Tropecei nessa notícia: Médico confunde tiro em abdome com sintoma de fome. Nenhum comentário sobre “medicina degenerada” e quejandos. Não é este o caso. Isso não foi “erro médico”, foi falta de cérebro de TODOS os envolvidos. O taxista foi ao hospital POR QUÊ? Quanto a mim, quero apenas saber onde comprar uma passagem no ônibus espacial. Só de ida. 

10 thoughts on “Médico confunde tiro em abdome com sintoma de fome

  1. E a situaçao só tende a piorar, Arthur…

    1. No mundo todo, em todas as áreas, eu vejo as pessoas fazerem cada barbeiragem de assustar. Isso é alguma nova epidemia?

    2. Se for, espero nao ser acometido por essa “síndrome da profissionalidade de bost#”. Estou adentrando o terceiro ano do ensino médio e é cada vez maior a quantidade de jovens buscando profissoes UNICAMENTE por dinheiro (em especial, o curso de medicina).
      Assim sendo, torna-se uma questao de tempo p vermos absurdos como o do artigo 😐

    3. Ter um código de ética firme é a solução para isso, Pedro. Um código de ética pessoal, que fique bem claro. Um senso de responsabilidade, qualidade e boa vontade que não é necessário ser cobrado por terceiros.

  2. vou passear de novo por uns tempos antes de vir aqui…este blog tem uma tendencia muito peculiar a maltratar a classe medica, acima de quaisquer outras profissioes, e isso, eu nao preciso ficar lendo. Sugiro uma analise de consciencia para tentar entender a razao para tal. Eu nao estou tirando razao nos relatos, nem dizendo que uma classe profissional seja perfeita. Apenas anotando uma tendenciosidade. Tenham um excelente ano.
    Good bye.

    1. Afff… Eu disse que “Nenhum comentário sobre “medicina degenerada” e quejandos. Não é este o caso. Isso não foi ‘erro médico’ (…)”!!!!!!!!

      Eu apenas descrevi um caso que tipicamente se encaixa no arquétipo intelectual do Darwinito, que está ali no alto à esquerda do blog desde seu início. Tanto é que disse “que foi falta de cérebro de TODOS os envolvidos. O taxista foi ao hospital POR QUÊ?

      Incluem-se em “TODOS” o próprio taxista (como é que o cara é baleado e não pergunta pela bala e pelo estrago que ela pode ter causado?), a passageira, o médico, os enfermeiros, os familiares do ferido, enfim, “TODOS os envolvidos”.

      Eu teria escrito exatamente a mesma coisa se o caso fosse de um bombeiro chamado para apagar um incêndio que chegasse ao local do fogo, tirasse um gato de cima de uma árvore e fosse embora sem apagar as chamas.

      Foi totalmente aleatório o fato de um absurdo que me chamou a atenção envolver um médico.

    2. Aliás… Não é de hoje que eu digo essas coisas, nem que eu quero uma passagem só de ida no Ônibus Espacial… http://arthur.bio.br/2011/04/01/planeta-dos-macacos/darwinito-rulez#.UOACenjs1xA

  3. vou passear de novo por uns tempos antes de vir aqui…este blog tem uma tendencia muito peculiar a maltratar a classe medica, acima de quaisquer outras profissioes, e isso, eu nao preciso ficar lendo. Sugiro uma analise de consciencia para tentar entender a razao para tal. Eu nao estou tirando razao nos relatos, nem dizendo que uma classe profissional seja perfeita. Apenas anotando uma tendenciosidade.(Paula)

    Paula…é a classe médica que maltrata os pacientes.
    Os erros são tão comuns que parecem ser propositais.
    São os maus médicos que acabam com a classe,e os que sobrevivem a erros tão grosseiros só podem esbravejar.
    Todas as profissões possuem seus péssimos representantes. No caso dos médicos é mais grave porque é a vida que está em jogo.
    E mais, os médicos tendem a acobertas erros de colegas.

  4. E aí Dogbert?

    Tinha ficado devendo uma resposta aqui neste tópico:

    http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=111500261&tid=5741537768279184244

    Vc aparece por lá, ou posso responder aqui mesmo?

    1. Responde lá para os moderadores ativos lerem. E dá uma passeada pelo blog, aqui tem uma turma que gosta do PT tanto quanto tu. 🙂

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: