Pois ontem eu estava conversando com duas amigas minhas e uma delas me perguntou quem era esse tal de Manoel Barbosa ou Marcos Barbosa. Eu não sabia de ninguém com esses nomes e ela esclareceu: esse negão aí desse tal de mensalão. 

Joaquim Barbosa? – perguntei. 

Isso! – disse ela. 

Expliquei então que Joaquim Barbosa era ministro do STF. 

Ela não sabia o que era STF. 

Supremo Tribunal Federal – disse eu. 

Tá, mas o que é isso? – perguntou ela. 

Supremo Tribunal Federal – expliquei – é a Suprema Corte do Brasil. 

E o que é isso? – perguntou ela novamente. 

Suprema Corte é o órgão máximo do Poder Judiciário de um país – expliquei. 

E o que que é Poder Judiciário? – perguntou ela. 

É um dos Três Poderes de um país – expliquei. Os países têm o Poder Legislativo, que é o que faz as leis, o Poder Executivo, que é quem administra o país de acordo com as leis, e o Poder Judiciário, que é quem julga os casos em que houve desrespeito à lei. 

Ah, tá. E esse negão é o quê? – perguntou ela. 

É o presidente do STF – esclareci. 

Mas o presidente não é o Lula? – perguntou ela. 

Não – disse eu. O Lula foi presidente da República, ou seja, do nosso país, que é uma república. Se o Brasil fosse uma monarquia, teria um rei. Se fosse uma tirania, teria um ditador. Nas repúblicas os políticos são eleitos pelo povo. E a presidente da República agora é a Dilma. 

E quando foi que o Joaquim Barbosa foi eleito ministro do STF? – perguntou ela. 

Nunca – respondi. Ele foi escolhido para compor o STF pelo presidente da República, como manda a Constituição, e depois foi eleito presidente do STF pelos outros ministros do STF. Eles têm a tradição de sempre eleger presidente o ministro mais antigo da casa. 

Que casa? – perguntou ela. 

O STF – disse eu. 

E o que é esse tal de mensalão? – perguntou ela. 

É um esquema de corrupção organizado pelo PT – disse eu. Ficou provado na Justiça, no STF, que o governo Lula subornava parlamentares para votar a seu favor. 

O que que é parlamentares? – perguntou ela. 

São os membros do Parlamento – disse eu – que no Brasil é chamado de Congresso Nacional e é dividido em duas casas, o Senado e a Câmara dos Deputados. Os parlamentos são os órgãos políticos onde são discutidos assuntos políticos do país e onde são feitas as leis. 

E os vereadores, servem pra quê? – perguntou ela. 

Eles também fazem leis – expliquei – só que as leis que eles fazem só valem nas cidades onde eles são eleitos. Os deputados estaduais fazem leis que são válidas nos estados em que são eleitos e os deputados federais e senadores fazem leis que valem para o país inteiro. 

E esse negão faz lei que vale onde? – perguntou ela. 

Ele não faz leis – respondi – ele julga quem viola as leis. Ele é um juiz. Foi ele o relator do processo do mensalão, ou seja, foi ele que organizou todas as informações do processo para o STF analisar e decidir se houve ou não houve os crimes dos quais são acusados vários dirigentes do PT e outras pessoas ligadas ao PT. 

E houve crime ou não houve? – perguntou ela. 

Claro que houve – disse eu – tanto que o José Dirceu, o José Genoíno, o Delúbio Soares, o Marcos Valério e vários outros petistas foram condenados. Houve condenações por formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, etc. 

Tá, vai começar o filme – disse ela. 

OK – disse eu. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 13/12/2012

37 thoughts on “Quem é esse negão desse tal de mensalão?

  1. Eu não sei se eu te parabenizo pela paciência ou se fico triste pelas suas amigas.

    1. Uma coisa não é incompatível com a outra. 🙂

      Mas o que me deixa louco é que estas minhas amigas são muito representativas da cultura de toda uma classe social bastante numerosa.

    1. Não vi o filme. Elas ficaram assistindo e eu saí para passear e conversar ao telefone com o Pink para fazer um plano para dominar o mundo. 🙂

  2. Arthur, se vc recortar exatamente esse diálogo, e colocar dois personagens conversando daria uma ótima cartilha. Até já consigo visualizar aqui, rsrsrs … Parabéns pela paciência (2)

    1. Eu fico pensando se adiantou alguma coisa eu explicar do modo mais simples, direto e rápido. Será que alguma coisa ficou? Será que isso vai mudar 0,001% do entendimento delas?

    1. Uma vez escoteiro, sempre professor. 😛

  3. Absurdo é ver que discutimos, todos, pelo nada.

    E alguma delas é formada em Direito?

    1. De todas as perguntas absurdas que eu poderia imaginar, essa superou os limites.

  4. Falando em “negão”, prova daquilo que você vem falando há anos: os movimentos são baseados em revanchismo e rancor, e não em igualdade: http://www.youtube.com/watch?v=1uC_a0lskfY&feature=youtu.be

    1. Sim, esse vídeo com esse discurso de ódio está circulando por todo lugar. Trata-se de um evidente manifesto racista e de uma infame peça de reivindicação de exclusão social dos brancos, mas os racistas que produziram o vídeo não estão encarcerados – pelo contrário, estão posando de heróis por terem dito todo aquele lixo.

  5. E o Bosa entrou no lugar do poeta que acredita em duendes quânticos. No que será que acredita o Bosa? Pôneis malditos, pôneis malditos, ….

    1. Já que é pra pirar…
      http://charges.uol.com.br/2012/09/20/joaquim-supreme-gangnam/

      Diferente dos pôneis malditos (que eu adoro) este pode ser util pras amigas do Arthur. Mais didático, talvez, tipo “aprenda inglês com música”…

    2. Arthur,
      Desculpea demora na resposta, nem sei se você verá isso. No julgamento do Mensalão o Bosa agiu como um justiceiro desvairado, agora na questão da cassação dos deputados ele cita idilicamente a democracia americana (no que foi vergonhosamente desmentido pelo Élio Gaspari). Quem se opõe ao PT deve ter se sentido vingado com a atuação do STF. Mas um julgamento político que se conclui com a reescrita (não apenas reinterpretação) da constituição me enche de nojo e de medo. Pode-se até argumentar que a culpa é do próprio PT que indicou a maioria do STF (o poeta dos duendes quânticos inclusive já foi petista), e em particular o Bosa e o Fiuks. Mas eu tenho uma estranha mania de achar que um adulto estudado e lúcido deve responder sozinho pelas decisões que toma.

    3. De vez em quando acontece de eu perder algumas respostas, normalmente quando sou obrigado a passar alguns dias sem entrar na internet, mas eu tomo cuidado para que isso não aconteça. 😉

      Também não gosto de reinterpretações da CF e da lei. Na verdade não gosto nem das interpretações. Acho o cúmulo da desfaçatez alegar que uma frase de sentido claro tem que ser “interpretada” para que se descubra seu “verdadeiro” sentido. Isso é safadeza pura.

      E concordo integralmente com tua última frase.

  6. o estranho é que ela fez muuuitas perguntas; típico de pessoas curiosas
    (no bom sentido)e que não se envergonham de sua ignorância
    (ponto positivo tambem). essas duas características costumam tornar tais
    pessoas bem antenadas.

    1. Acontece que elas sabem que eu respondo na boa e explico direito. Aí não rola constrangimento para perguntar.

  7. Perguntei em cima sobre o “ser formado em Direito”, Arthur, porque o Brasil, nesses absurdos que só existem por aqui, tem inúmeros bacharéis que não sabem como funciona o sistema legal brasileiro mesmo tendo estudado por cinco anos sobre o assunto.

    Antas por antas, prefiro as realmente ignorantes, e as que não se envergonham de perguntar.

    1. Pô, mas a ponto de não saber o que é STF? Existe bacharel em direito ignorante a esse ponto? 😮

    2. Você se surpreenderia, Arthur.

    3. Eu não canso de me surpreender. Já conheci pneumologista fumante, cardiologista obeso mórbido e intelectual marxista. Se isso pode, tudo pode.

  8. Bons tempos aqueles em que os professores ensinavam e os aluns aprendiam.

    Analfabetos funcionais,quantos serão?

    1. Mais de cem milhões, aposto.

  9. Só lamento que “elas” não passem por aqui. 😉

    1. O que mais tem por tudo quanto é lugar é gente que desconhece o mundo. Nunca imaginei que isso fosse tão grave até começar a fazer amizades com pessoas de outras origens sócio-econômicas. É assustador.

  10. Vitor Diniz

    17/12/2012 — 14:16

    Vai me desculpar, mas essas amigas, hem?

    1. São gente boa, mas tão alienadas quanto 90% do povo brasileiro.

  11. Blue Na Resistencia

    17/12/2012 — 21:36

    🙂 intelectual marxista!!!… rsrsrsrsrsrsrsrsrsr… quase mijei de rir… que incongluencia!!!… rsrsrsrsrsrsrsrsrsr…

  12. Véio… vou publicar isso agora…

    1. Tema pra reflexão sobre democracia.

  13. Bem vindo ao Brazil…

    1. Pra ti é fácil dizer isso, Paulinha… Hehehehe… 🙂

  14. Luiz Valente

    13/02/2013 — 21:46

    Obrigado por me esclarecer sobre a camara , o senado, os vereadores, os deputados e os juízes.
    Faço um curso superior de elite na universidade federal do meu estado mas sinceramente não sabia a função exatamente de todos estes cargos políticos com exatidão.

    enfim, não está na grade curricular de nenhum ensino que eu tenha feito.
    porran.

    Bom saber que desinformação é um mal coletivo no brasil e que não vê cara, cor ou classe.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: