Chegou a mim a informação de que inúmeras pessoas que se identificam como budistas ou simpatizantes do budismo se sentiram ofendidas porque a Icon Shoes produziu uma linha de sapatos com a imagem do Buda. Estas pessoas mobilizaram-se, remeteram cartas de protesto à empresa e organizarem abaixo-assinados para pressioná-los a descontinuar a produção de calçados com tais estampas. Eu compartilho aqui alguns pensamentos com todos os envolvidos. 

Prezados senhores da Icon Shoes, prezados membros da comunidade budista: 

Com referência ao recente episódio em que a Icon Shoes produziu uma linha de calçados com imagens do Buda e diversos budistas e simpatizantes do budismo reagiram afirmando-se ofendidos e organizando protestos para exigir o fim de tal produção, gostaria de compartilhar com os senhores os seguintes pensamentos: 

Em primeiro lugar, no que diz respeito às ações da Icon Shoes, eu procurei as fotos destes sapatos na internet e particularmente considerei toda a coleção de muito bom gosto. Não vi coisa alguma que pudesse ser considerado ofensivo ao Buda, ao budismo ou aos budistas. Muito antes pelo contrário, pareceu-me uma bela homenagem.

Em segundo lugar, no que diz respeito às ações dos budistas e simpatizantes, em minha opinião, as pessoas que se dedicaram a escrever cartas de protestos e organizar abaixo-assinados encontram-se tão perdidas no Samsara, com sua visão nublada, seus ventos internos agitados e suas emoções perturbadas, que não percebem que estão agindo de modo contrário à doutrina do Buda. 

O caminho do Buda chama-se Nobre Caminho Óctuplo. Ele se divide em três eixos complementares: o treinamento do discernimento (também chamado de sabedoria), o treinamento da virtude (também chamado de moralidade) e o treinamento da concentração. 

O treinamento do discernimento ou sabedoria é composto pela prática do Entendimento Correto (também chamado de Visão Correta) e do Pensamento Correto (também chamado de Intenção Correta). O treinamento da moralidade é composto pela prática da Linguagem Correta (também chamada de Fala Correta), da Ação Correta e do Meio de Vida Correto. O treinamento da concentração é composto pela prática do Esforço Correto, da Atenção Plena Correta e da Concentração Correta (também chamada de Meditação Correta). 

Ora, focar a mente em uma ação totalmente irrelevante para a doutrina do Buda – a simples estampagem de uma imagem em uma peça de vestuário – é evidentemente Atenção Incorreta. Focar a mente em tal processo em nada contribui para a cessação do sofrimento e para a libertação de todos os seres do Samsara, o ciclo que mantém a consciência permanentemente iludida e insatisfeita, também chamado de ciclo de morte e renascimento. 

Mesmo que se alegue que “o desrespeito à imagem do Buda é um mal”, parece-me que é necessário ser muito intolerante para considerar a estampagem de belas imagens do Buda em peças de vestuário como “desrespeito”. Além disso, de modo algum é alegável que evitar esse suposto “mal” seja prioritário em relação a evitar a fome, a destruição do meio ambiente, a poluição, as desigualdades econômicas e a corrupção política, causas pelas quais não vejo tamanha mobilização nas sanghas (comunidades de praticantes budistas).

Complementarmente, embora a acusação de desrespeito possa ser sincera, porque oriunda de uma percepção equivocada, a exigência da submissão de quem produz os calçados com imagens do Buda aos valores internos da comunidade de budistas e simpatizantes é evidentemente Fala Incorreta. Agir desse modo em nada contribui para remover os obstáculos da mente que impedem a iluminação de todos os seres, podendo na verdade produzir o efeito oposto ao semear os três venenos da mente – ignorância, raiva e apego (sendo que este último inclui também o seu oposto, a aversão). 

Mesmo que se alegue que “honrar a imagem do Buda é bom”, não é através de cartas de protesto, de abaixo-assinados e de outras formas de pressão para obrigar alguém a ceder a nossos valores que se deve fazer isso. Além disso, muito provavelmente o próprio Siddartha Gautama sugeriria um caminho melhor e baseado em melhores princípios para o convencimento de quem quer que seja, em qualquer tempo e lugar, a qualquer causa. 

Por tudo isso eu peço à Icon Shoes: não interrompam a produção de sua bela linha de calçados com imagens do Buda. Interromper esta produção só traria malefícios para todos: prejuízo financeiro para os senhores; prejuízo espiritual para as pessoas que encheriam suas mentes com os obstáculos do orgulho e da vaidade pela falsa vitória obtida; e prejuízo político e cultural para o mundo inteiro, que daria mais um passo em direção à intolerância religiosa. 

E por tudo isso eu peço à comunidade budista: não envenenem suas mentes. O apego a imagens constitui mera idolatria. Lembrem-se do ditado que diz “se você encontrar o Buda caminhando por aí, mate-o!”. Esse ditado significa que tudo aquilo que parecer ser o Buda e estiver fora de nós é falso. O Buda está dentro de cada um de nós, esperando para despertar, e é o caminho do Buda – fazer o bem, evitar o mal, treinar a mente – que devemos trilhar para que isso aconteça. 

Possam todos os seres se beneficiar deste comunicado.

Atenciosamente, 

Arthur Golgo Lucas 

::

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 20/08/2012 

::

Aos demais leitores

Segundo me informaram, estas são as peças da coleção da discórdia: 

.

.

.

.

37 thoughts on “Carta aberta à Icon Shoes e à comunidade budista

  1. Vou perguntar a opinião da minha personal stylist mas eu particularmente achei o terceiro calçado bonito, os outros de mais ou menos a feios e nenhum ofensivo. Eu tinha achado que era alguma montagem tosca que poderia ser ofensiva. Mesmo se fosse eu não acharia muito inteligente reclamar com a empresa.

    1. Como eu já disse: eu não me incomodaria nem mesmo se o produto fosse um papel higiênico estampado com a imagem de Buda/Cristo/Maomé/QQ1 com a língua para fora.

      Pra que valorizar o conflito fazendo protestos e abaixo-assinados contra algo absolutamente inofensivo? Acabaram dando mais publicidade à marca!

  2. Budistas se comportando como fanáticos muçulmanos…

    1. Teve homem bomba?

    2. Também lembrei disso.

    3. O problema é a maldita da falta de um compromisso ético profundo. Tudo vira rito superficial e justificativa torta para cada um continuar a fazer o que bem entende. Aí qualquer suposta crença perde o sentido.

  3. Triste mesmo.

    No mais, como já disse antes, concordo com o raciocínio do Arthur.

    1. A gente costuma falar dos cristãos daqui porque são a maioria hegemônica, mas pelo visto religião só muda de endereço…

    2. Eu já falei, o “problema” não é algo facilmente solucionável alterando algumas regras de instituições religiosas

  4. Gostei das estampas, ficaram bonitos com as cores abundantes. Quanto ao protesto, só posso lamentar que ainda haja quem dê menos importância ao caminho e mais importância a estampas em sapatos que, apesar de todo o valor estético, servem apenas para proteger os pés.

  5. Jarson Brenner

    21/08/2012 — 00:18

    Eu usaria o primeiro com muita alegria! 🙂

    1. Eu também. 🙂

      Eu calço 42. Bota normalmente tem que ser um número a mais. O último, tamanho 43, também não ficaria feminino. Mas é o piorzinho deles…

  6. O pessoal tá ficando é abestado, visse?
    Tanta coisa para se preocupar e fica com essa birra infantil, vão crescer!!!! Não dá para acreditar que segue os preceitos budistas.

    1. Deixa lançarem um papel higiênico com a estampa do rosto de Cristo aqui no Brasil, pra veres o que acontece…

  7. Eduardo Marques

    21/08/2012 — 10:26

    Também não vi nada de errado com os calçados. Achei de gosto duvidoso, mas nada que me pareça ofensivo. Pelo que eu vi, foram budistas tibetanos e butaneses que enviaram as mensagens. Acho que eles não estão muito acostumados com o capitalismo por aquelas bandas…

    1. Pô, eu achei as estampas bem escolhidas e o resultado muito bom, exceto o da última foto, que ficou mediano. :-S

      Mas o foco é outro, então:

      Olha, eu acho que nem é questão de capitalismo ou não capitalismo. O problema é a idolatria. É preocupar-se com a forma ao invés do conteúdo. Igualzinho às igrejas cristãs no Brasil…

    2. Eduardo Marques

      22/08/2012 — 11:13

      Com “capitalismo”, não quis dizer posicionamento ideológico, quis dizer que eles não estão acostumados com a modernidade, a globalização. Teoricamente, imagens cristãs seriam tabu em roupas nos EUA (aqui no Brasil é outra coisa), mas se os cristãos forem reclamar de cada roupa, calçado e relógio com a imagem de Jesus que se fabrica…

  8. O protesto é desnecessário.

    Mas bom gosto nessas peças também, passou longe. Ficam muito legais para um baile de barango. oO

    As imagens numa camiseta estampada fariam mais sentido. Soou meio brega as estampas em calçados femininos.

    1. Pô, só eu gostei? 😛

  9. Nem ódio, nem aversão. Quanta dificuldade de pôr em prática!

    1. Acho incrível como a religião transforma as pessoas… mas não naquilo que deveria transformá-las!

  10. Uai… Se gosta compra…

    Eu gosto de All Star velho e calça puída. Minha mulher vive me lembrando que nem sou adolescente, nem vivo nos anos 80

    1. Meu estilo é tênis, calça jeans e camiseta. Mas eu usaria o sapato da primeira foto.

  11. A face de Cristo no papel higiênico seria sacanagem, imagina se fizesse isso com o Maomé então? Alguém cometeria atentado terrorista na fábrica.Com fanatismo não se brinca…
    No máximo o que esse fabricante fez, seria no máximo de gosto duvidoso, eu particularmente não usaria sobretudo em lugares onde não há tolerância religiosa e pelo jeito essa minoria budista revelou uma coisa que não esperaria de jeito nenhum, essa birra infantil. Cadê o equilíbrio dessa gente? Já não basta o desequilíbrio de outros religiosos que nem preciso citar? Realmente é decepcionante.

    1. Seria sacanagem, mas e daí? Quem quer viver em um mundo onde esse tipo de sacanagem é proibida e reprimida? Só quem não se dá conta de que tipo de mundo emergiria da universalização deste tipo de critério.

  12. Rafael Holanda

    21/08/2012 — 20:47

    São pessoas que provam que a religião não faz o monge.

    Entendo que pessoas ignorantes existem em todos os lugares, mas ainda assim fico triste em ver essa atitude de pessoas que praticam uma doutrina que valoriza acima de tudo a sabedoria.

    E as comunidades budistas devem tomar cuidado para que os ignorantes não adquiram posições de destaque/liderança, senão correrão o risco de se tornarem um pouco mais parecidas com as atuais correntes evangélicas

    1. Rafael, o cristianismo têm como mais alto ensinamento “ama teu próximo como a ti mesmo”. Olha o discurso e a prática dos cristão da atualidade e me diz se Cristo aprovaria qualquer um deles.

  13. Um Português abre uma filial de sua empresa de pregos em Roma.
    Como propaganda fez um out-door com a figura de Cristo pregado na cruz e embaixo estava escrito:

    “PREGOS GARCIA – 2000 ANOS DE GARANTIA” Foi aquele rebuliço.

    O Bispo de Roma foi pessoalmente conversar com o Português, explicar que não podia fazer isso.
    Então o Português resolveu fazer um novo out-door.
    Colocou Cristo com uma das mãos pregadas na cruz e a outra solta, dando Tchau.

    Embaixo estava escrito: “ADIVINHE EM QUAL MAO FOI USADO PREGO GARCIA”

    Meu Deus do céu!!! Até o Papa foi conversar com o Português.
    – Assim não dá! Não pode usar Jesus Cristo como garoto propaganda. Invente outra coisa…
    – Então vou fazer novo out-door… pensou o Português.
    Colocou a foto da cruz vazia e embaixo estava escrito:

    “SE O PREGO FOSSE GARCIA O CARA NÃO FUGIA….”

    1. HUAHUAHUAHUA!!!

      Arrependei-vos, pecadores!

      Assim vocês vão para o inferno! 😛

  14. bom já existem camisetas.
    com a imagem do buddha, não vi pecado algum.
    mas cada um deve encontrar a sua resposta.
    acho que em nada foi ofendido a memória do darma.

    1. Pois é, mas tem muito budista que prefere cultivar os obstáculos.

  15. Icaro Gama Lacerda

    23/08/2012 — 15:58

    How much does it cost? I founded it beautifull! The shoes are really fashion! Good shopping for you, when this collection was release.

    1. Can you read portuguese, Icaro?

      Eu não sei quanto custam estes sapatos. Procurei-os no site da Icon Shoes e não os encontrei. Talvez a empresa já os tenha retirado do site devido às pressões, o que eu considero uma lástima.

  16. Eliane Viana

    23/10/2012 — 17:31

    Hum… se retiraram os produtos do mercado é uma pena! Porque no mínimo os calçados são uma obra de arte!

    1. Senti falta de mais modelos masculinos. Eu compraria um.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: