Meu amigo Romacof explicou no artigo “Carro sem freio!” por que a cada dia que passa em nossas vidas parece que o tempo anda mais rápido. Uma hora quando somos crianças é uma eternidade, quando somos adolescentes é incrivelmente demorada, quando chegamos à vida adulta é uma pequena espera, quando envelhecemos é um piscar de olhos. Mas existe uma fórmula para reduzir a sensação da passagem rápida do tempo, capaz de fazer com que nos sintamos mais jovens e que ainda por cima amplia nosso tempo de vida!

A fórmula da eterna juventude mental é extremamente simples e universalmente acessível: desenvolver novas habilidades.

A minha hipótese é que o cérebro de algum modo percebe o próprio esforço fisiológico e “contabiliza” de modo diferente os períodos em que ele tem que sintetizar novas sinapses para guardar novos conhecimentos e para melhor realizar o controle motor exigido pelas novas habilidades desenvolvidas em relação aos períodos em que ele não tem que fazer este esforço de síntese.

Esteja esta hipótese correta ou não, o que importa é que é incrível como passamos a perceber novamente o passar do tempo de modo mais lento, semelhante a quando éramos mais jovens, quando tentamos aprender algo novo que realmente exige o desenvolvimento de novas conexões no cérebro.

Mas atenção: para quem só fala uma língua ou duas, aprender mais uma ou duas vale; para quem já fala quatro ou mais, já não ajuda muito, valendo mais a pena aprender a tocar um instrumento musical, ou jogar peteca com os pés. Do mesmo modo, quem já sabe desenhar não tirará grande proveito de aprender a pintar, vale mais a pena aprender a jogar pingue-pongue, ou andar de monociclo.

A idéia é sempre escolher uma atividade na qual somos uma completa nulidade e estabelecer como objetivo atingir um desempenho nota 8. Mais que isso não adianta muito para o propósito de rejuvenescer o cérebro, e mirar em um desempenho inferior à nota 7 é auto-sabotagem.

Você não deve ser perfeccionista, porque o perfeccionismo tira o entusiasmo e o prazer do aprendizado, o que reduz muito seus benefícios, mas deve empenhar-se, investir esforço real e superar seus limites para que esta técnica funcione.

Você já aprendeu uma segunda, terceira ou quarta língua? Este é o melhor de todos os exercícios mentais para o rejuvenescimento do cérebro! Você já praticou wakeboard? Tiro? Ken-ju-tsu? Aprendeu a tocar um instrumento musical? Tentou reproduzir o Betta splendens em cativeiro? Treinou um rato a ultrapassar sete diferentes obstáculos em seqüência em um labirinto para chegar à comida? Caminhou três metros numa corda bamba (a 30 cm do solo, por favor)? Conseguiu manter cinco malabares no ar por um minuto? As possibilidades são inúmeras. Descubra alguma que lhe interesse e mergulhe no projeto.

Se nada lhe vier à mente com grande destaque, faça um brainstorm individual, escreva uma dezena de coisas interessantes que você gostaria de aprender a fazer, por mais malucas que sejam, e no dia seguinte releia a lista. Alguma coisa vai se destacar entre as demais e vai começar a parecer uma boa idéia para um hobby ou mesmo para uma atividade econômica paralela (mesmo que sem nenhum impacto significativo em seu orçamento, não é isso que importa).

Eu, por exemplo, decidi aprender tiro (e descobri um dom natural: uma pontaria invejável já na primeira aula, com 140 disparos certeiros consecutivos), a tocar teclado (catástrofe total: comprei o teclado há dois anos e ainda não sei tocar o parabéns-a-você – pelo visto essa será a atividade que maior benefício me trará, voltarei a tentar em breve) e praticar ou wakeboard, ou kitesurf, ou windsurf (se você deu risada, bem-vindo ao clube, tem muita gente que duvida que eu consiga, mas vocês vão se surpreender).

Veja bem: eu sei que você já sabia que uma alimentação saudável, exercícios físicos regulares, cultivo de boas relações familiares e sociais, evitação do stress e manutenção do bom humor eram fundamentais para ter uma boa saúde e uma vida longa e eu sei que você já sabia que desenvolver novas habilidades torna o cérebro mais ágil, melhora globalmente nossa qualidade de raciocínio e retenção de memória e aumenta nossa longevidade.

O que eu espero estar apresentando como novidade é que aprender coisas novas e desenvolver novas habilidades com entusiasmo é justamente a parte do pacote que nos permite perceber cada dia como se nosso cérebro fosse mais jovem do que é.

Experimente. Não há contra-indicações.

Mexa esse cérebro gordo!

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 25/12/2011

8 thoughts on “A fórmula da eterna juventude mental

  1. Concordo. O sabor da novidade muda nossa percepção de tempo. É um redescobrir o mundo como uma criança faz.

    Mas cê não toca nem o parabens pra você? Nem no dedinho cata-milho? Começa no assobio.

    E você não quis dizer Beta splendeNs (thanks google)?

    1. Aconteceu o seguinte: eu comecei a fazer aulas em uma escola de música em Poa. Fiz dois meses de aula, sendo que houve um feriado no meio, portanto devem ter sido sete aulas. Aí, por causa desse feriado, eu fiz uma confusão nas datas e fui pagar o boleto bancário no dia seguinte ao vencimento, pensando que estava pagando no dia certo.

      O banco não aceitou o pagamento, então à noite eu fui assistir minha aula e pedi para a secretária do curso que me desse um novo boleto para que eu pagasse no dia seguinte. Ela imprimiu um boleto e me entregou ao final da aula. No dia seguinte eu fui pagar a mensalidade usando o novo boleto que ela havia me fornecido… e era um boleto igual ao anterior, portanto igualmente vencido!

      Pensei com meus botões: “Ô BURRICE DESGRAÇADA, mas tudo bem, semana que vem, no dia da próxima aula, eu resolverei isso, porque não vou atravessar a cidade agora só para buscar um novo boleto”.

      Pois no dia da aula seguinte, duas horas antes de eu sair de casa ir para a aula, aparece um mensageiro para me entregar um comunicado de que eu tinha um título protestado em cartório. Imaginas a que temperatura me ferveu o sangue quando abri o comunicado e descobri que era a escola de música me cobrando daquele modo a mensalidade apenas oito dias atrasada?

      A “justificativa” do dono da escola foi uma pérola (antológica) ANTAlógica: “tem que ser duro, mesmo, porque senão ninguém leva a sério, porque acham que escola de música não é prioridade”.

      Ah, sim. É perfeitamente razoável protestar um título em cartório de um aluno que atrasou uma mísera semana a mensalidade, que nunca faltou uma aula, que tinha um ótimo relacionamento com a professora e com as secretárias e que tinha o telefone residencial fixo e o celular no cadastro ao invés de primeiro ligar para ele e perguntar “Fulano, não encontramos no sistema o pagamento da tua última mensalidade, aconteceu algum problema?”.

      Obviamente eu mandei o imbecil enrolar o próximo boleto num teclado e socar atravessado na “orelha” (talvez haja crianças lendo o blog…), nunca mais pisei naquela escola e já aconselhei diversas pessoas a não estudarem lá de jeito nenhum.

      Corrigido o nome do peixe no artigo. Valeu pelo toque. E na real o certo é Betta splendens, eu tinha conseguido a façanha errar duas de duas palavras! 😛

  2. Adiciono como tempero a esta formula uma pitada de DESAFIO. E’ isso que me move, e que me propicia a oportunidade de aprender e desenvolver habilidades novas.

    1. Sim, o desafio é uma motivação excelente para o desenvolvimento de novas habilidades! 😉

  3. To no caminho certo. he he he

  4. howdy! , I adore your current writing pretty a great deal! talk about many of us keep up a correspondence more info on a person’s write-up in America online? My spouse and i need a consultant for this method to solve my own dilemma. Probably that is certainly you! Having a look forward to discover you.

  5. A vida só perde a magia quando esquecemos que ela é uma grande aventura.

    Mesmo assim nada impede o tempo de se mostrar nas crianças que AGORA carregam seus filhos,rs.

    Sou a mesma,mas o tempo vai passando por mim sem perguntar se gosto disso ou não,rs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *