Aquecimento global desmascarado? Ou: como mentir distorcendo verdades científicas

O leitor Max me perguntou o que eu acho do artigoGlobal warming debunked: NASA report verifies carbon dioxide actually cools atmosphere(Aquecimento global desmascarado: relatório da NASA mostra que o dióxido de carbono na verdade resfria a atmosfera). Minha resposta: isso é lixo desinformativo. Explico. 

Para facilitar o acesso de todos à questão, vamos traduzir essa bomba. Ou melhor, o Google Tradutor vai traduzir e eu só vou aparar as arestas: 

Praticamente tudo o que foi dito pela comunidade científica dominante e os meios de comunicação sobre os supostos malefícios de gases de efeito estufa, e em particular o dióxido de carbono, parece ser falsa, de acordo com novos dados compilados pelo Centro de Pesquisas Langley, da NASA. Como se vê, todos os gases de efeito estufa na atmosfera, que Al Gore e todos os outros fraudadores do aquecimento global há muito dizem causar superaquecimento e destruição de nosso planeta estão, na verdade, resfriando-o, com base nas últimas evidências. 

Conforme relatado por Principia Scientific International (PSI), Mlynczak Martin e seus colegas sobre a NASA rastrearam emissões de infravermelho de alta atmosfera da Terra durante e após uma tempestade solar recente, que ocorreu entre 8 e 10 de março. O que eles descobriram foi que a grande maioria da energia liberada pelo sol durante esta imensa ejeção de massa coronal (CME) foi refletida de volta para o espaço ao invés de depositada na baixa atmosfera da Terra. 

O resultado foi um efeito de resfriamento global que contradiz completamente as alegações feitas pela própria divisão de climatologia da NASA de que os gases estufa são a causa do aquecimento global. Como ilustrado pelos dados recolhidos usando Sondagem da Atmosfera usando Banda larga de Emissões Radiométricas  (SABER), tanto dióxido de carbono (CO2) e óxido nítrico (NO), que são abundantes na atmosfera superior da Terra, gases de efeito estufa refletem energia térmica ao invés de absorvê-la. 

“O dióxido de carbono e óxido nítrico são termostatos naturais”, diz James Russell da Hampton University , que foi um dos investigadores principais para o inovador estudo SABER. “Quando a atmosfera superior (ou ‘termosfera’) aquece, essas moléculas tentam tão intensamente quanto possível lançar o calor de volta para o espaço.”

Quase toda a radiação térmica gerada pelo sol é impedida de entrar na baixa atmosfera por CO2

De acordo com os dados, até 95 por cento da radiação solar é literalmente devolvida ao espaço por CO2 e NO na atmosfera superior. Sem esses elementos necessários, em outras palavras, a Terra seria capaz de absorver quantidades potencialmente devastadores da energia solar que iria verdadeiramente derreter as calotas polares e destruir o planeta.

“A revelação chocante contradiz duramente a proposição central do chamado efeito estufa, teoria que afirma que mais CO2 significa mais aquecimento para o nosso planeta “, escreve H. Schreuder e J. O’Sullivan para PSI. “Estes intrigantes novos dados da NASA refutam essa idéia e são um grande embaraço para o climatologista-chefe da NASA, Dr. James Hansen e sua equipe.”

Dr. Hansen, é claro, é um franco ativista do aquecimento global que ajudou a desencadear a histeria sobre a mudança climática antrópica nas costas dos EUA em 1988. Logo após o lançamento do novo estudo SABER, no entanto, Dr. Hansen convenientemente se aposentou de sua carreira como um climatologista da NASA, e agora planeja gastar seu tempo “na ciência”, e em “chamar a atenção dos jovens para suas implicações”. 

Você pode ler mais detalhes sobre o novo estudo SABER NASA visitando: http://science.nasa.gov/science-news/science-at-nasa/2012/22mar_saber/

Você também pode conferir um informativo, relatório de quatro minutos de vídeo na tempestade solar aqui: http://youtu.be/EEFQHDSYP1I 

A tradução não ficou lá muito natural, mas dá pra entender tudo. Agora vamos explicar por que isso tudo é desinformação até a raiz dos cabelos.

Vamos começar por entender o que são gases estufa, como o CO2 e o NO.

O que é um gás estufa

Um gás estufa é um gás cujas moléculas dificultam a passagem de ondas de radiação infravermelha, que são as ondas que transportam o calor, ou radiação térmica. Ele age exatamente como o vidro de uma estufa para plantas. Aliás, é por isso que é chamado de “gás de efeito estufa” ou simplesmente “gás estufa”. 

A estufa para plantas não fica aquecida porque tem excesso de CO2 no seu interior. Ela fica aquecida porque o vidro ao seu redor dificulta a passagem das ondas infravermelhas para o exterior. 

Gases estufa afetam o clima?

Os autores do site Natural News alegam que “todos os gases de efeito estufa na atmosfera, que Al Gore e todos os outros fraudadores do aquecimento global há muito dizem causar superaquecimento e destruição de nosso planeta estão, na verdade, resfriando-o”, porque em um estudo da NASA foi verificado que “95% da radiação solar é literalmente devolvida para o espaço por CO2 e NO na atmosfera superior”. Vejamos o que significa essa alegação.

Em primeiro lugar, eles reconhecem que a presença dos gases estufa na atmosfera produzem um efeito sobre o clima do planeta, o que é uma virada de 180° em relação à posição usual dos detratores do consenso científico do IPCC, reconhecido não somente por Al Gore mas por todo climatologista sério do planeta. Eles sempre atacaram os argumentos apresentados em “Uma Verdade Inconveniente” alegando que os gases estufa aumentavam suas taxas na atmosfera como resultado do aquecimento global, não o contrário, mas agora mudaram de posição. Ou seja, não há mais desculpa para negar o efeito dos gases estufa. 

Em segundo lugar, eles afirmam que os gases estufa refletem o calor do sol de volta para o espaço, reconhecendo assim qual é o efeito de uma camada de gases estufa: ela reduz 95% da passagem de ondas infravermelhas através de si, o que faz com que essas ondas sejam refletidas de volta para o mesmo lado de onde vieram em relação à camada de gases estufa. 

Vamos, portanto, aceitar como verdadeiros os dados do estudo SABER e o argumento de que os gases estufa devolvem 95% do calor emitido pelo Sol para o espaço… Mas então o que os mesmos gases estufa fazem com o calor emitido pela Terra? 

A resposta é óbvia: se uma camada de gases estufa reduz a passagem de ondas infravermelhas através de si e assim reflete o calor vindo do espaço de volta para o espaço, então igualmente uma camada de gases estufa reduz a passagem de ondas infravermelhas através de si e assim reflete o calor vindo da Terra de volta para a Terra. 

Qual o balanço total do efeito dos gases estufa no clima?

Lembre-se: quanto maior a presença de gases estufa na atmosfera, tanto maior a dificuldade de as ondas infravermelhas passarem de um lado para o outro, seja lá de que lado venham.

Agora preste muita atenção nesta figura aqui:

 

Balanço energético da Terra segundo o IPCC

A figura é mais complexa do que parece num primeiro olhar. Vamos analisar com muita atenção os números que ela contém.

Bem no alto há três números muito importantes: o quanto a Terra recebe de radiação solar total, incluindo todos os comprimentos de onda (342 Watts por metro quadrado), o quanto a Terra reflete de volta para o espaço em todos os comprimentos de onda (107 Watts por metro quadrado) e o quanto a Terra irradia na forma de ondas infravermelhas (235 Watts por metro quadrado). Observe que 107+235=342, ou seja, o somatório do que é refletido com o que é emitido é igual ao que é recebido.

O que nos interessa, entretanto, é a proporção entre o que é refletido pelas nuvens, aerossóis e gases atmosféricos (77 Watts por metro quadrado) e o que é emitido na forma de radiação infravermelha (235 Watts por metro quadrado): uma proporção de um para três.

Isso significa que, para cada Watt de radiação total refletido de volta para o espaço pela atmosfera, ou seja, deixam de aquecer a Terra, três Watts de radiação total ingressam no sistema terrestre, são convertidos em radiação infravermelha e são então retidos pela atmosfera, ou seja, aquecem a Terra.

Como isso acontece?

A maior parte da radiação que atinge a Terra não chega na forma de ondas infravermelhas, que são as ondas afetadas pela ação dos gases estufa, mas na forma de ondas do espectro visível, que são muito pouco afetadas pelos gases estufa.

E o que acontece com ondas do espectro visível? 67 Watts por metro quadrado são absorvidos pela atmosfera e 168 Watts por metro quadrado são absorvidos pela superfície da Terra, num total de 235 Watts por metro quadrado, que é exatamente a quantidade emitida – porque tudo que absorvido por um corpo na forma de radiação visível é depois emitido por este corpo na forma de radiação infravermelha.

Portanto, o efeito do aumento da concentração de gases estufa promove os dois efeitos: ele tanto reflete radiação infravermelha vinda do espaço de volta para o espaço quanto retém radiação infravermelha circulando no interior do sistema, aquecendo a atmosfera e a superfície terrestre. A questão é que a proporção entre um fenômeno e outro, na ordem de um Watt refletido para três Watts retidos, faz com que todo aumento de concentração de gases estufa na atmosfera aqueça o planeta três vezes mais do que o resfria.

Como essa proporção é devida à composição do espectro eletromagnético emitido pelo sol, a única maneira de modificá-la seria modificando a composição do próprio Sol para que ele emitisse um espectro eletromagnético diferente, o que está um pouquinho além da nossa capacidade tecnológica previsível para os próximos milênios.

Conclusão

Não tenho nenhum motivo para questionar a seriedade do estudo da NASA. Seus resultados corroboram aquilo que já sabíamos sobre o funcionamento dos gases estufa: eles são muito pouco transparentes à radiação infravermelha, o que eventualmente pode proteger o planeta de picos de radiação térmica vindas do espaço.

A picaretagem está na interpretação distorcida do efeito total da presença dos gases estufa na atmosfera, omitindo convenientemente o fato de que a radiação visível os atravessa facilmente, atinge a superfície terrestre, é convertida em radiação infravermelha e então retida no sistema atmosférico, aquecendo o planeta três vezes mais do que o resfriamento provocado pela reflexão da radiação infravermelha vinda do espaço. 

Quem é mesmo que foi desmascarado? 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 11/08/2013 

16 thoughts on “Aquecimento global desmascarado? Ou: como mentir distorcendo verdades científicas

  1. Arthur, se o objetivo é comparar os efeitos dos gases de estufa quanto ao que eles barram na entrada e na saída, acho que você tinha que comparar o 77Wm² refletido pro espaço é com o 324Wm² refletido de volta pra Terra, não? Daria uma proporção de 4/1.

    1. Tua abordagem realça o mecanismo através do qual o sistema mantém o calor aprisionado, o que está corretíssimo, mas a figura não tem dados suficientes para fazer o cálculo completo, o que exigiria que eu lesse todo o relatório do IPCC para encontrar os números de que eu precisaria… Por isso optei por uma abordagem de caixa preta. 🙂

  2. Esfriando ou esquentando, só sei que a percepção do clima não é a mesma de 20, 30 ou 40 anos atrás. O problema maior são os extremos. Excesso de chuva ou a carência. Até lá a humanidade vai ter que preparar para o pior, sobretudo os mais pobres.

    1. O pior de tudo é a incerteza climática, que pode nos levar a climas extremos no planeta inteiro, mas parece que todo mundo só se preocupa com a elevação dos oceanos e a perda de terras férteis. Impressionante como quase ninguém percebe que a questão térmica é ainda mais importante.

  3. O planeta já está esfriando, sempre foi assim a séculos, é um ciclo, inclusive centenas de cientistas dissidentes já denunciaram a fraude, dentro desses, um respeitadíssimo prêmio Nobel, a documentação é vasta sobre o tema mostrando a farsa. Ou alguém acha que o arabes iriam gastar bilhôes em hotéis no meio do mar?

    Basta uma simples observação, aqui na minha cidade, o mar batia no muro da orla, hoje com maré cheia não bate mais.

    1. Adoro esses argumentos…

      Realmente, Nelson, gente que acredita que vai ganhar 72 virgens eternamente virgens para estuprar durante a eternidade jamais haveria de construir hotéis à beira-mar em um mundo em que a ciência diz que o clima está se tornando cada vez mais instável.

      E o nível da água muda de modo exatamente igual em todas as praias do mundo, independentemente das correntes, das marés e do carreamento de areia. Isso mesmo.

      Sem falar que nenhuma das “provas” contra a “farsa” do aquecimento global é do tipo que eu descrevi no artigo, longe disso, eu escrevi sobre uma exceção raríssima. Ou talvez até eu esteja mentindo e faça parte da farsa, vai saber…

  4. Podem comprar sua casinha de praia do seu sonho tranquilamente.

  5. Muito obrigado pela explicação, tive que ler ela com muita calma mas consegui entender tudo =D Agora só falta convencer o mundo sobre a seriedade do Aquecimento Global, ou construir uma arca rsrsrs…

  6. Joaquim Salles

    17/08/2013 — 11:52

    Olá Arthur,

    Acabei de ler o seguinte comentário no Facebook:”Sábado frio e triste em São Paulo. O aquecimento global está matando a cidade de frio”. Claro que o comentário é contra a tese do aquecimento global e tem uma forte ironia implícita. Já vi vários comentários desse tipo e formato.
    Até a onde eu li e considerando o pouco que conheço do tema, variações de temperaturas estão previstas nos “vários modelos” do aquecimento global. Isso é correto? Tirando todos possíveis xingamentos e ironias, como podemos responder a esse tipo de questão?
    Outra duvida: já li ( não sei se é verdade), considerando os ciclos passados, que estaríamos entrando num novo período glacial? Isso tem base “cientifica”? E supondo que seja verdade como afetaria o modelo do aquecimento global?
    (só deixando claro não quero cair nos extremos: do comportamento de conservadores que dizem que o aquecimento não existe e nem dos politicamente correto)

    1. Joaquim, o grande problema é que todo mundo recebe informações pela grande mídia, que obviamente não é especializada e infelizmente não é nem sequer competente o suficiente para procurar os consultores mais adequados. É como se uma empresa estivesse fazendo seleção pelo mapa astral e a grande mídia procurasse um pai-de-santo como consultar para jogar os búzios e saber se isso é adequado.

      A verdade jamais discutida na grande mídia é que a ação antrópica está tornando os grandes sistemas de controle climático do planeta cada vez menos capazes de manter a estabilidade do clima. O problema não é tanto se o paneta vai superaquecer ou se vai enfrentar uma nova era glacial – as duas possibilidades existem, e a menos perigosa é uma nova era glacial – mas se o clima vai conseguir se manter minimamente estável para conseguir sustentar a vida no planeta na forma como hoje a conhecemos.

      As chances maiores, hoje, são de superaquecimento em “curto” prazo (décadas a séculos). A temperatura média do planeta está aumentando, já chegou a quase 2°C acima da média histórica do período pré-industrial, e 2°C acima dessa média é o ponto sem retorno a partir do qual as grandes geleiras vão derreter de qualquer jeito, elevando o nível dos mares em cerca de seis metros, uma catástrofe que pouca gente parece conseguir imaginar. Por exemplo: a prefeitura de Porto Alegre fica a cinco metros de altitude. O mercado público de Florianópolis a menos de um metro.

      Quanto a “aquecimento global causar frio em São Paulo”, isso é algo esperável. O aquecimento global não é uniforme e deve mesmo causar resfriamento em algumas regiões em seus primeiros estágios devido às mudanças no regime dos ventos, das chuvas, das médias de umidade, da formação de nuvens, etc. Isso nem de longe pode ser usado como argumento contra o fato de que o ser humano está impactando gravemente os mecanismos de controle climático da biosfera através do desmatamento, do consumo de combustíveis fósseis e da poluição dos oceanos.

  7. Cientistas russos afirmam: Nova Era Glacial começará no ano que vem – See more at: http://noticias.seuhistory.com/cientistas-russos-afirmam-nova-era-glacial-comecara-no-ano-que-vem#sthash.mH3BTtm7.dpuf

  8. Claudio ricardo santos

    15/01/2014 — 06:22

    Aliás, esse papo de “salvar o mundo” está cada vez mais chato. Isso que chamam de aquecimento global e começou nos anos 70 não existe mais. A Terra atualmente está esfriando. E esse esquenta-esfria é natural e não tem nada que possamos fazer. O homem não mexe no clima da Terra. Se está mais quente ou mais frio, as causas são naturais: sol, oceanos, etc. Acontece que apocalipse vende. Fim do mundo vende. Antigamente tinha a guerra fria, o medo de uma bomba nuclear acabar com a Terra. O comunismo caiu e os cientistas que trabalhavam pra esses governos logo trataram de achar outra coisa que vendesse: nasceu o aquecimento global causado pelo homem (a maior fraude científica do século XXI) e todo um mercado envolvendo CO2, carbono, CFC, etc.

    1. http://www.desmogblog.com/2014/01/08/why-climate-deniers-have-no-scientific-credibility-only-1-9136-study-authors-rejects-global-warming

      “Why Climate Deniers Have No Scientific Credibility: Only 1 of 9,136 Recent Peer-Reviewed Authors Rejects Global Warming…

      …I have brought my previous study (see here and here) up-to-date by reviewing peer-reviewed articles in scientific journals over the period from Nov. 12, 2012 through December 31, 2013. I found 2,258 articles, written by a total of 9,136 authors. (Download the chart above here.) Only one article, by a single author in the Herald of the Russian Academy of Sciences, rejected man-made global warming. I discuss that article here…”

    2. Olavo de Carvalho fala russo? 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *