A tecnologia em si é neutra, mas o uso da tecnologia não. E, desgraçadamente, quase todas as maravilhas tecnológicas que poderiam tornar nossa vida mais fácil, segura e divertida são desenvolvidas com propósitos militares – que não combinam nem um pouco com “tornar nossa vida mais fácil, segura e divertida”. 

Vejamos alguns exemplos. 

Recentemente foi desenvolvido um “cão robô” capaz de percorrer até 300 km carregando um peso de 180 kg.

Assim que eu vi a imagem da trapizonga eu pensei: “Genial! Imagina as possibilidades de uso desta tecnologia para resgates em áreas de difícil acesso! Ou para montaria, podendo ser usada por deficientes físicos para se locomoverem em qualquer terreno! Ou para propósitos recreativos!” 

Aí que eu me dei conta do título da notícia: “Exército dos EUA revela cão robótico”. Ou seja, não será usado para propósitos pacíficos. Em breve veremos notícias como “cão robótico invade e explode bunker da Al-Qaeda nas montanhas do Raioqueopartistão” e outras do gênero. Maravilhas tecnológicas a serviço da arte do homicídio à distância. 

Na seqüência assisti um vídeo sobre um “guepardo robô“, capaz de correr até 45,5 km/h. Novamente o título da notícia entrega o jogo: “Vídeo: Robô militar bate recorde de Usain Bolt”.

Para que os militares desenvolveram um robô capaz de correr mais rápido que o mais rápido dos seres humanos? Ora, para matar pessoas! Confiram no vídeo, pois o objetivo é declarado. E não houve constrangimento em anunciar “o cheetah foi feito principalmente para matar pessoas, incluindo civis, pois o equipamento como foi apresentado não tem como diferenciar seus alvos”. 

Prossegui lendo: encontrei a “água-viva robô“, a “lagartixa robô“, a “lagarta robô“, etc.

Lá pelas tantas eu me lembrei de algo que tenho comentado há alguns anos: se as notícias sobre tecnologia quase sempre me preocupam muito, as notícias sobre nanotecnologia sempre me preocupam imensamente. 

A nanotecnologia tem o terrível potencial de criar robôs miniaturizados com a capacidade de espionar ou intervir em nossa privacidade de modo criminoso e cruel – conceitos que não sensibilizam nadica de nada os políticos e militares de alto escalão de lugar nenhum do mundo.

Tratei de pesquisar se havia de fato em desenvolvimento um projeto que eu previ há muitos anos: uma “mosca-robô” com terríveis possibilidades militares. E encontrei. Eis o título da notícia: “Força Aérea dos EUA quer fazer uma mosca-robô assassina“. Ou seja, o “meu” projeto não apenas existe como declaradamente está sendo aperfeiçoado para cometer espionagem e assassinato. Mas eu vou um pouco além na descrição das capacidades deste “brinquedinho”, dizendo o que obviamente os militares não confirmariam em público. 

Imagine que você está dormindo e de repente é acordado por uma agulhada e uma voz que diz “obedeça ou sentirá dor”! De onde vem a voz? De dentro de sua própria cabeça! 

Uma mosquinha-robô adequadamente desenvolvida pode perfeitamente ser capaz de penetrar em seu ouvido enquanto você dorme, fixar-se com um tripé de agulhas próximo a seu tímpano e passar a informar que ações deseja que você execute – obviamente sem contar a ninguém que está sob controle externo – e puni-lo com terríveis dores ou com a morte em caso de recusa, o que em tal local é facílimo infligir com ínfimas quantidades de alguma entre inúmeras armas químicas bem conhecidas e amplamente disponíveis nos meios militares, ou mesmo com a simples movimentação das agulhas. 

Uma vez que um governo tenha chegado a este ponto de perversidade, somente a ameaça de aniquilação atômica pode detê-lo. E já existe um governo desenvolvendo esta tecnologia, precisamente para propósitos militares, o que coloca em risco todo o planeta se não houver capacidade de retaliação massiva. Este é um dos principais motivos, entre outros que eu costumo citar, pelo qual o Brasil precisa desenvolver seu próprio arsenal atômico. 

Não é uma grande ironia? Pensávamos que somente as baratas seriam capazes de sobreviver a uma guerra atômica, mas agora temos necessidade de construir bombas atômicas para afugentar moscas. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 12/09/2012 

38 thoughts on “Bombas atômicas para afugentar moscas

  1. Olha depois dessa, que todo mundo se arme até os dentes. Deixe que o Irã desenvolva a sua “bombinha” atômica.Aonde vai o desejo insano do ser humano querer dominar tudo?Depois da Segunda Grande Guerra, acho que o período de relativa paz parece ser prejudicial para o próprio homem, a população se multiplicou de forma assustadora, aumentou-se demais a população de velhos e numa escala maior gente esfomeada no mundo. Alguns acontecimentos tipo secas extremas ou chuvas em quantidades extremas tem ocorrido de forma assustadora. Aqui em São Paulo por exemplo tivemos o inverno mais seco e ao mesmo tempo mais quente dos últimos 50 anos. Pode uma coisa dessas, como é possível ter gente que se nega que a mudanças nos clima? É auto evidente, mas não, temos cientistas que se teimam em dizer que isso é uma falácia. Quem dizer que a sensação de que a coisa errada é insanidade da maioria, é isso que o céticos do clima dizem?
    Não sei se seria ironia no final das contas nosso cérebro, o tão privilegiado cérebro, não passa de recanto do diabo.

    1. Todo auto-desarmamento é insano.

  2. Aquele negócio que o pessoal tanto professam que é a teoria da destruição mútua, isso sim é uma falácia.
    Do jeito que as coisas se encaminham, o suicídio da espécie humana já começou, portanto aquelas esperança de que as coisas melhoraram não passa de conversa de botequim.

    1. É em função da possibilidade de mútua aniquilação que não acontecem guerras entre potências atômicas.

  3. Segui o link do robô agua-viva (que diabos é um robô agua-viva, pensara eu com meus botões) e vi esta outra má notícia:

    http://tvig.ig.com.br/noticias/ciencia/cientistas+descobrem+uma+das+terras+mais+ferteis+do+mundo+no+am-8a4980263195f68501319f81f34b02c6.html

    Tomara que não comecem projetos agropecuários. Mas não tenho lá muita esperança.

    E sobra a mosca, tomara que se desenvolvam sistemas portáteis de bloqueio de sinal. Dificultariam o funcionamento e impediriam as missões.

    E me preocupo com a banalização dessa tecnologia. Se cair na mão de qualquer um. Não ficaria limitada a adolescentes querendo ver a vizinha gostosa no banho.

    1. As próximas gerações vão acabar perdendo o conceito de privacidade. Quem sentir vergonha da exposição de qualquer ato que pratique será chantageado com a ameaça de exposição deste ato na internet, ou sacaneado com a exposição. Nem mesmo ir ao banheiro será seguro, porque o Grande Irmão estará olhando. Delícia de mundo, hein?

      E isso não é exercício de imaginação, é mera extrapolação de tendências já verificáveis…

  4. E pensar que o único pavor que eu tenho na vida é que uma aranha entre no meu ouvido pra botar ovos… bora começar a usar mosquiteiro ao redor da cama de novo…

    1. É facil lidar com isso. Basta vc mergulhar o ouvido num balde dagua e elas vao tentar escapar.

    2. Então é melhor eu começar a dormir dentro de uma banheira com água, porque o meu medo é que elas entrem no meu ouvido durante o sono…

    3. Ńunca ouvi falar que alguma aranha entrasse no ouvido de alguém para botar ovos. E olha que sou biólogo. Acho que… Isso non ecziste!

    4. Eduardo Marques

      13/09/2012 — 21:41

      Viu, Elise? Não existe aranha que coloca ovos na gente, como o Arthur diz. O perigo, entretanto, são as moscas, que poem ovos em feridas que dão origem a vermes assim: https://www.youtube.com/watch?v=G_3hp4f1-yE&feature=plcp

      Isso é ainda mais assustador que aranhas porque moscas são bem mais comuns. Estão em todo canto! Eu soube que estão sendo usados para tratar ferimentos e evitar gangrenas, pois comem só tecido morto. Procure “calcanhar de maracujá” no google.

      Também tem o “verme da Guiné” (acho que é essa a tradução de “Guinea worm”), que é um verme beeeem comprido que se aloja no pé da pessoa: https://www.youtube.com/watch?v=u4kQWvUv_Ns&feature=related (assista a partir de 0:20)

      Tudo bem, são vermes pegos por pessoas f*didas de países de terceiro mundo, mas um que me assustou foi o verme que se alojou no olho de um homem dos EUA para comê-lo por dentro: http://www.cbsnews.com/8301-504763_162-20017241-10391704.html Esse homem chegou a perder parte da visão por causa disso.

      Existem parasitas ainda piores que, felizmente, só atormentam alguns animais, como o Cymothoa exigua, um crustáceo que devora a língua do peixe, liga seus nervos e vasos sangüíneos aos do peixe e passa a substituir a língua devorada. Coloque o nome no google imagens, é de tirar o sono.

      Também tem esses vermezinhos que não sei o que são e parecem habitar a pele das pessoas: https://www.youtube.com/watch?v=GiHtUFuGgSA

      Com falta de cuidado, até simples cravos ficam asquerosos a esse nível: https://www.youtube.com/watch?v=KCKh0-vTRAE

      Tá vendo, pra que medo de aranha? Fala a verdade, essas coisas são ótimas maneiras de fazer as crianças tomarem banho, não? 😀

    5. Pra botar ovos não mas entrar no ouvido para refugio sim. Mas tenha medo das proprias moscas mesmo que fazem isso nao as aranhas. Minha cachorra de 14 anos ja passou por isso e os ovos de mosca quando nasceram fizeram um estrago violento, passei 1 mes tratando ela ate a orelha ficar 100%.

      Sobre o artigo, os estados unidos não estão realmente nem aí pra casualidades civis, basta ver o que aprontaram no iraque e nos ultimos ataques de drones “inteligentes”. Más se fossemos criar uma bomba atomica, melhor que fosse escondido porque senão seriamos logo alvo deles.

    6. Pô, terrorismo biológico, Eduardo?! 🙁

      Eu não vou olhar esses vídeos…

    7. Eduardo, eu não vou ver os vídeos porque meu estômago é meio fresco, se eu abro uma coisa dessas fico sem comer por um mês…
      Minha tia era auxiliar de enfermagem. Uma vez ela me contou que um dos pacientes internados num hospital reclamava de dor intensa na perna, num lugar onde havia uma ferida. Ministravam-lhe analgésicos, mas nada da dor passar. Daí um dia ela pegou aquele curativo pra refazer, e quando abriram, havia uma coisa estranha na ferida. Quando o levaram pra sala de cirurgia, descobriu-se que ali havia um verdadeiro ninho de larvas de varejeira…
      Mas eu não tenho medo das mosquinhas, essa eu combato com inseticida e incenso de aroeira ou andiroba.
      Quanto às aranhas, elas têm patinhas demais. Morro de medo mesmo… e elas são rápidas, não consigo dar conta delas com o inseticida…

  5. A tecnologia em si é neutra, mas o uso da tecnologia não. E, desgraçadamente, quase todas as maravilhas tecnológicas que poderiam tornar nossa vida mais fácil, segura e divertida são desenvolvidas com propósitos militares – que não combinam nem um pouco com “tornar nossa vida mais fácil, segura e divertida”. (2)

    E ainda existem os que não acreditam que o fim de tudo já começou.

    A energia do amor infinito nada tem com essa destruição,nós mesmos a estamos fazendo.

    Ela já começou!

    Brincamos de nos destruir,mas a vida é bem mais sábia e vai nos deter,de qualquer forma.

    O que para mim é um alívio.

    A raça humana já não pode mais ser salva,se condenou.

    Mas as pessoas que tiverem consci~encia,essas ainda possuem chances.

    Só o amor pode nos salvar,e esse não tem como ser manipulado.

    Estou falando do verdadeiro amor,bem entendido?

    Tu,Arthur,estás em posse desta consciência amorosa.
    Se não a tivesses não estarias aqui tratando deste assunto.

    Nada podemos fazer pelos que dormem a sono solto.

    Podemos fazer muito,por nós mesmos,se tivermos a capacidade de não aceitar internamente os desmandos
    dos que optam pelo lado escuro da vida.

    Falar é meio caminho andado.

    O boca expressa aquilo que vai pelo coração.

    Somos humanos e erramos,mas se erramos menos e acertamos mais,nossas chances de permanecer despertos aumentam.

    O Deus em mim saúda o Deus em ti.


    1. “A raça humana já não pode mais ser salva,se condenou.” (Li)

      Eu ainda luto acreditando que pode.

  6. Eduardo Marques

    13/09/2012 — 21:07

    Eu não vi nada de mais nesse cachorro robô. Já tinha visto coisas assim em documentários séculos atrás na televisão. Eu li achando que o bicho corria 300 km/h, mas a realidade é que a autonomia dele é que é de 300 km.

    1. Esses “bichos” aí – o “cachorro” e o “guepardo” – são a evolução de um “carneiro-robô” praticamente “inderrubável”. Eles podem ser chutados de lado e continuam em pé. Parece que existe uma versão capaz de se desvirar quando é derrubada.

      Equipado com um GPS, alguns armamentos, transmissores de TV e controlado por controle remoto e por um algoritmo de inteligência artificial para quando perder contato com a base, isso aí é um protótipo de “Exterminador do Futuro”.

  7. Vladimir Putin quer recriar a Sociedade Histórico-Militar da Rússia

    http://www.diariodarussia.com.br/cultura/noticias/2012/09/13/vladimir-putin-quer-recriar-a-sociedade-historico-militar-da-russia/

    Russia vai investir quase 1 trilhão em armamentos..

  8. A Grécia falida pegou o resto que tinha e comprou 400 tanques. Não é estranho?

  9. Agora não estamos mais na época das bombas atômicas, estamos na época do escudos anti-mísseis, dos campos de força. Daqui a um tempo ter armas atômicas não significará muita coisa, vai haver escudos avançados que cair uma bomba em um país será um vitória.

  10. “A raça humana já não pode mais ser salva,se condenou.”

    “A paz nunca foi uma opição” (Magneto)

  11. Rússia confirma existência de arma que transforma pessoas em zumbis
    Confirmação veio do presidente do país, Vladimir Putin. Arma futurista atinge o sistema nervoso central das vítimas

    http://olhardigital.uol.com.br/produtos/digital_news/noticias/russia-confirma-existencia-de-arma-que-transforma-pessoas-em-zumbis

    1. Pela descrição parece uma pistola de micro-ondas.

  12. Eduardo Marques

    14/09/2012 — 02:13

    Um comentário meu aí foi pra caixa de spam, pode recuperar aí, Arthur?

  13. A raça humana já não pode mais ser salva,se condenou.” (Li)

    Eu ainda luto acreditando que pode.(Arthur)

    Pode,mas não quer.
    O que acaba no mesmo.

    O que podemos fazer contra o uso dessas armas cada vez mais avançadas?

    A realidade bate com força e nos joga de cara no muro.Ela arrebenta com a gente.

    Tudo que resta é tentar salvar a nós mesmos.

    Que poder temos no mundo da alta tecnologia,e no mau uso que é feito dela?

    Se eu tirasse minha vida em praça pública em protesto contra essas coisas,minha morte seria NADA.

    Como eu acredito na exist~encia da alma,tento salvar a minha…como posso!

    O homem não foi condenado,ele se condenou.
    Essa é a monstruosidade da situação.

    1. Uma parte quer. É com esses que temos que colaborar.

  14. A longos 12 anos, em Abril de 2000, eu li uma revista Trip que tinha um artigo extenso sobre as capacidades sobre humanas das baratas, e a superpopulação que na época girava em torno de 400 para cada habitante de São Paulo, e crescendo a cada 15 dias, ciclo de reprodução em que uma barata gera 16 novas baratinhas.

    Mencionava a capacidade delas de resistir a uma explosão atômica.

    A frase que não esqueço até hoje, encerrava o artigo, e era mais ou menos assim:

    “Quando a gente acabar com esse mundo, elas vão apagar a luz.

    Isso não vai demorar muito.

    1. Que as baratas sobreviverão aos humanos é fato pouco questionável. O que me assusta é saber que a probabilidade de a última frase que citaste estar correta está aumentando.

  15. EXTRA! EXTRA!

    Exercito Americano cria pombo mecânico para cagar bombas durante o vôo…

  16. Vocês estão achando que o uso militar de animais robôs é o maior perigo? É só o começo!

    http://pt.scribd.com/doc/102081473/Isaac-Asimov-Para-Que-Vos-Ocupeis-Dele

    1. Hehehehe… Grande Isaac Asimov! 🙂

      Mas saca só: o que levou os Georges a chegarem a tal conclusão disparatada não foi nada mais, nada menos, que o maldito pensamento politicamente correto, do tipo que considera razoável uma “minoria de 80%”.

      Somente uma distorção inaceitável do termo “ser humano” – como a que acabou sendo produzida pelos Georges – poderia produzir um resultado tão grotesco e perigoso.

      Uma coisa muito semelhante está acontecendo entre seres humanos reais hoje em dia. O mesmíssimo argumento dos Georges, aplicado à DUDH, deu origem a este artigo. A analogia é perfeita, com as ideologias coletivistas no lugar dos Georges.

    2. Não tinha pensado sob esse ângulo. Mas é verdade. Quando se escolhe quem não tem direitos o resultado é péssimo.

      O que eu havia reparado é que o que faz os Georges “melhores” que os seres humanos é exatamente o fato de que eles não são humanos, e portanto não podem fazer escolhas. Se fazem as coisas mais certas é porque estão programados. A lógica deles é falha.

    3. Isso. E o ponto no qual a lógica deles é falha é exatamente o mesmo em que é falha a lógica do “politicamente correto”: a flexibilização inadequada dos conceitos. A diferença é que os Georges não têm intenções, enquanto os PCs as possuem – e isso os torna responsáveis, ao contrário dos Georges.

      Nunca pode ser enfatizado o suficiente: quando 80% pode ser considerado “minoria”, o resultado é o mesmo que os Georges se considerarem “humanos”. Idêntico.


    1. “Manufacturers say it usually takes between five and 15 minutes to take effect and teenagers will move on because of the constant and persistent high-frequency noise which they can only endure for a short period.

      Entre 5 e 15 minutos dá pra pichar um monte. Um adolescente inofensivo vai se incomodar e sair de perto. Um pichador com raiva desta estratégia terá um alto incentivo para procurar os locais com a Tecnologia Mosquito e vandalizá-los. Não acho uma boa idéia.

      Sinceramente, eu prefiro o bom e velho sistema de câmeras de segurança e alarmes silenciosos. A galera está pichando, a polícia já está vendo, gravando e se dirigindo ao local.

      O que fazer? Pega todo mundo, leva pra delegacia, chama os pais, multa bem multado, exige a reparação do dano pelo trabalho dos próprios pichadores, filma os caras limpando, põe no Youtube com o porco Gaguinho comentando “q-q-q-que feio, pe-pe-pe-pessoal”. E quem não quiser limpar a sujeira que fez e pagar o mico no Youtube vai pra cadeia ou pro equivalente da FEBEM.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: