Agora mesmo – 02:16 de 22/10/2013 – caiu a ficha sobre o motivo que tem me feito gostar tanto do livro de Ayn Rand: é a primeira vez em duas décadas que eu leio uma defesa digna dos melhores valores da direita, escrita com orgulho e convicção. No meio da gosma purulenta que é a verborragia coitadista, pernóstica, nojenta e imoral da esquerda, a fala apaixonada de uma direitista sincera é um verdadeiro oásis, ainda que eu não concorde com vários dos valores, conceitos e ideais que ela professa. 

Mas com alguns eu concordo plenamente: 

Clique na foto para vê-la maior. Ela irá abrir em outra página.

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 22/10/2013 

39 thoughts on “Uma ficha que caiu sobre Ayn Rand

  1. Gozado, não dá pra saber se ela está falando da Rússia Comunista ou da América Capitalista.

    1. Ou do Brasil de hoje…

  2. Em suma: Conserve o seu individualismo, reconheça o seu egoísmo ou até mesmo seu ego-centrismo. E não faça da coletividade motivo de sua submissão. Reconheço como humano, é difícil viver de forma gregária, às vezes é necessário ir contra a massa. Ninguém é obrigado a compactuar com o pensamento da maioria e não tenha medo que isso vire motivo para a sua solidão.

    1. Sim, essas são lições dela. Mas eu não concordo com o egoísmo. A mão invisível do Adam Smith não funciona na realidade e nem é defendida com sinceridade por nenhum capitalista. Basta ver a revoada em direção ao socorro dos governos toda vez que um mercado que eles mesmo detonaram entra em crise.

  3. Olá Arthur,

    Você leu Atlas Shrugged? Recentemente terminei de ler e realmente, embora não concorde com tudo o que ela diz, eu acredito que a essência do livro é um ótimo guia moral.

    1. Hmmm… Na verdade esse é o perigo do livro dela, Max. Ela realmente faz parecer que o egoísmo é um ótimo guia moral. É a função a que ela se propôs, com propagandista ideológica. Mas tanto isso pode ser questionado do ponto de vista filosófico quanto do ponto de vista da praticidade. Olha o que eu respondi pro André logo acima.

  4. “É difícil encontrar um esquerdista que ainda não tenha inventado uma nova “solução” para os “problemas” da sociedade. Com frequência, tem-se a impressão de que existem mais soluções do que problemas. A realidade, no entanto, é que vários dos problemas de hoje são resultado das soluções de ontem.

    No cerne da visão de mundo da esquerda jaz a tácita presunção de saber como tomar decisões para outras pessoas de forma melhor e mais eficaz do que estas próprias pessoas.

    Pessoas que nunca gerenciaram nem sequer uma pequena farmácia — muito menos um hospital — saem por aí jubilosamente prescrevendo regras sobre como deve funcionar o sistema de saúde, impondo arbitrariamente seus caprichos e especificidades a médicos, hospitais, empresas farmacêuticas e planos de saúde.

    Porém, como alguém certa vez disse, “um tolo pode vestir seu casaco com mais facilidade do que se pedisse a ajuda de um homem sábio para fazer isso por ele”.

    Thomas Sowell

    1. “Pessoas que nunca gerenciaram nem sequer uma pequena farmácia — muito menos um hospital — saem por aí jubilosamente prescrevendo regras sobre como deve funcionar o sistema de saúde, impondo arbitrariamente seus caprichos e especificidades a médicos, hospitais, empresas farmacêuticas e planos de saúde.”

      Tai, concordo totalmente com o Nelson nessa frase. Vou adota-la nas minhas próximas discussões sobre o SUS.

    2. Gente, lembrem-se que Ayn Rand parece um oásis APENAS porque estamos nos afogando num mar de lama esquerdista. Mas o modelo de sociedade que ela propõe leva ao que aconteceu na América Latina após a queda do Muro de Berlim: o liberalismo mostrou suas garras com tal intensidade e ausência de compaixão que, de UM país comunista na década de 1970 (Cuba), hoje temos DEZOITO países comunistas ou tendentes-ao-comunismo (estimativa do Lobão). Foi fugindo da aberração direitista que caímos na aberração esquerdista.

  5. Hemerson Braga

    24/10/2013 — 11:21

    Como André falou ali em cima, volto mais uma vez pra falar sobre isso.
    Não é sistema econômico mas as pessoas que regem o sistema o problema todo, o Estado é orgânico, as pessoas que o formam possuem valores e emoções.

    1. Dá pra desenvolver isso, Hemerson?

  6. Gerson

    Esse texto é de Thomas Sowell, só fiz transcrever uma parte, seria bom vc lesse todo..

    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1662

    1. Obrigado. Vou ler.

    2. ADORO quando o Nelson sugere leituras sem postar dez quilômetros de texto. 🙂

  7. Eduardo Marques

    28/10/2013 — 20:07

    É meio difícil encontrar um autor de direita não religioso e que não dê a impressão de ser um conservador tacanho que não quer largar a visão de mundo que aprendeu na infância. Não li os livros grandes dela e nem pretendo, pelo tamanho, que é igual ao de livros de maior reputação literária, como Os Miseráveis ou Guerra e Paz, mas lamento não haver tradução de Anthem para eu poder indicar aos meus amigos (a maioria monolíngüe).

    1. Por que gostaste de Anthem, Eduardo?

  8. Na verdade, a esquerda demonizou a direita, demonizou o termo conservador, demonizou o termo liberalismo.

    As pessoas cairam nessa, a maioria que fala mal, nem se quer leu os ideais conservadores.

    Quando a gente ler um liberal ou um conservador e compara com uma obra marxista ou um humanista secular. É como comparar um livro de física com um gibi.

    A superioridade inteletual da direita sobre a esquerda é uma coisa monstruosa.

    1. Nelson… A direita não é essa maravilha. Vou postar em breve um artigo conceituando direita, esquerda e centro. Vais perceber que muitas das coisas boas que são atribuídas à direita são na verdade posturas centristas que a esquerda rotula de direitistas – e que muitas pessoas com valores conservadores embarcam nessa pegadinha da esquerda.

      Aliás… Liberais e conservadores não deveriam ser considerados adversários. DEPURADAS ambas as filosofias dos enxertos direitistas e esquerdistas, liberais e conservadores possuem muito campo para diálogo entre si. E diálogo fértil, significativo, ao contrário da guerra de monólogos entre direita e esquerda.

      Aliás [2]… Eu acho que tu estás mais para conservador do que para direitista, Nelson, só não sabes disso e acabas te contaminando desnecessariamente. 🙂

  9. Nelson,

    Você poderia dar exemplos de livros que confirmam sua afirmação? “Quando a gente ler um liberal ou um conservador e compara com uma obra marxista ou um humanista secular. É como comparar um livro de física com um gibi. A superioridade inteletual da direita sobre a esquerda é uma coisa monstruosa.”

    1. Também aguardo ansioso. 🙂

  10. Imaginei que não concordaria com relação ao egoísmo, convenhamos graças a Ayn Rand, posso assumir a minha natureza egoística sem medo e sem culpa.( detalhe: não sou sociopata) Não posso permitir que ele sobreponha a minha persona como acontece com alguns e o exemplo bem claro da falta de controle do egoísmo é o ciúme exacerbado, a possessividade,a covardia e o resto como já sabemos virou clichê.Nada do que fazemos não é dirigido aos terceiros e sim ao próprio eu. esse papo de ” eu não penso em mim”, “faço pelos outros”, “o sacrifício”, não passa de papo furado. O ser humano é egoísta e é intrínseco à sua natureza. A frase: Cada um por si e deus para todos, reflete bem isso.


    1. “O ser humano é egoísta e é intrínseco à sua natureza. A frase: Cada um por si e deus para todos, reflete bem isso.” (Alexandre)

      Eu não concordo com isso.

      O egoísmo funciona bem para espécies não-gregárias e não-cooperativas, como os leopardos.

      Em espécies gregárias e cooperativas, como os lobos (que caçam organizadamente) e os bisões (que se defendem organizadamente), o egoísmo estrito não funciona bem.

      O ser humano é uma espécie gregária e cooperativa, igualzinho aos lobos.

      Não podemos agir como cupins, como a esquerda tenta nos obrigar, mas também não temos a natureza solitária do leopardo.

      Ayn Rand defende uma “ideologia das selvas” que qualquer leopardo aprovaria com razão, mas nós somos mais parecidos com os lobos: caçamos coordenadamente ao longo de toda nossa evolução como caçadores-coletores.

      Em função de nossa biologia evolutiva, nem a esquerda, nem a direita nos fornecem parâmetros saudáveis para a estruturação e funcionamento de nossa sociedade. Simplesmente não são ideologias de best fit (melhor adaptação) para animais com nossas características.

      Aliás, isso ficou bom. Acho que vai virar um artigo independente nos próximos dias, um pouco melhor detalhado. 🙂

  11. “Você poderia dar exemplos de livros que confirmam sua afirmação?”

    Ação humana: Mises
    O Caminho da Servidão : Rothbard
    Por uma nova liberdade – O Manifesto Libertário: Rothbard

    http://www.mises.org.br/Ebooks.aspx?type=99

    1. Ótima dica!

      São 48 publicações.

      Baixei 45, uma deu pau e duas eu favoritei para baixar depois, porque são grandes conjuntos de artigos.

      Eu já tinha material de leitura até 2015. Agora tenho até 2016. 😛

    2. Só acho uma pena que tenham misturado figurões como Mises e Hothbard com figurinhas como Rodrigo Constantino. Mas enfim… Os caras são de direita… Têm que jogar com as peças que sobraram no tabuleiro deles… Dá pra entender. Mas vai ser chato separar o joio do trigo.

    1. Interessante também.

  12. O ser humano a priori é um ser gregário meia boca, podemos dizer assim. Se fossemos gregários na plena concepção dos lobos, jamais viveríamos em conflitos com outros semelhantes, aliás, para não dizer irônico somos uma espécie que goza de superioridade intelectual, no entanto cá nós, estamos nos agredindo mutuamente, chegando até a morte. Basta ver o debate entre Hobbes e Rosseau. Até hoje, vemos pessoas com problemas sérios com os ciúmes, que seria uma das piores formas de egoísmo, raras são as pessoas que conseguem arrefecer esse sentimento tão peculiar e tão destrutivo.
    Não tem coisa mais egoísta que a vaidade, uma coisa que os lobos não tem.

    1. Lobos competem entre si tambem, por liderança e por femeas. Mas são muito mais gregários que leopardos.

    2. Vou responder tudo isso em breve com um artigo sobre os níveis de inteligência social. Fiquem de olho. 😉

    3. Muitos artigos do Pensar Não Dói surgiram e continuarão surgindo a partir de comentários de leitores. Gosto muito disso. Embora obviamente eu seja o único responsável pelas opiniões que expresso, boa parte do sucesso do blog é devida à criatividade e ao estímulo dos leitores que comentam os artigos, que apresentam questionamentos ou opiniões divergentes que me obrigam a refinar meus conceitos, aprimorar meus argumentos e explicar o que penso de modo mais claro. Sou extremamente grato a estes leitores pelo tanto que me ajudam a crescer.

      Obrigado, pessoal!

  13. Luis Vogelei

    07/01/2014 — 01:26

    Arthur
    novembro 22nd, 2013 às 13:10
    Gente, lembrem-se que Ayn Rand parece um oásis APENAS porque estamos nos afogando num mar de lama esquerdista. Mas o modelo de sociedade que ela propõe leva ao que aconteceu na América Latina após a queda do Muro de Berlim: o liberalismo mostrou suas garras com tal intensidade e ausência de compaixão que, de UM país comunista na década de 1970 (Cuba), hoje temos DEZOITO países comunistas ou tendentes-ao-comunismo (estimativa do Lobão). Foi fugindo da aberração direitista que caímos na aberração esquerdista.

    meus deus! o q as drogas fizeram com vc!!! “na América Latina após a queda do Muro de Berlim: o liberalismo mostrou suas garras”
    quem dera 10% de liberalismo chegasse na américa latrina na prática, em vez de ficar apenas no discurso. o menos socialista foi o chile e mesmo assim apenas liberal o suficiente pra não chafurdar, pra usar um termo da época. não existe e nunca existiu liberalismo na am latina. procure se informar sobre o q é liberalismo clássico. um abraço

    1. Luis, o que tu andas pingando nos olhos? Vodka ou Rodrigo Constantino? De qualquer modo, não está te fazendo bem. Comento melhor abaixo.

  14. Luis Vogelei

    07/01/2014 — 05:44

    primeiro: estados unidos, capitalista? com os brancos de origem européia sendo minoria na população, com politicamente correto reprimindo a liberdade de expressão, com cotas raciais, com obamacare, com divida interna sem limites e intervenções do governo pra subsidiar bens para uns e socorrer grandes empresas e bancos com dinheiro público nas crises q o intervencionismo anterior provocou, com democratas tão socialistas qto os franceses ou suécos e q só não fazem pior por limitação constitucional e alguma pressão conservadora. os estados unidos não são capitalistas, eles foram. eles não se contrapõe a urss, mas pra guerra ideológica é importante q os idiotas úteis acreditem q sim. quem quer saber, sabe q o liberalismo hj é representado principalmente por singapura, coréia do sul e taiwan, países q não toleram partido comunista nem baboseira criminosa esquerdopata. países superpopulosos e quase sem recursos naturais em q o maior patrimônio, sua riqueza econômica é o próprio povo educado e livre.
    segundo: “ao que aconteceu na América Latina após a queda do Muro de Berlim: o liberalismo mostrou suas garras com tal intensidade e ausência de compaixão”. (!) vc está brincando ou estava sob efeito de alucinógenos? liberalismo econômico na américa latrina?!?!?!?!?!?! essa não tem nem como responder porq se com essa barba vc ainda pensa assim, não seria Eu q teria a pretensão de conseguir com algumas frases desfazer a lavagem cerebral ou outro dano q tenha lhe acontecido. mas, se vc tiver forças, procure ler para saber o q é liberalismo, então prestar atenção em como vivemos e depois procure ter discernimento p enquadrar corretamente os fatos e dar nome aos bois. desejo-lhe boa sorte.
    p.s: sou forçado a concordar q não é justo comparar marxismo com gibís.
    devemos ter respeito pelos quadrinhos q são importantes fontes de cultura e lazer.

    1. Primeiro que quando alguém nega que os EUA sejam um país capitalista é porque há algum problema sério com seu senso de realidade. Dá pra entender quando Olavo de Carvalho, um espertalhão que explora otários extremistas, ou quando o Tea Party, para o qual cabe a mesmíssima descrição, fazem isso. Mas quem não está lucrando com essa baboseira e a repete mesmo assim tem uma grande chance de ser um idiota útil como os que critica.

      Segundo que o fato de os brancos de origem européia constituírem este ou aquele percentual da população absolutamente não tem nada a ver com capitalismo. (E, aliás, eles SÃO a maioria nos EUA, ainda.)

      Terceiro, que os democratas são tão socialistas quanto eu sou comunista de carteirinha.

      Quarto, que Singapura é praticamente uma ditadura velada, pois um único partido (PAP) exerce o controle do país com mão de ferro desde 1959, com inúmeras denúncias de manipulação das eleições e leis que restringem a liberdade de expressão “para evitar gerar má vontade e desarmonia”. Isso nem de longe pode ser chamado de “liberalismo”.

      Este trecho foi retirado da Wikipédia: “Embora as eleições gerais sejam isentos de irregularidades e fraudes eleitorais, o PAP foi criticado por alguns por manipular o sistema político através da utilização de censura, gerrymandering e difamação civil contra políticos da oposição.”

      Se não há corrupção em outras áreas, com certeza há na área de manutenção do poder na mão do partido.

      Quinto, eu sei muito bem o que é o liberalismo e não vejo nada de solidário nele, pois é um regime baseado no interesse egoísta, o que o torna um alvo fácil para as acusações da esquerda. E é em função dos “Líber” da vida que a esquerda tem disponível um discurso fácil para arrebanhar multidões de necessitados.

  15. Luis Vogelei

    10/01/2014 — 05:46

    oportunos os artigos recentes sobre credibilidade. bom seria se mais pessoas questionassem o senso comum , não aceitassem automaticamente e não tivessem medo de apresentar idéias divergentes da maioria (caso esta não ande muito ameaçadora).
    Senso comum latino americano abundante em sua resposta. Só mesmo indo por partes, como o bom e velho Jack,
    “EUA=capitalismo” uma associação q a esquerda adora reforçar, pois assim, qdo alguém resiste a cultura da demonização dos EUA, culpando por todos os males do mundo, ainda assim é muito útil e fácil apontar defeitos econômicos e sociais relevantes nos EUA contemporâneo e culpar o capitalismo, induzindo a rejeição deste e conduzindo o incauto a ter a idéia originalíssima (pra ele), sobre um caminho do meio, não-comunista e não-capitalista, mas um certo estado de hipotético bem-estar social (socialismo). é em função dessa manipulação q a esquerda deseduca (ainda mais, como se nunca fosse o suficiente) e tem um discurso fácil para arrebanhar multidões de dependentes, tolerantes e co-participantes da corrupção.
    os EUA hoje tem um sistema híbrido, não é correto classificar como capitalista devido a tradição e simpatizantes e ignorar a tendência contínua de características esquerdistas, como as q mencionei, foi por isso sugeri analisar o liberalismo clássico (existe o verbete na wikipédia) e depois analisar atenta e imparcialmente a política atual dos EUA, para talvez tentar ver o estado cada vez maior, mais endividado, mais intervencionista e assistencialista, apesar da aversão pela palavra socialismo no discurso.
    “brancos (…) não tem nada a ver com a história do capitalismo (americano, no caso)” desculpe, mas não foram as nações unidas q criaram o país, desculpe por q pessoas de todas as etnias e origens geográficas do mundo não tenham sido representadas proporcionalmente nas origens do país, da constituição, da cultura e do capitalismo americano, mas, enquanto não for reescrita, a história mostra q foram brancos, q costumam se mostrar mais orgulhosos e apegados a sua tradição capitalista. etnia não tem relação direta com religião e orientação político-econômica, mas existem, apesar de mutáveis com o tempo, relação de grupos geográficos e étnicos com religiões e tendências políticas e é disso q estamos falando, como vc sabe. e por essas relações os negros e principalmente os latinos, devido ao assistencialismo e a tolerância com a imigração maciça estão mais alinhados com a esquerda, q por malícia e não por ironia, conseguiu se apropriar da palavra liberal no país.
    ainda sobre brancos, usei a palavra “sendo” e gerúndio é uma forma nominal que expressa uma ação em curso. Os brancos podem ser maioria no país, dominam principalmente lugares significativos como o interior do Arkansas, por exemplo, ao contrário do q acontece nas inexpressivas e pouco influentes cidades mais populosas, mas, como vc reconheceu ao usar a palavra “ainda”, é uma questão de tempo devido as diferenças de taxas de natalidade e imigração. não divergimos neste ponto.
    surreal é a refutação de Singapura como exemplo de país capitalista, Estes trechos foram retirados da Wikipédia q falam por sí:
    “A economia de Cingapura é conhecido como um dos mais livre, mais inovadora, mais competitivo e mais favorável às empresas. O 2011 Index of Economic Freedom classifica Cingapura como a segunda economia mais livre do mundo.”
    “o governo rejeitou a idéia de um sistema de bem-estar generoso, afirmando que cada geração deve ganhar e poupar o suficiente para todo o seu ciclo de vida.”
    “A economia de Singapura é uma economia de mercado baseada no capitalismo financeiro e industrial.“
    não poderia faltar algo do tipo: “singapura é praticamente uma ditadura velada”
    já q gosta da wikipédia, vejamos mais dois exemplos:
    “Embora as eleições gerais sejam isentos de irregularidades e fraudes eleitorais, o PAP foi criticado por alguns por manipular o sistema político através da utilização decensura, gerrymandering e difamação civil contra políticos da oposição”.
    “Há vários partidos da oposição em Singapura, os mais notáveis são o Partido dos Trabalhadores de Singapura, o Partido Democrático de Singapura (SDP) e a Aliança Democrática de Singapura (SDA)”.
    então temos eleições gerais isentas de irregularidades e fraudes eleitorais e há vários partidos da oposição em um dos 5 países menos corruptos do mundo segundo a transparência internacional. qta tirania!, qta maldade humana! lógico q temos o dever cívico e humanista de denunciar essa ditadura perversa, temos mais é q ir fazer protestos na frente da embaixada, nos imolar contra esse regime ditatorial implacável.
    Como já tinha mencionado anteriormente, felizmente não há em Singapura uma democracia nos padrões ocidentais, do tipo q os comunistas de origem chinesa e muçulmanos de origem malaia adorariam ter no passado, a tolerância com a esquerda e islâmicos é vista pelos próprios como fraqueza e conivência. Isso estimularia os primeiros a tentar uma revolução sangrenta para criar uma ditadura comunista ou acabar com a democracia por dentro, como aconteceu na Venezuela, e fomentaria a pretensão de supremacia islâmica com o terrorismo, os conflitos interreligiosos e as demandas de privilégios sem fim para os segundos.
    Em vez disso, pesquise a posição de Singapura nos rankings referentes a corrupção, riqueza, educação, segurança e todos os outros disponíveis na Wikipédia . compare com a situação atual deste país, com o porto repleto de favelas e pouca mão de obra qualificada antes da independência, mas se adiantasse só precisaríamos ver as diferenças em ética, liberdade e prosperidade entre as coréias, entre a meritocracia e a corrupção, o país da ciência q ajuda a construir o futuro e o país da história falsificada e miséria sem fim.
    e o capitalismo é esse egoísmo misterioso q gera prosperidade e liberdade para as pessoas sob o seu jugo, q gera as listas dos maiores filantropos do mundo com suas dezenas de bilhões de euros doados , em q as pessoas em vez de cobrar q vc faça e dê coisas por elas, fazem por si próprias, e mesmo assim, eventualmente estão prontas a fazer coisas pelos outros sem nenhuma cobrança ou obrigação, pessoas q geram trabalham, produzem, oferecem produtos e serviços a sociedade e não raro doam por vontade própria parte do seu sucesso, apenas não aceitam caridade com o dinheiro dos outros e o governo sufocando a economia. mas não é politicamente correto falar isso, não faz parte do q estamos programados para ver, não importa qtos exemplos sejam dados e vistos, nunca são o suficiente, o discurso é sempre q pobre é bom, rico é mau, negros são vítimas, a áfrica e o terceiro mundo são bons, os países desenvolvidos,são maus, a polícia é má, o exército é mau, os brancos são maus, os islâmicos tem todo o direito de pregar e implantar o fim dos direitos humanos e comunistas e afins são uma ótima opção e só querem ajudar os pobres.
    desculpe as indelicadezas, um abraço.

  16. Luis Vogelei

    10/01/2014 — 05:46

    novamente bloqueado

    1. Recuperado acima.

  17. Ayn Rand – A era da inveja (legendado)
    http://www.youtube.com/watch?v=gaA_nlho6Kw

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *