O Bicho Papão, a Mula Sem Cabeça, o Diabo, o Boi da Cara Preta e a Bruxa são os vilões imaginários que protagonizam a bem bolada e bem humorada campanha “O Amor é a Melhor Herança” da RBS. O problema são as mulas sem cabeça da vida real. 

Nesta campanha, os “Monstrinhos da RBS” se mostram indignados com quem maltrata as crianças e perguntam ao telespectador:

– E o monstro sou eu?

A intenção é muito evidente: mostrar que o verdadeiro monstro é quem maltrata crianças. Tão ingênuo. Tão singelo. Tão óbvio.

Como – raios! – alguém lê a pergunta “Quer saber o que o Bicho Papão, a Mula Sem Cabeça, o Diabo, o Boi da Cara Preta e a Bruxa têm a dizer sobre educação?” e responde “o que o diabo pode ensinar de bom se ele só veio para roubar, matar e destruir” como se estivesse falando de um indivíduo real???!!! 

Diabo é a educação no Brasil

Como alguém lê essa pergunta e responde “Diabo do Bem?? Ã? Faz-me rir essa RBS, hein?”com ares de superioridade, quando está evidente que não entendeu a ironia superultramegaóbvia da campanha?!

Como alguém lê essa pergunta e responde “Sem palavras… #QuePaísÉesse” ou simplesmente “não”, como se estivessem sendo anunciados conferencistas reais cujas credenciais fossem inadequadas para se pronunciarem sobre o tema?!

A Mula Sem Cabeça sentiria vergonha alheia se pudesse ler essas coisas. Diria que esse povo é praticamente analfabeto funcional. E que monstruoso mesmo é o futuro de um país com essa qualidade de educação. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 08/08/2013

12 thoughts on “As Mulas Sem Cabeça falando do Diabo

  1. Não me admira que o inferno está “cheio de boas intenções”.

  2. De uma certa forma os comentários apoiam a campanha. As pessoas leem eles e pensam:”Nossa, precisamos de uma educação de qualidade urgentemente” heauheauheauhae…

    1. Hehehehehe… 🙂 É, mas o problema é que quem tem essa sacada não é o público-alvo da campanha.

  3. Eduardo Marques

    08/08/2013 — 22:56

    O burro do Shrek também (ali na direita)?

  4. Estava me referindo a indagação “diabo do bem”. É claro que o tinhoso gosta de posar de bonzinho com ar singelo “benévolo”.
    Esse negócio que o pessoal fez, fizeram uma salada com os outros mitos da maneira que foi feito, é de uma desonestidade cultural inaceitável. Por isso que eu me referi ao termo “o inferno está cheio de boas intenções”

    1. Mas a idéia é justamente essa! Mostrar tudo quanto é bicho ruim do folclore indignado com quem maltrata crianças – porque quem maltrata crianças é que é o verdadeiro monstro.

  5. Por isso que ela é péssima, pois vejo distorções do folclore. Se estou certo ou errado, daqui 10 anos veremos se ela surtiu algum efeito. Torço que ela dê certo.Vamos ver se as monstruosidade contra as crianças serão diminuídas.
    Entendi a mensagem, porém toci o meu nariz para ela. Basta ver a quantidade de ironias vistas ali e aqui.

    1. Entendi.

      O que me incomoda mesmo, vai aqui um desabafo, é que o objetivo da campanha acaba se tornando secundário ao formato da campanha.

  6. Fico com pena é de ver a bruxa. As mulheres sábias, que não queriam dar pros padres ou só histéricas que foram torturadas e mortas reduzidas a um símbolo do mal. Pela propaganda de seus algozes.

    1. Bom, felizmente aquilo acabou. É uma vergonha que ficou no passado.

      E o estereótipo hoje rende boas histórias em quadrinhos e séries de TV. 😉

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: