Cheguei hoje no trabalho e a “Rádio Corredor” estava ligada no volume máximo. Não se falava de outro assunto: anteontem um colega nosso – sujeito sempre simpático e ponderado, farmacêutico bioquímico, substituto da chefe da seção dele, onde eu já trabalhei – matou a facadas a esposa e o filho de seis anos e depois tentou suicídio. A notícia estourou como uma bomba em nossa instituição. 

A notícia no Correio do Povo: 

Polícia solicita prisão de suspeito de duplo homicídio

Homem teria matado a facadas mulher e filho na zona Sul de Porto Alegre
Crime ocorreu em casa de bairro nobre da Capital (Crédito: Pedro Revillion)

A Polícia Civil solicitou à Justiça a prisão do suspeito de assassinar a mulher de 39 anos e o filho de seis no bairro Tristeza, zona Sul de Porto Alegre, encontrados mortos na manhã desta quinta-feira. O titular da 1ª Delegacia de Homicídios, delegado Cleber Lima, contou que bilhetes e emails encontrados na casa da família indicam que o crime teria sido cometido pelo marido da mulher e pai do menino. O motivo seria a desconfiança de que estava sendo traído pela esposa. “Ele indicou ainda que matou a criança para que não sofresse sem a mãe”, relatou.

O bioquímico de 46 anos está internado no Hospital de Pronto Socorro (HPS), em estado regular, após ter tentado se matar pulando da ponte do Guaíba nessa quarta-feira. Um pescador viu a cena e chamou os bombeiros, que resgataram o homem. O Ford Fusion usado por ele para ir até o local foi apreendido e recolhido ao pátio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Após serem chamados por familiares que não conseguiam contato com as vítimas, policiais militares localizaram os corpos da enfermeira e do menino dentro de casa, na rua Sargento Nicolau Dias de Farias. No quarto da criança estavam três facas de cozinha, provavelmente usadas no crime.

Os quartos ficam no segundo andar da residência, mas havia rastros de sangue na escada que leva à parte superior. O delegado ressaltou, porém, que a cena do crime foi alterada, já que parte das marcas foi limpa. A polícia acredita que mãe e filho tenham sido assassinados na noite de terça-feira, dia do aniversário da mulher. Porém, somente a perícia poderá precisar a hora exata das mortes.

A notícia no G1: 

Polícia encontra mãe e filho mortos a facadas em casa em Porto Alegre

Principal suspeito é o marido da mulher, segundo a Polícia Civil.
Sob custódia, homem está internado no hospital, com ferimentos.
Crime ocorreu no bairro Tristeza, Zona Sul de Porto Alegre (Foto: Halex Vieira/RBS TV)

A Delegacia de Homicídios da Polícia Civil de Porto Alegre investiga a morte de uma mulher e seu filho a facadas, no bairro Tristeza, na Zona Sul de Porto Alegre. Acionados por familiares, policiais entraram na residência por volta das 6h desta quinta-feira (26) e encontraram os corpos das vítimas de 39 e 5 anos de idade em seus respectivos quartos. O principal suspeito é o marido da mulher e pai da criança.Uma equipe de perícia foi deslocada ao local do crime e os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML). Dentro da residência, que fica em um condomínio fechado, a polícia encontrou bilhetes que servem de pista na investigação. “São bilhetes que explicam, em tese, a motivação do crime, fala de uma suposta traição que a vítima teria cometido”, disse o delegado Cleber Lima ao G1.

Ainda conforme a polícia, a família não conseguia contato telefônico com a mulher e por isso acionou o serviço. Na noite de quarta-feira (25), por volta das 23h, o marido, um bioquímico de 46 anos, pulou de uma ponte na BR-290 e foi socorrido por pescadores. “Possivelmente ele cometeu o crime e tentou se matar”, completou o delegado.

O homem está internado sob custódia no Hospital de Pronto-Socorro de Porto Alegre (HPS), com ferimentos. Segundo o delegado Cleber Lima, ele já foi autuado. Em depoimento para a delegada Clarissa De Martini, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), o suspeito negou que tenha matado a mulher e o filho. “Ele disse que não tinha familiares em Porto Alegre e que a esposa estaria viajando para Brasília e retornaria sexta ou sábado”, contou a delegada.

Meus colegas estão chocados com a “suposta” autoria do crime, com as motivações, com o método, com tudo. Quando eu trabalhava na mesma seção que ele, esse sujeito era considerado bom profissional, calmo durante o trabalho e ponderado na resolução de conflitos – tanto que substituía a chefe da seção na ausência dela. 

Fazia alguns anos que eu não falava com ele, então não tenho como dizer se ele mantinha estas características, se comentava sua vida pessoal ou se dava sinais de haver algo errado, mas isso reforça minha tese expressa nos dois últimos artigos: há algo muito errado com a humanidade. 

Os absurdos estão por todos os lados, surgindo repentinamente de qualquer lugar, a qualquer momento, afetando todo tipo de gente. E não importa se essa percepção opressiva é devida à maior eficiência da imprensa nos últimos anos: os fatos estão aí. O simples fato de procurar explicações para justificar a suposta maior visibilidade de tais fatos ao invés de soluções para que eles não se repitam já me parece bastante problemático. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 26/07/2012

35 thoughts on “Chegamos a conhecer as pessoas?

  1. Sempre digo: ” Às vezes não conhecemos nem a nós mesmos ,quanto mais os outros.

    1. Sim e não, Ezequiel. Sempre achei que esse papo de não conhecermos a nós mesmos é desculpa pós-mancada. Mas já andei ouvindo histórias aqui pelos corredores de que o sujeito já havia ameaçado a mulher e que provavelmente a acusava do que ele mesmo fazia… E já ouvi que ele já havia se envolvido com colegas de trabalho (no plural). É dose, né?

  2. Fiquei chocado, achei um absurdo, e pelo que entendi parece que o cara se passaria facilmente por uma pessoa “ética”.

    Acho que devemos sempre pensar sobre os problemas para respondermos a eles da melhor maneira, por mais que eles tenham ocorrido em taxa constante, e meramente tenha a mídia se tornado mais eficiente.

    Não sei se há meio viável de impedir esses crimes em larga escala, mas certamente ignorá-los ou tratá-los como algo natural e inevitável não é uma boa escolha. E se eles forem naturais e inevitáveis, a discussão não fará mal algum, só nos tornará mais certos em acreditar que o são. Mas eu acho que é bem óbvio que crimes são evitáveis.

    1. Eu digo sempre o seguinte: quais são os países com as melhores qualidades de vida e as menores taxas de crimes do mundo? Finlândia, Suécia, Noruega, Dinamarca e Holanda? É mais ou menos isso aí, né?

      Então… é perfeitamente possível atingir pelo menos os mesmos níveis de qualidade de vida e de taxas de criminalidade que estes países já atingiram – afinal, já foi feito!

      E qualquer taxa de crimes acima dos valores encontrados nestes países é pura prova de incompetência ou má intenção dos demais governos e agentes sociais e econômicos.

      Tem gente que acha que eu quero que as pessoas se tornem santas. Nada disso, eu já ficaria bem contente se elas alcançassem as médias já atingidas nos países que tem simultaneamente IDH > 0,95 e Coeficiente de Gini < 0,33.

  3. É provável que não.Por isso o fator surpresa.
    Não sabemos quantos monstros guardamos dentro do nosso ser.
    Parece que o ser humano está perdendo a resiliência, qualquer revés está fazendo qualquer um perder o senso.Tudo indica que o ser humano perdeu qualquer senso de tolerância.
    Se vê como as aparências nos enganam, um sujeito aparentemente calmo e cordial, de uma hora para outra num estalar de dedo, vira um assassino.Dá até arrepio, vai saber quando podemos deparar com um sujeito desses, imagina o horror da mulher, é muita ira, é muito ódio.É muita desgraça para qualquer família, não tem infortúnio maior que isso.

    1. Fico imaginando o que devem sentir os pais tanto dela quanto dele nesta hora. Que inferno.

  4. Que coisa horrivel. O padrao dos crimes no Brasil e’ diferente de Europa/USA. Aqui estes crimes envolvem pessoas com disturbios de conduta mais obvio.

    1. Paulinha, deixa eu te dizer uma coisinha aqui, “só entre nós”… 😛 Na minha opinião – aposto o braço esquerdo e viro zygoteano se estiver errado – em mais de 90% dos casos o criminoso já deu muitos sinais, provavelmente alguns bem claros, de ser uma pessoa não confiável.

      Quando eu disse aqui no blog “se você descobrir que seu funcionário trai a esposa, demita-o”, muita gente me acusou de moralista, retrógrado, fascista, etc. nas redes sociais. Mas o sujeito que trai já demonstrou que não é confiável, não importa se traiu a esposa, o amigo, o colega, uma instituição financeira, outra empresa, etc. Ele já mostrou o caráter dele. Que “surpresa” é essa que as pessoas alegam quando descobrem que ele fez algo semelhante (trair/roubar a empresa em que trabalha) ou muito pior?

      A Rádio Corredor diz que ele já havia traído a esposa com colegas de trabalho aqui da instituição. Estas pessoas estão se dizendo surpresas. Com o quê? “Nunca pensei que um cara que cometia ameaças e traições pudesse fazer algo pior”? 😛

    2. E’, eu sou um tanto ortodoxa no ponto fidelidade, tanto amorosa, quanto de amizade, profissional, etc. Eu concordei contigo naquele texto, mas muitos leitores do sexo masculino nao.

    3. Acontece que o pessoal confunde “fazer sexo com outras pessoas” com “trair”. É um ângulo muito estreito para analisar o fenômeno. Trair não está necessariamente associado a sexo. Acho que um artigo sobre isso seria legal, né?

    4. Acho que sim. As ideias de compromisso no brasil sao muito frouxas. Tanto que tinha um quadro do Jo Soares ha’ mil anos atras: “Nao me comprometa! nao me comprometa!” Para mim, a quebra unilateral (sigilosa ou nao) de compromisso ‘e uma forma de traicao.

    5. O que eu quis dizer da diferenca entre Brasil e USA por exemplo ‘e que aqui um cara que nao se relaciona ncom ninguem, estranhissimo, que faz tratamento psiquiatrico, ‘e o cara que entra fuzilando gente no cinema. Outro foi um residente de psiquiatria que trabalhava num VA hospital, que todo mundo sabia que era um cara problema. E assim por diante. Ai, era um suposto otimo pai, e otimo marido (bem, umas colegas tuas andaram dando para ele, o que ‘e perfeitamente normal no Brasil !!!) e que mata mulher ou ex-mulher E FILHO a facadas!!!!!!!!! Bah.

    6. antes que alguem diga algo porque falei em psiquitria: nao acho que todos os pacientes sejam psicopatas, etc. Eu mesma ja’ consultei psiquiatra em determinado momento da minha vida e foi otimo.

    7. 1) A quebra sigilosa ou não de um compromisso moral é sempre uma traição. Se eu digo que não vou colar chiclete embaixo da classe e colo, estou traindo a pessoa perante quem assumi este compromisso. Ninguém é obrigado a prometer, mas prometeu, tem que cumprir.

      2) As posições perante esse crime só são uma quase-unanimidade porque o cara matou o filho também. Se ele tivesse matado só a esposa, não imaginas a baixaria que estaríamos lendo por aí.

      Só para dar uma idéia básica:

      “10 anos dedicados a uma vagabunda que meteu nele um filho q nao é dele, triu o cara por 10 anos, ele criou um filho por 5 aNOS SEM SER DELE, DESCOBRIU Q A SAFADA CONTINUAVA METENDO CHIFRE NELE PELA NET Q ELE DESCOBRIU COM UM PROGRAMA ESPIAO. Ai as pessoa podem pensar e dizer assim: POR QUE ELE NAO DEIXOU ELA? Resposta: PORQUE ELE A AMAVA E QUERIA SEMPRE TENTAR SER FELIZ AO LADO DELA SEM TRAIÇAOI. MAs aí a safadinha santinha nao muudou por 10 anos. Era pra perguntarem: PORQ ESSA FDP NAO FOI EMBORA E PAROU DE ENGANAR O POBREZINHO DO MARIDO? Rrespósta: PORQ ela era safada mesmo. so queria comer fora do prato mas continuar mandando na comida. eLA SO QUERIA VIDA MANSA, UM CARA TRABALHADOR, FORMADO, APAIXONADO E QUE SEMPRA DAVA CHANCE PRA ELA. meUS SENTIMENTOS PELO GAROTINHO MORTO, MAS… ESSA VAGABA TINHA MAIS É Q MORRER MESMO E TEREM ARRANCADO A CABEÇA DELA E JOGADO NA FOSSA.
      Suelen Dias – 27/07/2012 | 12h55min”

      Fonte: http://www.paraiba.com.br/2012/07/27/36488-homem-e-acusado-de-assassinar-a-facadas-a-mulher-e-o-filho-por-suspeitar-de-chifre

      Fosse por trollagem, fosse por ignorância, isso aí ia virar mato se ele não tivesse matado o filho junto.

      3) Sim, sabemos que nem todo maluco é psicopata… E, por increça que parível, nem todo psicopata é maluco. Há psicopatas que passam uma vida inteira sem dar qualquer sinal de personalidade anti-social e vão pro túmulo amados por todos os que o conhecem. Para não perder o trocadilho, esta é uma doença muito louca. 😛

    8. E pensar que na Europa já existiu um método psicoterapêutico eficaz para a cura dos psicopatas, e que caiu em desuso 🙁 :

      http://www.n-joymagazin.hu/images/galeria/3519/03.jpg

  5. “há algo muito errado com a humanidade.”

    Destruição dos valores familiares e religiosos, falta de respeitos aos mais velhos, perda dos valores tradicionais etc, explosão do uso de drogas, hedonismo, materialização do ser humano e por ai vai…

    1. Uma no cravo, outra na ferradura. Como sempre, Nelson. 🙂

  6. Tem muita gente que no convivio social se apresenta com uma máscara que não usa no convívio familiar, talvez todos façamos isso em alguma medida.

    1. Sim, até porque os assuntos e os objetivos são bem diferentes entre o relacionamento que temos com a família e com o restante da sociedade. Mas “em alguma medida” pode ser saudável e pode ser doentio.

      A minha tese é que na maioria dos casos nós percebemos os sinais de problemas e os ignoramos, negligenciamos ou mesmo justificamos – o que demonstra que há algo errado conosco, tanto como indivíduos quanto como sociedade.

  7. Por já terem sido atingidos bons índices de criminalidade, não quer dizer que podem ser atingidos em outro contexto (outro espaço, outro tempo). Mas é claro que deve haver algo a se aprender com a experiência dos países que dão certo.

    1. E quem gera esse “outro contexto”?

      Se adotássemos 100% das mesmas políticas, por que haveríamos de de obter resultados diferentes?

  8. Será mesmo, caríssima Paula?
    Se são tão óbvios por que então, não são impedidos? Por que existe então a leniência quanto a isso, precisamos perceber as coisas quando já é tarde demais?
    Não só negligenciamos como também menosprezamos os problemas alheios. Estamos sempre subestimando.
    O pessoal falam sobre o individualismo do qual se nota um grande equívoco, não é o indivíduo que é o problema e sim o egoísmo exacerbado. Outros é o egocentrismo mesclado com a misantropia e assim vai.
    São poucas pessoas que percebem o óbvio, assim como são poucas pessoas que notam seus próprios defeitos e genuinamente os admitem, a mesma coisa para os seus erros, a verdade pode ser uma dureza como diz no discurso dos moralistas de plantão: Doa a quem doer, a verdade seja dita.
    O núcleo duro da violência, além do fato em si, são o n número de clichês e discurso vazio. É uma verdadeira inércia…


    1. “Se são tão óbvios por que então, não são impedidos?” (Alexandre)

      Essa é justamente a pergunta-chave do artigo. 🙂

    2. Alexandre, eu nao detenho numeros para dar referencias sobre a violencia causada por psicopatas, ou sobre a violencia prevenida. Eu tenho ‘e a vivencia nos servicos de saude no RS e nos USA. E te digo, que tem muito mais gente em surto “solta” no RS do que nos USA. Por muito pouco a galera acaba internada por aqui. Tanto ‘e que ha’ varios filmes por aqui abordando o tema de internacoes obrigatorias de gente que nao era psicopata e que nao estava em surto…Entao, uma das maneiras de previnir a tragedia ‘e internando compulsoriamente a pessoa que esta’ em surto. Isso acontece com frequencia no Brasil, mas nao ha’ servico de saude que supra a necessidade urbana. Alem disso, um cara aparentemente normal como o assassino em questao deu poucas pistas de que mataria seu proprio filho a facadas. O egocentrismo foi tamanho que ele nao deu a chance do menino tirar sua propria vida no futuro, se nao pudesse lidar com o fato de ter um pai assassino. Nao, para nao ser julgado por seu filho ele o matou, qdo a “raiva” era contra a companheira, que queria se separar. Aqui, este individuo pegaria pena de morte na certa.

    3. Exato. Bota egocentrismo e megalomania nisso. Se bem que estas características nem seriam problema se ele tivesse uma boa base ética.

  9. Que ironia mórbida!
    O pessoal do bairro precisa mudar urgentemente de nome, tanto nome para se colocar, é muita coincidência infeliz e sinistra.Fazer jus a desgraça é muito para a minha cabeça.
    Pelo que estou vendo achei até estranho que ninguém comentou sobre isso.Será que ninguém percebeu o óbvio?
    Será o Benedito?

    1. Esse é um bairro antigo de Porto Alegre. Tem esse nome há muito, muito tempo. Simplesmente ninguém estranha, de tão tradicional. E assim segue.

  10. O bafafá causado por esta notícia foi tão grande que até no Fantástico saiu.

  11. de acordo com Wiki, “O nome do bairro é originário do apelido do habitante mais antigo da região, o chacareiro José da Silva Guimarães, o “Tristeza”. http://pt.wikipedia.org/wiki/Tristeza_(Porto_Alegre) Sera’? Mas e’ sim, tradicionalissimo.

    1. Eu queria saber por que esse cara tinha esse apelido!

  12. Eu quis dizer que a baixa criminalidade pode ter a ver não só com políticas, mas até com fatores como clima

    1. A cooperação é favorecida pelo clima hostil (ou, para ser mais exato, a falta de cooperação resulta em menor chance de sobrevivência no caso de clima hostil), mas sobre a criminalidade não sei dizer.

  13. Só uma coisa tem o poder de controlar nossa violência,a força interna de cada um.

    Do desejo de matar até o ato em si,vai uma grande distância.

    Eu me conheço na medida em que vou me descobrindo e isso acontece todos os segundos
    da minha vida.

    Sim,muitas coisas poderiam ser evitadas.

    Se as pessoas estivessem mais atentas a si mesmas e a sociedade onde vivem.

    Todos podem matar. Todos podem salvar.

    Depende do espírito de cada um.

    Depende de uma infinidade de fragmentos psíquicos e emocionais.

    Para quem deseja matar uma pedra é uma boa arma.

    Somos nós os bandidos da história.

    1. Ou os heróis.

      Pena que história de bandido vende mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *