O PCC manda matar policiais porque a sociedade e o Estado brasileiros criam todas as condições necessárias e propícias para o desenvolvimento de um crime organizado poderoso e vingativo. 

1) O Brasil tem políticas públicas populistas, ineptas ou contraproducentes, como é de se esperar em um país culturalmente subdesenvolvido e tomado pela corrupção em todos os níveis administrativos. Num cenário destes, nada é menos surpreendente do que o desenvolvimento do crime organizado. 

2) Uma destas políticas desastrosas é o famigerado Estatuto do Desarmamento, que coloca toda a população honesta do país na situação de quem coloca na porta de sua própria casa um cartaz com os dizeres “sou da paz – não há armas nesta casa”. 

3) Como resultado óbvio do desarmamento do cidadão honesto, as invasões a domicílios e crimes contra a pessoa aumentam. E a percepção de risco por parte da população também aumenta. 

4) A polícia não tem como proteger a população honesta e a estrutura carcerária não permite jogar nas masmorras todo o contingente de miseráveis fabricados pela sociedade de consumo que acabam se tornando pequenos criminosos.

5) Com o agravamento da insegurança, a população envereda para a intolerância e começa a exigir que a polícia mate criminosos e suspeitos ao invés de prender. 

6) A polícia, despreparada, sucateada e infiltrada por indivíduos inescrupulosos, por corruptos e por criminosos com agendas próprias,  perverte o propósito da instituição e começa a matar criminosos e suspeitos ao invés de prendê-los (melhor dizendo: aumenta seus índices, porque o problema é antigo). 

7) O PCC, perante a quebra das regras do jogo e sem ter muito mais a perder quando potencialmente toda viatura se torna a ante-sala do caixão, resolve retaliar e fazer a polícia e a população em geral provarem do seu próprio veneno. 

8) Como o bandido que mata policial costuma ser “misteriosamente” morto em “troca de tiros” ou transferido para um presídio dominado por uma facção rival, o PCC aproveita o novo poder concedido ao crime organizado pelo Estatuto do Desarmamento para terceirizar os homicídios de policiais. 

Até aqui o artigo só descreveu objetivamente o problema, tal como se apresenta. Daqui em diante eu passo a opinar. 

Como NÃO resolver o problema?

Acirrando os ânimos. Intensificando o conflito. Gerando mais pânico. Aumentando a contagem de cadáveres, o ódio e o ressentimento de todos os lados. Todo discurso a essas alturas que contiver a expressão “não podemos admitir” só piora a situação, porque ou é conversa mole pra boi dormir ou é mais um passo na direção errada. 

Como RESOLVER o problema?

A curto prazo, colocando a vida da população acima do orgulho dos ineptos e mal-intencionados que criaram essa situação: propondo um armistício e determinando às polícias que recuem no “combate ao crime” e se limitem a tentar proteger o cidadão honesto – simplesmente porque não é possível confiar que as atuais polícias, de um dia para o outro e sem alterar suas composições, passem a agir dentro da lei.

Explicação importante: o crime organizado se pauta primordialmente pelo lucro e costuma fazer boas análises de custo-benefício, pelo que é altamente provável que suspenda os ataques tão logo perceba que o armistício é sério. Se isso não ocorrer, entretanto, teremos certeza de que existe uma intenção política por trás da onda de execuções – uma informação tão importante que é capaz de forçar a paz caso realmente exista algum grupo político manipulando a situação. 

A médio prazo, depurando radicalmente as polícias e empoderando os cidadãos honestos com a revogação do Estatuto do Desarmamento e a facilitação do porte de arma para o cidadão honesto e capacitado. 

A longo prazo, com políticas públicas inspiradas nos países que deram certo.

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 19/11/2012

19 thoughts on “Por que o PCC manda matar policiais?

  1. Faltou colocar nas contas o fato da lei dar bilhões de reais ao crime organizado ao dar a eles o monopólio da produção, distribuição e venda de drogas.

    1. Isso é mais uma das “políticas públicas populistas, ineptas ou contraproducentes” de que o Brasil está lotado.

  2. Algumas considerações.

    1. Considero “complexo de vira-lata” dizer que o Brasil é “culturalmente subdesenvolvido”, mas vale ressaltar que o crime organizado se desenvolve também nos EUA, na Rússia, na Itália, no Japão, na China etc.

    2 e 3. Não existem dados no site da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo que corroborem a informação do aumento das invasões a domicílios em função da aprovação do Estatuto do Desarmamento. Não me parece também que esse crime seja a agenda ou especialidade do PCC.

    4. Por quê a polícia não tem como proteger a população honesta? Não é exatamente essa a sua função?

    5. A população pode se enveredar pela intolerância o quanto quiser, mas isso não lhe dá condição de exigir nada da polícia. Ou então nós teremos de admitir que a polícia cumpre ordens da população e não de seu comando, o que não parece ser o caso.

    A verdade é que a polícia (militar) sempre vai refletir a ideologia de quem a comanda e no caso de São Paulo existe uma ideologia de confronto, “tolerância zero”, “senta o dedo”, “atira primeiro e pergunta depois”, “vagabundo bom é vagabundo morto”. Essa ideologia nasce dentro do Governo do Estado (tucano há duas décadas).

    A solução para minimizar a onda de violência atual deve priorizar a prevenção em vez do confronto, a articulação e inteligência para a solução de crimes, o isolamento dos líderes que se encontram dentro das prisões e de lá emitem ordens para os ataques, o combate ao tráfico de drogas e armas de forma a atingir economicamente o PCC.

    Não me parece adequado armar o restante da população com intenção de diminuir a violência. Seria como tentar apagar um incêndio com gasolina.

    1. 1. Não é complexo de vira-latas diagnosticar que o Brasil é um país culturalmente sub-desenvolvido (e que o brasileiro sofre de sofre de complexo de vira-latas, mas isso é outro assunto). Basta pensar se aqui daria certo colocar na rua aquelas maquininhas de venda de jornal em que o consumidor insere uma moeda, a máquina abre expondo todos os jornais que contém, o cara pega UM jornal e fecha a máquina de novo. Isso pra não falar da máquina de compra de votos que o governo federal instituiu com dinheiro público.

      2 e 3. Depois que eu descobri que os dados sobre homicídios estavam sendo mascarados para forjar uma avaliação positiva do Estatuto do Desarmamento, vou confiar nos dados oficiais sobre invasões de residências?

      Mas não importa que esse não seja o mainstream do PCC, importa que a população tenha medo disso.

      4. Por vários motivos: porque é impossível policiar toda a cidade ao mesmo tempo; porque é impossível atender todos os chamados no mesmo tempo que é possível sacar uma arma para se defender; porque o interesse, o esforço e a efetividade de um sujeito pago para fazer uma tarefa é muito menor do que o interesse, o esforço e a efetividade de quem está realizando essa tarefa para salvar a própria vida; porque as próprias polícias estão impregnadas de indivíduos corruptos e criminosos, etc. Isso pra ficar no óbvio.

      5. O PM segue ordens do comando, que segue ordens dos políticos, que se preocupam em fazer jogo de cena para ganhar votos enquanto roubam adoidado. Se a população quer matança, então isso acaba impregnando toda cadeia hierárquica – sem falar do fato que o soldado da PM é um cara que veio do povo e que compartilha da mesma cultura. Quando a gente lembra que a diferença entre um soldado da PM e um outro cidadão médio qualquer é que um deles buscou um estilo de vida permanentemente envolvido com a violência e com a criminalidade e que tudo que teve que fazer para receber autoridade e armamento do Estado foi uma prova escrita e exercícios físicos, a coisa fica mais clara.

      Daqui pra diante não numeraste, então vou usar letras para não confundir tudo.

      A. Essa ideologia não nasce do governo do PSDB. Ou, se nasce, não vinga porque o tucano é uma ave bonitinha. Há condições bem objetivas que tornam o terreno cultural fértil para o crescimento de ideologias intolerantes e repressivas. O comentário mais ouvido entre a população da Noruega, perante o massacre promovido por Anders Breivik, foi “tomara que ele use esse tempo na prisão para pensar no erro que cometeu e no mal que perpetrou”. Pra mim isso já chega ao extremo da bundamolice, mas é evidente que na nossa cultura o tipo de comentário é bem outro – como podemos lembrar do episódio do Massacre do Realengo, perpetrado por Wellington Menezes de Oliveira.

      B. Não. A solução para minimizar a onda de violência atual A CURTO PRAZO é fazer a PM recuar. Não dá tempo de “priorizar a prevenção em vez do confronto” quando já temos uma dúzia de homicídios por dia coordenados por uma facção criminosa ou pela polícia colocando a culpa numa facção criminosa. A MÉDIO PRAZO nenhuma das coisas que citaste é factível sem uma forte depuração das forças policiais. E A LONGO PRAZO a segurança não é mais uma questão de “política de segurança”.

      C. Tire as armas da polícia. Armar a polícia para diminuir a violência é combater um incêndio com gasolina.

      Ah, um policial armado é diferente de outro cidadão armado? É mesmo? Por quê? Distintivos policiais são mágicos? O treinamento que o policial recebe não pode ser oferecido para quem não tem um distintivo de policial? Os critérios para um policial receber uma arma são inacessíveis para quem não tem um distintivo de policial?

      Fato incontestável: pessoas desarmadas são mais vulneráveis do que pessoas armadas. Milhões de anos de evolução biológica não mostraram em lugar algum no planeta que o melhor predador é aquele que menos tem garras e presas para predar, nem que a presa que sobrevive é aquela que não reage e conta com a misericórdia do predador ou com a proteção de um terceiro para continuar viva. Todo governo que me desarma é meu inimigo.

  3. Golgo,
    Tem um dado super-hiper-ultra importante q vc não computou aí. Todos sabem q São Paulo não é Londres, né? Mas tem um dado sobre a diferença entre as duas: a conurbação chamada Grande São Paulo tem aproximadamente a mesma área q a conurbação chamada Grande Londres. Mas enquanto q a GSP tem uma população de quase 20 milhões, a GL tem apenas 8 milhões. ¿Já viu aqueles experimentos em q o pesquisador vai adicionando ratos num ambiente pequeno pra verificar qual a densidade crítica em q eles começam uma guerra civil? Então.

    Bandido não se arrisca: só ataca qdo se sente seguro. Uma conurbação de 20 milhões de descontentes durante uma onda de medo é o lugar mais seguro q um bandido pode achar.

    (Si vc for pesquisar pra checar esses dados, cuidado: geralmente aparecem os dados da *Grande* Londres comparados com os dados da *Cidade* de São Paulo. Vc tem q achar os dados das conurbações.)

    1. Sim, eu sei disso. Já escrevi em algum lugar que a única solução para São Paulo é ser desconstruída e reduzida a no máximo 2 milhões de habitantes, com o resto sendo espalhado pelo país em cidades-filhas planejadas. Fui chamado de louco a ridículo, fora os palavrões.

      Ninguém está interessado em gastar tanto dinheiro só para salvar alguns bilhões de vidas do sofrimento ao longo de séculos. A vida humana só é valiosa nos discursos. Na prática a conta é outra.

  4. Blue Na Resistencia

    23/11/2012 — 12:44

    Há algumas considerações a mais para serem tomadas… uma delas se coloca como a mais importante, qual seja: a ideologia dos movimentos revolucionarios que desaguaram nos partidos esquerdistas que hoje governam o pais… nada mais natural que observar o quanto a esquerda é afeita ao banditismo, mais precisamente mafioso… vide o caso da mafia russa, hoje a manda-chuva das demais em todo o globo… ela nasceu dentro da KGB, atual FSB… é regra que, movimentos revolucionarios usem de mão-de-obra junto aos marginais para usa-los contra a população para promover a guerra entre as classes que desaguará no caos e necessariamente em uma nova ordem onde os mafiosos esquerdistas estarão preparados para cortar cabeças dos idiotas uteis que trabalharam a seu lado… a partir dai passarão a governar sozinhos com mãos de ferro… para verificar isso basta que observemos a historia recente dos paises ditos socialistas… em todos os casos houve a ascensão de uma mafia que se infiltrou no poder via parlamento e principalmente no poder administrativo… outra consideração a ser observada é quanto ao mecanismo de legislar atraves de atos normativos administrativos e politicas chamadas compensatorias que pervertem os valores morais da população com fins de dominação e implementação de uma agenda de reengenharia psico-social… ai temos o dominio dos meios de comunicação, as politicas de segregação dos grupos minoritarios da sociedade, criando guetos e jogando uns contra os outros… ou seja, mais bandidos que os proprios bandidos do PCC são os politicos que lucram com o estado de coisas que tornam a população refem e a prepara psicologicamente para aceitar um governo TOTALITARISTA que querem implantar a todo custo atraves do medo e da opressão, mas de mansinho, para que não percebamos a trama toda…

  5. Blue Na Resistencia

    23/11/2012 — 20:26

    Nos quesitos que vc maestralmente colocou, caro Arthur, tenho que concordar em numero, genero e grau… perfeitamente… mas quero que considere, ou melhor, que comente a possibilidade de estar havendo uma orquestração politica por tras dos moviemtos, diria, friamente calculados do PCC… não lhe parece que alguem lhes assopra aos ouvidos?… ficaria muito grato, dada a sua capacidade de ver os temas com equilibrio, sem contar que me parece informado acima da media… no aguardo… saudações…

    1. Minhas fontes de informação atualmente se resumem à TV e à internet. Não disponho de dados privilegiados. Mas é óbvio que o PCC não deflagrou um movimento de magnitude nacional devido às execuções cometidas pelas polícias do RJ e de SP. Não havia motivo para incendiar ônibus em SC por causa disso, e não me parece razoável que os comandos da criminalidade local se arriscariam a recrudescer a repressão contra si mesmos se não houvesse em jogo objetivos de maior escala que simplesmente retaliar as execuções do RJ e de SP.

  6. Blue Na Resistencia

    24/11/2012 — 01:39

    Então eu vou lhe dar alguns dados, se me achares digno da nota que passarei a lhe ditar… a policia civil de MT, neste mes, juntamente com a PF, localizou e prendeu um cidadão conhecido como “Dragão”, ou “El Bicha”, cujo nome é André Luís Soares (http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1201860)cuja arte maior é passar suas vitimas desta para melhor (?)… até ai nada demais para nossas fartas paginas policiais… acontece que ouvimos de sua propria boca (não posso divulgar minhas fontes, mas as considero fidedignas) que o mesmo teria sido retirado de uma prisão na Bolivia, a mando do PCC (ele é um dos matadores oficial do grupo e teria “empurrado” uns 4 bolivianos por motivos que desconhecemos no momento) pela, acredite, FARC’s… sim, a FARC tem homens na Bolivia que tem livre acesso dentro do territorio boliviano, graças ao prestigio do ditador Chaves ante o indio cocaleiro boliviano… assim ele voltou ao territorio nacional e foi novamente capturado… as folhas policiais atestam sua alta periculosidade… penso eu que, ao observarmos as ações do PCC apenas estamos vendo os caninos do monstro, cuja cabeça esta além mar… explico… também na região fronteiriça (novamente minhas fontes) fora apreendido, ha alguns anos atras, um cidadão brasileiro, de etnia russa (ele professa a fé em uma religião cristã oriunda da Russia cujo a denominação no momento não sei declinar; possuia, acredite, 15 filhos, 15!!! e era um cidadão com aproximadamente 30 anos!!!) que fora detido no aeroporto em virtude de ter tentado embarcar com alguns projeteis de calibre 9mmm… novamente, até ai nada de especial… mas, em conversa com o mesmo (e eu acredito nele) confessou que teria esquecido as capsulas na lateral da bolsa qndo voltou de São Paulo em avião particular… buscando pela “capivara” do mesmo foi encontrada uma acusação de homicidio e uma investigação pela Interpol que dava conta do mesmo ser um agente da mafia Russa… ele tambem declinou que agia, em raras ações, junto a um “comando local” em São Paulo (isso foi antes daquele primeiro famigerado ataque do PCC, ha alguns anos; calculo que foi em 2007, se não me falha a lembrança) como executor de membros que não obedeciam ao comando com a prontidade requerida… hora, para somar os dados não precisa ser um expert em ciencias ocultas ou praticar exercicios de futurologia… esta claro para mim que o PCC esta “ligado” às FARC e por consequencia a mafia internacional Russa, esta que comanda todas as outras no mundo (basta uma pesquisa na net para verificar o qnto os russos mafiosos são poderosos; que o diga o Corinthians)… qual seria então o motivo dos russos quererem desestabilizar o estado de São Paulo?… eles não, mas seus aliados sim, precisaram de uma ajuda para mudar a regra politica atual e fomentar uma reviravolta na dança das cadeiras dos partidos paulistas… será somente delirius tremus de minha parte?… tomara que sim… a razoabilidade me permite assim cocluir… rsrsrsrsr…

    1. Bom, eu não tenho medo de “teorias de conspiração”. Pode ser que sim, pode ser que não, só saberemos investigando. A grande questão é se no Estado brasileiro ainda há algum interesse de investigar e resolver essa encrenca.

    2. …e a legalização da maconha e (talvez) de outras drogas.

      Ô Arthur, esqueceu? Logo você?

      HAUAUAAHAHH!!!

    3. Respondido mais abaixo.

    1. Matar dois PMs quaisquer de um determinado batalhão é mel na chupeta para o crime organizado. Isso só não vai acontecer se a criminochinelagem pau-mandada for muito incompetente.

      O que eu acho engraçado é que todo mundo pensa que o primeiro escalão do PCC pode ser identificado através de escutas telefônicas. Olha o que eles dizem: “Na segunda-feira, uma mensagem vinda de Presidente Venceslau – cidade onde está presa a cúpula da facção – foi interceptada pela inteligência policial.” Como podem ser tão iludidos? A cúpula da facção transita livremente de terno e gravata pelos corredores das instituições do Estado brasileiro – e a cúpula da cúpula nem se dá o trabalho de vestir terno e gravata. Esse pessoal não usa telefone para dar ordens, nem e-mail, nem Facebook. Não é assim que se rastreia tubarão terrestre.

      Eu insisto com toda energia: a primeira coisa que a polícia tem que investigar é a si mesma e ao Judiciário. Com a polícia e o Judiciário depurados, dá pra ir pra cima dos políticos e dos grandes empresários que gravitam ao redor do Estado. Com isso resolvido, a criminochinelagem se desarticula e pode ser contida com relativa facilidade, bastando bons investimentos em educação fundamental e ensino médio-profissionalizante, programas sociais de fomento ao empreendedorismo, facilitação do porte de arma para o cidadão honesto e implantação de infra-estrutura urbana nas favelas.

    2. Gerson B
      dezembro 3rd, 2012 às 21:44

      …e a legalização da maconha e (talvez) de outras drogas.

      Ô Arthur, esqueceu? Logo você?

      HAUAUAAHAHH!!!

      Cara, tou cansado demais, segunda vez que posto na conversa errada 🙁 .
      E eu falando do teu esquecimento…

    3. ISSO. Bá, eu estava tão focado no problema da polícia que esqueci deste “detalhe”. Não rola diminuir a violência sem a legalização das drogas, óbvio. A proibição/repressão das drogas é o gerador de criminalidade e violência número um da atualidade e precisa ser eliminada com urgência se não quisermos assistir o crime organizado chegar a um patamar de organização superior ao da máfia estadunidense do tempo da lei seca.

      .

      .

      .

      … Hã? Esquecimento? Do quê mesmo? 😛

  7. Blue Na Resistencia

    03/12/2012 — 19:46

    rsrsrsrsrsrs… Arthur para presidente… rsrsrsrsrs… galhofas a parte, tu tens razão… mas isso so vai acontecer qndo nós, os que pagam os impostos e mantem essa catrevagem toda no bem-bom, tomarmos consciencia de nossas culpas e partimos para cima deles, seja no voto ou na pedrada mesmo… esperar que passeatas organizadas em prol de uma paz que não vira do jeito que esperam, é bomocismo estupido… nunca entregarão o ouro sem pressão máxima da sociedade… o resto é discurso de fefeleche…

    1. Blue, o problema é que não temos uma alternativa eleitoral. Todos os grandes partidos de hoje estão corrompidos até o cerne e nenhum dos pequenos partidos de hoje possui uma estratégia de bloqueio para impedir que a corrupção tome conta quando eles crescerem. Muito complicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *