Todo Arthur é rei. Todo Ricardo é coração de leão. Todo Ronaldo é fenômeno. E todo Elvis é imortal, claro. Há nomes que condicionam destinos e nomes que tornam previsíveis 99% das piadas e citações que seu portador ouvirá. Mas você nem imagina o que pode acontecer quando um Arthur encontra um Lancelot!

Excalibur 500

Eu estava assistindo um mini-curso de estatística em um simpósio sobre ecologia e meio ambiente, quando o palestrante solicitou que formássemos grupos para resolver um problema sobre delieamento amostral, que é meu assunto predileto em estatística, mas isso não vem ao caso agora.

Eu estava sentado entre duas garotas muito bonitas. Quando o palestrante solicitou que os grupos tivessem quatro integrantes, um participante que estava do outro lado da sala praticamente se atirou no meio de nós para fechar o grupo. As intenções dele ficaram bem claras, posso garantir.

Como eu tenho horror dessa pagação de mico de homem desesperado que parece que nunca viu mulher bonita na frente, sem querer deixei escapar um sorriso amarelo e um leve meneio de cabeça que tornaram perceptível minha reprovação à atitude dele. Ele percebeu e partiu pro ataque.

O sujeito se empertigou todo, apresentou-se como “Sir Lancelot, o melhor cavaleiro de Sua Majestade”, virou-se para mim e perguntou “e tu, quem és, ó cavaleiro de triste figura?” (Alusão a Dom Quixote.)

Bem, já que ele provocou…

Eu respondi: “Eu sou o Senhor teu Rei, Lancelot. Ajoelha-te diante de mim. Eu sou Arthur.” E apontei para o chão a minha frente.

Ele ficou irritado. Muito irritado. Perguntou: “qual é teu nome de verdade, ô palhaço?” Em resposta eu apenas acenei com o crachá e sorri. E as garotas caíram na gargalhada.

Pra quê…

Nunca vi alguém ficar tão vermelho quanto o tal Lancelot. O cara murchou inteiro. Gaguejou. Olhou para o chão e depois para o alto quase em desespero, como que a perguntar “Senhor! Senhor! Por que me abandonaste?” – juntou suas coisas e saiu da sala sem dizer mais nada, já com lágrimas a escorrer pelo rosto. Ele não voltou nos dois últimos dias do curso. E nunca mais o vi.

Não sei o que aconteceu na cabeça do tal sujeito, mas a julgar pela reação dele acho que foi algo realmente grave. Tive a impressão de ver a auto-estima do coitado se esfacelando em mil pedaços e caindo despedaçada para sempre no chão a minha frente, para onde eu havia apontado. Foi uma cena pungente e perturbadora.

Não acho que eu tenha sido culpado de nada. O sujeito era um babaca, chegou arrotando impertinência e estabeleceu voluntariamente um conflito desnecessário, na hora errada, por um motivo pra lá de medíocre. Ele certamente merecia uma puxada de tapete.

O que eu jamais imaginei foi que ele fosse desmoronar tão fragorosamente com um simples revide debochado. Se eu soubesse que causaria tamanho estrago, acho que não teria feito a piada. Confesso que até hoje sinto um aperto no coração quando lembro do episódio.

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 25/09/2011

12 thoughts on “Arthur versus Lancelot

  1. Não sinta aperto no coração. A situação foi ele quem buscou, e as consequências foi ele que produziu.

    1. Eu sei, eu sei, é que a coisa foi tão dramática que me traumatizou. Tem mais de vinte anos isso e a cara de injustiçado em desespero do sujeito ainda está nítida em minhas retinas. Coisa feia.

  2. Jarson Brenner

    26/09/2011 — 12:15

    Hahaha muito hilário o acontecimento Arthur!!

    Realmente algo muito raro de acontecer rsrs

    Talvez tenha como conseguir contato com ele pelo cadastro no curso,
    e ver como está.
    Mas será que compensa? rs

    Abraço!

    1. Não, não vou fazer esse esforço todo, isso faz mais de vinte anos que aconteceu, a essas alturas o coitado ou já se recuperou ou já se jogou no mar com uma pedra amarrada no pescoço. 😛

  3. Acho que essa história teve excesso de drama, mas me diverti mesmo assim. 😀

    1. Excesso de drama? O palestrante achou que tinha morrido a mãe do cara, ou algo assim. Veio nos perguntar o que houve e saiu atrás do sujeito quando contamos, mas não o encontrou. Demorou alguns minutos até retomar o foco. Foi uma coisa bizarra.

  4. HAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAH, ri muito. Que cara trouxa! Ele queria o que falando daquele jeito, parecer inteligente?

    1. Ele já devia ter um discurso formatado para se exibir. É incrível que nunca tenha cogitado a hipótese de bater de frente justamente com um Arthur.

      E foi sorte do tal Lancelot que eu não tivesse uma namorada chamada Guinevere, ou ele seria um homem morto. 😛

  5. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk :D:D

    1. Seguro morreu de velho. 🙂

  6. Realmente,muito engraçado!

    Acontece cada uma.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: