A semana passada foi uma semana difícil. Mais uma vez, numa simultaneidade espantosa que desafia o conceito de coincidência, eu tive problemas de saúde e de conexão ao mesmíssimo tempo. É quase como se eu estivesse sendo forçado ao ensimesmamento de Ortega Y Gasset. E, não tendo alternativa, porque doente, sozinho na cidade e sem conexão à internet, ensimesmei-me de fato. 

Acompanhou-me nesta jornada interior um clássico da literatura: As Aventuras de Robinson Crusoé. Todo mundo que reconhece este nome pensa que conhece a história, mas de fato o que a maioria conhece pode ser resumida em uma frase: “um náufrago consegue sobreviver sozinho em uma ilha deserta até que descobre nela uma segunda pessoa, um nativo a quem chama de Sexta-Feira”. Mas nada poderia ser mais superficial que esta descrição.

O que menos importa no famoso romance de Daniel Defoe é o encontro de Sexta-Feira. Interessantes mesmo são as descrições de como o náufrago interpreta o mundo a sua volta, sua nova situação, as dificuldades que enfrenta e as soluções criativas e freqüentemente penosas que encontra para obter sua sobrevivência e conforto. E a leitura sobre as dificuldades enfrentadas por um homem solitário em um ambiente hostil e com pouquíssimos recursos deu o que pensar a quem estava solitário e de certo modo também ilhado.

Não tenho como relatar todos os insights que me foram proporcionados por esta semana de isolamento forçado e leitura, até porque o leitor do blog não teria como se sintonizar com as condições físicas e psicológicas que levaram a estes – e portanto não lhes conferiria o mesmo colorido e profundidade com que a mim se apresentaram – mas algumas de minhas divagações virão ao blog nos próximos dias. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 11/09/2012

12 thoughts on “Tempo de reflexão

  1. Oi Arthur.
    Continuo lendo seu blog todos os dias.
    É que ultimamente não tenho nada relevante pra falar mesmo, por isso fico quietinho, só espiando, rs
    Estou escrevendo só pra te deixar um abração e te desejar melhoras !

    Robson / SJCampos

    1. Valeu, Robson! 🙂

  2. O acaso realmente é cruel, seja como for estimo melhoras.

    1. Obrigado. Já melhorando.

  3. Melhoras ai.

    Não tas em PoA?

    1. Obrigado. Sim, estou em Poa.

  4. Eu não sabia q Robinson Crusoe era do Defoe – mas já li Moll Flanders, o que deve me salvar da ignorância…

    Estimo melhoras a você! =)

  5. Todos os caminhos(momentos)levam para a reflexão.

    Pensar dói,porque quem pensa tem que mudar,rs.

    1. Pensar Não Dói. A mudança talvez. 😉

  6. O livro mais sensacional que eu li até hoje, acredite ou não, foi uma noveleta de menos de 100 páginas dos Dostoievski (já li os clássicos dele, mas esse me surpreendeu mais).

    Em Notas do Subterrâneo, ele narra em primeira pessoa como o ser humano pode ser estúpido. Dividido em duas partes, onde o protagonista desfia sua teoria de que “O homem é um touro que se compraz em dar cabeçadas num muro”.

    E a segunda, onde ele exemplifica o caso com uma estória pessoal do protagonista narrando uma trajetória miserável.

    1. Bem… O simples fato de alguém desfiar uma teoria destas a sério já é prova da validade dela. 😛 Ainda bem que era ficção…

      .
      .
      .

      … mas tem um fundo de verdade, eu sei.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: