Soneto de Tranqüilidade (do fórum virtual)

De tudo a seu besteirol estarei atento
E com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior espanto
Deletarei sem dó seu “argumento”!

Hei de espreitá-lo em cada vão momento
E para seu horror vou emudecer seu canto
E apagar seu riso e deletar seu pranto
Para seu pesar e para meu contentamento!

E assim, quando então me procure
Quem sabe o troll, de quem dó não tive
Quem sabe o chato, que de tudo reclama

Eu possa dizer que a moderação vive!
Que podes ter uns minutos de fama
Mas aqui, meu caro, não há quem te ature! 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 29/08/2012 

Publicado originalmente no Orkut em 06/03/2007. 

10 thoughts on “Soneto de Tranqüilidade (do fórum virtual)

  1. E só digo: Que assim seja…
    Vida longa e próspera.

  2. Sensacional! 😀

  3. Adorei…já clonei,rs.

    1. Esse é do tempo da DHzona. 🙂

  4. Um assunto sério tratado com leveza,ainda bem.

    No mundo virtual coisas sérias são relegadas ao ostracismo e as besteiras
    tratadas com pompa,é triste.

    O que nos salva são os espaços onde existe identidade,como este.

    Ainda que eu não concorde com tudo que é postado aqui,tenho o maior respeito
    pelos que não desprezam a inteligência alheia.

    Obrigado!!!

    1. Eu que agradeço. 🙂

  5. HAHAHAHAHAHAHAHAHA

    Excelente!

    1. Valeu, Perma! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *