Neste domingo eu enfrentei um debate sobre o desarmamento. Fiquei pasmo com a inutilidade de todos os argumentos, todas as estatísticas e todas as evidências que apresentei – o outro lado se mostrou simplesmente impermeável à razão. Resolvi então abandonar a argumentação e postar apenas quatro perguntas sobre o desarmamento para ver o que acontece. 

1) Suponha que você é um assaltante. Há duas casas em uma rua deserta, cada uma com um cartaz na frente. Na primeira casa o cartaz diz “não entre – invasores serão recebidos à bala”; na segunda casa o cartaz diz “sou da paz – não há armas nesta casa”. Qual das duas casas você escolhe invadir e assaltar? 

2) Suponha que você é um assassino serial. Há dois prédios comerciais cheios de seus alvos prediletos – pessoas – um ao lado do outro. O primeiro é um clube de tiro, onde todo mundo está armado; o segundo é uma universidade, onde ninguém está armado. Qual dos dois você invade para promover uma chacina? 

3) Suponha que você é um estuprador. Há duas edificações isoladas na periferia da cidade. A primeira é o dormitório feminino do centro de treinamento de tiro e defesa pessoal da polícia militar; a segunda é  o convento das irmãs carmelitas descalças. Qual dos dois você invade para estuprar uma novata? 

4) Suponha que você é um político corrupto que quer dar um golpe de Estado. Há duas possibilidades legislativas a seu dispor. A primeira é promover um amplo acesso às armas para a população honesta, alegando que armas nas mãos de pessoas honestas ajudam a promover a segurança; a segunda é promover o desarmamento da população honesta, alegando que armas nas mãos de pessoas honestas aumentam a violência e a criminalidade. Qual das duas você implementa para preparar o golpe? 

A caixa de comentários está aberta para todos, armamentistas e desarmamentistas. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 22/10/2012 

93 thoughts on “Quatro perguntinhas sobre o desarmamento

  1. O exemplo de Kennesaw é realmente muito bom, e eu não o conhecia até então. O problema é a transposição dos efeitos do praticado numa cidade pequena dos States que nos últimos dez anos só teve meia duzia de acidentes de carro e que tem uma boa renda per capta mensal para o Brasil.
    Os três problemas básicos do Brasil (corrupção, desigualdade social e ignorância da população), se não tratados de maneira convincente, praticamente inviabilizam o armamento da população a curto prazo.
    Um porque um sistema de distribuição de licenças/portes corruptível baratearia o custo da arma para a bandidagem, já que pagar um café para um funcionário liberar uma arma legal para alguém com antecedentes criminais é mais barato que assaltar uma delegacia ou trazer a arma do exterior ilegalmente. Sendo assim, o sistema tem que ser virtualmente incorruptível, o que dada as atuais circunstâncias é algo complicado.
    Dois porque se a população pobre não tiver condições de se armar, haverá um fluxo natural da bandidagem do centro para a periferia das cidades. Claro que isso poderia ser compensado com o deslocamento da policia do centro para a periferia, mas é algo politicamente muito complexo. Sendo assim, deve haver algum meio de possibilitar que todos, inclusive os pobres, tenham acesso ao armamento, sob pena de o armamento civil da população ser apenas mais um elemento de segregação social. (Bolsa-Arma?)
    Por fim, uma população ignorante e destreinada armada pode causar diversos acidentes e crimes passionais. Basta pensar como seriam agitadas as brigas dentro dos assentamentos de sem-terra se todos estivessem armados, lembrando que a enorme maioria deles é mentalmente apta e não tem antecedentes criminais. Sendo assim, deve haver um treinamento/educação intensivo à pessoas que vão se armar, com diversos testes, exames, provas, que tenham um caráter essencialmente infalível e incorruptível, o que também é meio difícil no Brasil.
    Quanto ao golpe de Estado, acho pouco provável que a questão armamentista vá ter algum impacto. A população armada será apenas mais uma peça no tabuleiro de xadrez do golpista, que, ao contrário do que você pensa, pode se utilizar dela para dar o golpe de Estado. Lula presidente criando o Bolsa-Arma, que garante armamento bélico, nível Iraque, para todos os companheiros e recebedores de bolsa-família, com recursos da CEF. Para que pedir apoio do exército para dar um golpe de estado?
    No fim, a idéia do armamentismo em si é boa, mas não vejo como os benefícios colhidos no exterior possam ser replicados no Brasil sem que antes haja uma reforma profunda das instituições sociais. (maiores penas para corruptos, melhor distribuição de renda, melhor educação para a população).

    1. Muita coisa interessante aqui, que pena que não vi este comentário na época.

      “a transposição dos efeitos do praticado numa cidade pequena dos States (…) para o Brasil.” (Mindigo)

      Tamanho não é documento neste caso. O que importa é o percentual da população honesta efetivamente armada e preparada. Atingindo o nível crítico, que é surpreendentemente baixo se for ostensivo (bem divulgado), o efeito independe do tamanho total da população. 5% é 5% seja de 190 mil ou 190 milhões de habitantes (lógico, há que considerar a distribuição geográfica para que a média seja significativa por região).

      “Os três problemas básicos do Brasil (corrupção, desigualdade social e ignorância da população), se não tratados de maneira convincente, praticamente inviabilizam o armamento da população a curto prazo.” (Mindigo)

      Não, eles simplesmente fazem com que o problema comece a ser resolvido de cima para baixo. E com o desoneramento dos custos hoje artificialmente inflados de uma arma, muita gente poderá comprar uma. Um bom trezoitão de seis tiros pode sair tranqüilo por menos de R$ 400,00. É só eliminar o absurdo de impostos e taxas inventados para tornar a coisa propositalmente inacessível para a maioria.

      “o sistema tem que ser virtualmente incorruptível” (Mindigo)

      Não de novo. O sistema é auto-corretivo na ponta da criminalidade violenta e o registro da autorização de porte deixa rastros que complicam a vida de quem facilitar a ação de criminosos.

      Lembra de me cobrar um artigo sobre pombos, gaviões, retaliadores, ovelhas, lobos e cães pastores. Neste artigo vou explicar direitinho como funciona o modelo que fundamenta a proposta de armamento gradual da população honesta. Uma prévia pode ser encontrada aqui: http://arthur.bio.br/2010/12/03/seguranca/deviamos-adotar-o-sistema-de-seguranca-da-suica#.UOpXC3js1xA

      “Por fim, uma população ignorante e destreinada armada pode causar diversos acidentes e crimes passionais. Basta pensar como seriam agitadas as brigas dentro dos assentamentos de sem-terra se todos estivessem armados, lembrando que a enorme maioria deles é mentalmente apta e não tem antecedentes criminais.” (Mindigo)

      E quem disse que eu me importo se os Sem-Terra se exterminarem uns aos outros? Ou se quadrilhas criminosas se eliminarem umas às outras?

      Uma das partes mais interessantes deste modelo é que ele mostra que o famoso bordão “quem procura acha” é verdadeiro. Um indivíduo armado está seguro entre indivíduos armados treinados e sóbrios, mas tem maior chance de óbito entre indivíduos armados destreinados e intoxicados (em qualquer sentido da palavra, inclusive emocional). Ótimo.

      Quem foge da encrenca terá mais chance de sobrevivẽncia, quem procura encrenca terá mais chance de óbito. Pra mim está perfeito. Quem disse que eu quero proteger os imbecis de sua própria prepotência, beligerância ou estupidez? Eu sou biólogo, eu reconheço o mérito da seleção natural.

      “armamento bélico, nível Iraque, para todos os companheiros e recebedores de bolsa-família” (Mindigo)

      Depois o teórico da conspiração sou eu. 🙂

      Não esquenta, muita gente de oposição estará tremendamente bem armada e treinada para impedir um golpe da “companheirada”.

  2. Depender do Estado ou se virar?
    http://www.youtube.com/watch?v=V9Z4XT1ieAk

    1. HUAHUAHUAHUA!!! Trocar de mão foi ótimo. 😛

      Mas é assim mesmo, nem tá muito exagerado, não… 🙁

  3. Saiu aqui na capa d´O Globo, não sei se no resto do Brasil os jornais deram destaque:
    http://oglobo.globo.com/pais/venda-de-armas-ja-supera-nivel-anterior-estatuto-do-desarmamento-8364133

    1. Neste final de semana eu fiquei meio fora do mundo, lendo coisas técnicas e assistindo alguns documentários, mas amanhã vou fuçar nos jornais daqui e ver se saiu algo, depois te respondo.

  4. Fresquinha Arthur

    Após aprovar lei para porte de armas, criminalidade na cidade de Chicago despenca
    http://spotniks.com/apos-aprovar-lei-para-porte-de-armas-criminalidade-na-cidade-de-chicago-despenca/

    1. Interessante esta frase: “Não é nenhuma coincidência que as estatísticas de criminalidade tenham começado a cair desde que o porte foi permitido. Apenas a ideia de que criminosos não sabem quem está armado e quem não está já possui um efeito dissuasor”,

    2. Julio, VALEU pelo link, vou divulgar isso.

    3. Gerson, eu digo isso há décadas. E tem mais: se o cidadão honesto for bem treinado (ou seja, se a concessão de porte for dependente de treinamento e antecedentes, não de custo e burocracia), a criminalidade despenca, porque o bandido fica com a impressão de que pode haver um cidadão bem treinado para se defender ou defender terceiros em qualquer lugar, a qualquer hora, pelo país inteiro.

      Se 2% da população honesta fosse bem treinada (estilo SWAT) e tivesse porte de arma (porte, não só posse), a violência diminuiria imensamente.

  5. Ás pessoas falam, mas se de porte, as pessoas vão sair por ai atirando umas nas outras, isso é absurdo, nos EUA e nos demais países ninguém, nos EUA você pode porta armas de que calibre for, se a peessoa apontar uma arma pro vizinho ou pra alguém no transito sem um motivo legitimo é preso na hora e recebe uma pena dura.

    1. Ninguém vai sair por aí atirando em ninguém. Que fantasia absurda. Quem fizesse isso acabaria morto em dias. Quanto mais gente com porte de armas, MENOR a possibilidade de alguém sacar uma arma e fazer besteira. O sistema é evidentemente auto-limitante.

  6. Se não me engano o nome da crime é “uso indevido de arma”.

  7. “Ninguém vai sair por aí atirando em ninguém. Que fantasia absurda. Quem fizesse isso acabaria morto em dias. Quanto mais gente com porte de armas, MENOR a possibilidade de alguém sacar uma arma e fazer besteira. O sistema é evidentemente auto-limitante.”

    Essa ideia absurda me cheira muito a complexo de vira-lata.

    1. E esse comentário absurdo me cheira muito a completo desentendimento do assunto, porque se trata exatamente do contrário.

  8. Sobre esse último comentário… as ovelhas aprenderam a obedecer o lobo. Qualquer ovelha que queira pensar fora do cercado e dizer que há algo além de receber comida na boca em troca de não fazer barulho vai ser criticada pelas demais ovelhas. E isso é obsceno. =/

    1. “Obsceno” é uma palavra ótima para descrever isso. 🙂

  9. “E esse comentário absurdo me cheira muito a completo desentendimento do assunto, porque se trata exatamente do contrário”

    estava de acordo com o seu comentário, fiz reforçar, entendeu errado…

    1. Pô, Julio… Citaste ipsis literis o meu texto e comentaste embaixo “essa idéia absurda”. Querias que eu entendesse o contrário do que escreveste?

  10. “Sobre esse último comentário… as ovelhas aprenderam a obedecer o lobo. Qualquer ovelha que queira pensar fora do cercado e dizer que há algo além de receber comida na boca em troca de não fazer barulho vai ser criticada pelas demais ovelhas. E isso é obsceno. =/”

    Drogas! 🙂

    1. Só cigarro de tabaco pra mim, por favor… =)

    2. Não entendi nada.

    3. Você comentou, Julio concordou, mas houve falha na comunicação, eu concordei com você e com o Julio e acho que houve falha na comunicação de novo. Eu não uso nenhum entorpecente que vá me jogar na cadeia, por isso o “só cigarro de tabaco pra mim, por favor” em resposta ao “Drogas! :-)” do Julio, que confesso não ter entendido… 😛

    4. E eu que pensava que produzia um blog e não salada. 😛

  11. http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/2015/02/20/video-desarmamento-nao-diminuiu-criminalidade-no-brasil-numero-de-homicidios-praticado-com-arma-de-fogo-aumentou/

    […1) Um levantamento internacional feito por uma ONG norte-americana mostra que o Brasil é o 11º país mais violento do mundo.

    2) Desde que o Estatuto do Desarmamento foi implantado, o número de homicídios praticado com arma de fogo aumentou 6,95%. (* O Brasil tem o maior número absoluto de homicídios do mundo, segundo a OMS: 64 mil em um ano.)

    3) A taxa de homicídios brasileira é de 26,8 casos por 100 mil habitantes. A taxa mundial é de apenas 6,2 mortes por 100 mil habitantes…]

  12. E nos Stêitis, os casos bem sucedidos e não notificados de uso de armas para defesa:

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/legislacao/legitima-defesa-com-armas-nao-e-um-mito/

    1. Não vai demorar para nos obrigarem a andar de camisa-de-força para dificultar agressões…

    2. Mais um linquinho, mas não deu pra conferir todos os dados. De repente serve se o Arthur ou alguem mais quiser pesquisar:
      https://www.gunowners.org/sk0802htm.htm

    1. Valeu pelos links. Isso enriquece o blog. 🙂

    1. Essa vai pro Facebook na discussão que estou tendo com o Dr. Plausível. 🙂

    1. Tambem vale a pena ler os comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *