de “ação preventiva” contra a própria violência.

      Em pelo menos duas das tentativas de assalto que sofri, os ladrões teriam ficado em bem melhores condições de saúde se eu estivesse com uma arma de fogo em mãos. 😉

  6. Manga-Larga

    13/12/2010 — 20:47

    Ahahahah, agora o Arthur é um falhado!

  7. Não é cometendo mais violência e baixaria que se vai melhorar tornar o mundo mais seguro nem mais agradável.(Arthur)

    Questão de alma,meu amigo.
    Tem gente com uma energia tão pesada que não consegue perceber um palmo diante do nariz.

    Muitos são inofensivos nesse estado de cegueira,mas existem as almas turvas que semeiam a escuridão e a destruição por onde passam.

    Eu te abençoo,meu amigo,que Deus te ilumine e proteja.

    Podes ter certeza que sempre estarei rezando por ti,e nem preciso te conhecer para fazer isso.

    1. E eu te agradeço e rogo que recebas em dobro toda luz que me desejares.

  8. Manga-Larga

    14/12/2010 — 10:01

    Lendro said: “Eu considero essa forma de pensar como uma falha da seleção natural”…

    Arthur, seu falhado!

    1. Ahhhnnn… 😛

  9. Muitos são inofensivos nesse estado de cegueira,mas existem as almas turvas que semeiam a escuridão e a destruição por onde passam.

    Eu te abençoo,meu amigo,que Deus te ilumine e proteja.

    Podes ter certeza que sempre estarei rezando por ti,e nem preciso te conhecer para fazer isso.
    ……..
    Sinceramente qualquer Walter Mercado de esquina fala coisa desse tipo, realmente não me emociono com pregações iluminadas por Ets ou espíritos com lanternas acopladas, mas o Arthur deve ser gente boa mesmo, infelizmente a violência as vezes é a única maneira para se resolver o problema, por mais triste que seja ou não é a verdade. Acabamos de sair da selva lembra?

    1. Olhem só, agora o Leandro me surpreendeu. Pensei que ele tinha a meu respeito uma imagem de “ingênuo insensato irritante que defende idéias irresponsáveis” ou algo assim.

  10. Arthur, o sentimento de querer vingança não é algo natural? A violência também não?
    Não estou te contrariando, apenas não entendo direito como se dá essa sua visão de paz, dado que é um biologo. Espesraria achar tudo uma luta pela sobrevivencia, procriação, poder, etc.

    Outro ponto, impor moral do que é certo e errado não é tanto abuso quanto a idéia de que se deve usar roupas?
    Tenho mesmo essa visão de que ou voltemos a um primitivismo, ou aceitemos que a sociedade é repressão.

    1. Sim, é perfeitamente natural e compreensível o sentimento de desejar vingança. Daí a concretizar a vingança são outros quinhentos.

      Nem tudo que é natural é bom e nem tudo que é artificial é ruim. Temos uma mente criativa e inteligente capaz de analisar o mundo em busca do que é melhor.

      Quanto a “impor moral”, isso é uma discussão bastante profunda e não sei se entendi tua posição. A que te referes?

  11. Manga-Larga

    16/12/2010 — 09:35

    Ora Felipe, a vingança é um sentimento primitivo e animalesco. Para vivermos em sociedade, precisamos nos despir de pelo menos parte desses sentimentos. Ou então a civilização não faria sentido, poderíamos continuar na idade média onde a força era a lei.

    1. Esse nick me deixa curioso… 🙂

  12. Manga-Larga

    23/12/2010 — 10:56

    Meu nick é uma homenagem à Marcha da Maconha, já que todos os anos estou lá, sou um Marchador, porque não?

    1. HAHAHAHAHA!!! Ótima! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *