A importância do contexto

Pessoal, eu estou bem. Não fui mordido por cachorro algum, não fiz cirurgia alguma, não vou precisar de fisioterapia e a suposta necessidade de óculos novos foi apenas uma piada. Todo Mundo foi induzido a erro pelo texto “O Portão” devido às expectativas causadas pelo contexto em que o texto se insere. Ninguém percebeu que o texto era um ensaio e não uma narrativa autobiográfica. Em minha defesa, alego apenas a verdade: tão envolvido estava com a produção do texto, que não percebi o contexto. Esclarecerei. Continue reading “A importância do contexto”

O Portão

Eu cheguei em frente ao portão
Meu cachorro me sorriu latindo
Minhas malas coloquei no chão
Eu voltei!…

Foram 38 pontos no total. A enfermeira disse que, além da fisioterapia, eu vou precisar de óculos novos. Onde raios os Almeida arranjaram um monstro tão parecido com o Rex?

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 27/06/2011

Com “defensores” de Direitos Humanos assim, os violadores fazem a festa

Acabo de passar por um “acidente” que me fez sentir muita dor, talvez um dos três piores episódios de dor da minha vida. Impossibilitado até mesmo de me virar na cama sem ajuda, tudo que eu podia fazer era pensar. Afinal, Pensar Não Dói, felizmente. E não pude deixar de pensar nas vítimas de dores e sofrimentos que não podem contar com ajuda nenhuma porque para elas o mundo é composto apenas por algozes e vítimas, sem nenhuma esperança de ajuda por parte de certos “defensores” dos Direitos Humanos. Continue reading “Com “defensores” de Direitos Humanos assim, os violadores fazem a festa”

O autor do blog tá dodói

Ênfase na segunda sílaba de “dodói”. (Expressão bobinha necessária para montar o trocadilho…) Fui atropelado por um colchão torto. Foi grave o suficiente para me impedir por uma semana de redigir os artigos do blog (raios!) e leve o suficiente para ninguém precisar se preocupar (ufa!).

Já estou medicado, já comprei um colchão novo, minha coluna vertebral agradeceu penhorada e o blog não vai parar. Em breve um artigo sobre as dolorosas conclusões que tirei deste episódio, numa reentrada no melhor estilo “I’ll be back“.

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 20/06/2011

Retrato de um cidadão desarmado

Esse (otário) cidadão agiria assim se pudesse se defender com eficácia?

Esse (otário) cidadão teria sequer a idéia de poder ser preso por receptação em uma situação deste tipo em um país minimamente sério?

E ainda há (otários) cidadãos que defendem o desarmamento do (otário) cidadão honesto!

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 13/06/2011

Semana Internacional da Picaretagem Pseudo-Ambiental

Meus leitores sabem que eu sou biólogo, mestre em ecologia e ecologista de carteirinha desde criança. E sabem que o último domingo foi o “Dia Internacional do Meio Ambiente”. Pois bem, eu não li nada a respeito, não ouvi nenhum programa de rádio, não assisti nenhum programa de TV, não apaguei as luzes por uma hora, não fui a nenhuma manifestação nem fiz porcaria nenhuma a respeito do “assunto do dia”. Por quê? Leia o artigo para saber, oras. 🙂 Continue reading “Semana Internacional da Picaretagem Pseudo-Ambiental”

Amamentação em público

Planeta estranho este aqui.

A espécie dominante possui dois sexos. Em um deles, as glândulas que servem para nutrir os filhotes são plenamente desenvolvidas. No outro, são atrofiadas. Curiosamente, o sexo que tem as glândulas atrofiadas pode exibi-las com naturalidade, enquanto o sexo que tem as glândulas normalmente desenvolvidas é obrigado a escondê-las.

E, vejam só, durante a nutrição dos filhotes, que é uma atividade essencial para sua sobrevivência, as tais glândulas precisam ser escondidas da visão do público, enquanto que durante o carnaval, que é uma atividade fútil, as mesmas glândulas são rotineiramente expostas para apreciação do mesmo público.

Ainda bem que eu sou um lunático.

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 02/06/2011

Ditadura da maioria NÃO É democracia

Tem muita gente confundindo “ditadura da maioria” com “democracia”. Uma coisa não tem nada a ver com a outra, entretanto. Difícil é trazer de volta à razão quem, motivado pela conveniência de pertencer à maioria em alguma causa, ignora que em inúmeras outras causas pode ser minoria e portanto esmagado pelos próprios argumentos. Continue reading “Ditadura da maioria NÃO É democracia”