Eu não luto pelos Direitos Humanos porque eu acho que os seres humanos são bons. Eu luto pelos Direitos Humanos porque os seres humanos costumam ser tão ruins que violam constantemente a dignidade uns dos outros e não possuem um centésimo da empatia pelo sofrimento alheio que em minha juventude ingênua eu esperava que tivessem. 

E eu só luto por isso porque eu sou da opinião que o ser humano em geral tem boa índole mas é profundamente corrompido em todas as culturas que idolatram/aceitam/toleram economias competitivas ou ideologias autoritárias, ou ambas simultaneamente, como o atual ocidente “fascista soft” praticamente inteiro.

Se eu não achasse que é possível consertar o atoleiro pior que medieval em que chafurdamos, já teria me dedicado a enriquecer, feito uma vasectomia e que se danasse o mundo. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 17/02/2012

15 thoughts on “Coerência

  1. Eu defendo os Direitos Humanos porque me conheço bem e,mesmo errando miseravelmente,sei o quanto luto para não errar.

    É terrível a luta que travo comigo mesma,entre luz e sombra.
    A sombra encobre tudo como um nevoeiro e enxergamos como através de um vidro embaçado.

    A luz expõe nossas fragilidades e rupturas,essa pátina doentia que adquirimos quase sem querer,e que nos altera a essência.

    Sei que minha família universal é doente,carente,até meio esquizofrênica,mas eu a amo assim mesmo.

    É um amor que dispensa pré-requisitos.

    Gosto de gente,por gostar.

    E busco um lugar,dentro de mim,onde eu possa salvar um restinho de esperança no ser humano.

    Até hoje,o mais próximo que encontrei de um bushido,foi a DUDH.

    Gente não tem manual.
    Gente não tem peças sobressalentes.
    Gente não é tudo igual.

    As pessoas erram e podem se arrepender.
    Esse é um direito delas,divino.
    Bichos não precisam de compaixão,de amor,de perdão,
    de solidariedade.
    Coisas muito menos.

    São pessoas que podem alterar o rumo de suas vidas.
    São pessoas que batalham pelos seus sonhos.

    Por uma questão de coerência comigo mesma eu
    acredito nos seres humanos,até que me provem o contrário.
    Porque não sou perfeit ,e não existe,neste planeta,quem seja.

    Seres humanos podem escolher ser isto ou aquilo.

    Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo…que eu mantenho aceso o archote da fé em mim mesma,e nos outros,por mais errados que estejam.

    1. “…Bichos não precisam de compaixão…”

      GRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR!!!!!!!!!!!!!!!!

    2. Gerson,

      acredito que, quando avançarmos mais (se avançarmos) ao ponto de percebermos que animais têm consciência, talvez estendamos a uma Declaração Universal dos Direitos dos Seres Sescientes, né não?

    3. Amen!!!!

    4. Conhecendo a Li há alguns anos, acho que ela quis dizer que os animais não precisam de compaixão no sentido de que eles não precisam praticar a compaixão, pois o que um animal precisa é ter força para defender seu território, agilidade para caçar sua presa, habilidade para encontrar ou construir um abrigo, etc.

      Não é que nós não tenhamos que ter dignidade e compaixão para tratar os animais.

      Captaram a diferença?

      Olhando por este ângulo, fica claro que os bichos não precisam de compaixão mas nós precisamos, exatamente porque é isso que nos torna diferentes deles. Sem compaixão, não passamos de feras que usam sua força, sua agilidade e suas habilidades para viver de modo embrutecido, pela lei das selvas, sem moralidade, sem ética e sem respeito pela sensibilidade alheia, como as feras selvagens vivem.

      Melhorou? 😉

  2. acredito que, quando avançarmos mais (se avançarmos) ao ponto de percebermos que animais têm consciência, talvez estendamos a uma Declaração Universal dos Direitos dos Seres Sescientes, né não? (Gerson )

    Eu detesto ter que explicar o obvio,rs.

    Estamos falando de uma Declaração de Direitos para GENTE.

    Se PESSOAS não são capazes de cuidar,respeitar,amar umas as outras,imaginem que farão isso com Bicho.

    Bicho é um INCAPAZ…quem tem um tem que cuidar dele pela vida TODA.

    Bicho domesticado não sabe se virar sozinho.
    Ele precisa de CUIDADO,isso inclui tudo que dispensamos as pessoas.
    Principalmente RESPEITO.

    Pessoas fazem coisas apavorantes com os bichos.

    Castram.
    Torturam.
    Fazem dos bichos prisioneiros.
    Operam as cordas vocais dos cachorros,para que não incomodem os vizinhos.
    Não permitem,por pura loucura,que os bichos acasalem.
    Abandonam os bichos doentes ou mutilados.
    Amam os bichos,enquanto lhes convém,mas fazem isso também entre si.
    Matam bichos por diversão.

    Como aquele síndico que jogou uma pombinha com a pata quebrada na rua.
    E ainda se deu ao direito de bater na minha porta
    questionando a “amigavél cartinha que deixei debaixo de sua porta”.
    Encontrei o bicho com a pata quebrada,incapaz de cuidar de si mesmo,e o levei para o pátio do meu edifício.
    Na esperança que ele protegido tivesse tempo para se curar,com uma tala na pata,água e comida.
    E o senhor TODO PODEROSO jogou o bicho na rua.
    Sem poder voar algum gato deve ter comido,ou um carro passou por cima.

    Afirmo,sem medo de estar errada,que bicho precisa é de cuidado e respeito.

    Gosto de cachorro,na casa dele,no quintal…muito bem cuidado.

    Gosto de gatos andando pelos telhados,amados e amando…livres como devem ser,mas cuidados.

    Gosto de pássaros empoleirados nas árvores…voando livres. Enfeitando o céu.

    Quero as vacas leiteiras com leite para o bezerro,
    e não “roubar” todo o leite da infeliz.

    Cresci com tudo no lugar.
    Bicho sendo bicho.
    E gente sendo gente.

    E o respeito e o cuidado sendo estendido para tudo que tinha VIDA.

    Como amar o bicho que tu vais comer?
    Amar não,mas respeitar e cuidar,sim.

    Tu deves respeitar a galinha que comes.
    O boi,a alface,os grãos,a água.

    Se não respeitas a água que bebes,se não cuidas dela,vais morrer de sede.

    Assim como não amamos uma casa,mas cuidamos dela.
    O respeito por aquilo de que gostamos nos leva a cuidar.

    Eu gosto de alface,como posso comer,se não cuidar?

    Posso nem conhecer meu vizinho,mas se vir sua casa sendo invadida chamo a polícia.

    É disso que estou falando,de respeito e de cuidado.
    Para TUDO.

    1. Ah, a explicação era ligeiramente diferente, mas dentro do mesmo quadro conceitual que imaginei, pelo que percebo! 🙂

    2. Entendi. Tá bom!

    3. ***suspiro de alívio***

      A paz reina no blog. 🙂

  3. Bato na mesma tecla, afinal, um animal tem direitos de viver como animal, e não podemos interferir nisso (considero uma falta de respeito tremendo, por exemplo, tratar como gente uma criatura que quer viver em paz sendo um simples cachorro).

    1. Sim, creio que todos concordamos com isso.

      A Li escreveu:

      “Cresci com tudo no lugar.
      Bicho sendo bicho.
      E gente sendo gente.”

      E eu concordo com vocês dois quanto a isso.

  4. Obrigado,é bom saber que o tempo não se perdeu no vento.

    Um dia…..quem sabe….pessoas,plantas, e bichos….terão o mesmo direito ao cuidado e ao respeito.

    Não vou viver para ver esse dia,mas os filhos dos filhos,dos filhos, dos meus filhos….quem sabe!

    1. Sim, um dia terão todos “o mesmo direito ao cuidado e ao respeito” segundo sua espécie, claro. 🙂

  5. “…os seres humanos… violam constantemente a dignidade uns dos outros e não possuem um centésimo da empatia pelo sofrimento alheio que em minha (nossa) juventude ingênua eu (nós) esperava (esperávamos) que tivessem.”

    1. Impressionante, né? No fundo, no fundo, nosso grande erro é esperar demais do ser humano, que na média não passa de um macaco egoísta e negligente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *