Parece que veio sob encomenda. Logo após escrever o último artigo, em que recomendo checar em sites de grandes empresas de comunicação as informações recebidas pelas redes sociais ou publicadas na blogosfera, recebi pelo Facebook esta “notícia”. 

Presidente da Nestlé diz que água deve ser privatizada. Na opinião de Peter Brabeck, a água deveria ser tratada como qualquer outro bem alimentício e ter um valor de mercado estabelecido pela lei de oferta e procura

presidente nestlé água

Presidente da Nestlé diz que água deve ser privatizada (Foto: Reprodução)

Peter Brabeck-Letmathe, um empresário austríaco que é presidente do grupo Nestle desde 2005, afirma que é necessário privatizar o fornecimento da água. Isso para que nós, como sociedade, tomemos consciência de sua importância e acabássemos com o subpreço que se produz na atualidade.

Palavras sujas que provocaram estupor, sobretudo quando se tem em conta que a Nestlé é a líder mundial na venda de água engarrafada. Um setor que representa 8% de seu capital, que em 2011 totalizaram aproximadamente 68,5 bilhões de euros.

Peter Brabeck junta essa a outras críticas para destacar que o fato de muitas pessoas terem a percepção de que a água é gratuita faz com que em várias ocasiões não lhes dê valor e a desperdiçam. Assim sustenta que os governos devem garantir que cada pessoa disponha de 5 litros de água diária para beber e outros 25 litros para sua higiene pessoal, mas que o resto do consumo teria que gerido segundo critérios empresariais.

SAIBA MAIS: CRIMES DA NESTLÉ SÃO ACOBERTADOS POR AUTORIDADES E IMPRENSA BRASILEIRA

Apesar das rejeições que sua posição provoca, faz tempo que ele defende, sem cerimônia, com entrevistas como esta que aparece no vídeo abaixo, que qualifica de extremistas as ONGs que sustentam que a água deveria ser um direito fundamental.

Em sua opinião, a água deveria ser tratada como qualquer outro bem alimentício e ter um valor de mercado, estabelecido pela lei de oferta e procura. Só desta maneira, aponta, empreenderíamos ações para limitar o consumo excessivo que se dá nesses momentos.]

A fonte desta asneira foi o site esquerdista Pragmatismo Político.

Vejam bem: a primeira frase da “notícia” é “Presidente da Nestlé diz que água deve ser privatizada.” – e a data da publicação é  “24/APR/2013 ÀS 18:49”. 

A verdade é bem outra. 

A “notícia” não passa de um hoax montado a partir de uma vídeo de 2005 (portanto de oito anos antes da publicação da “novidade”) e só virou febre no Facebook no início de 2014, mais de oito meses após a publicação da barriga do Pragmatismo Político.

Eis aqui o desmentido, datado de 23/04/2013, um dia antes da barriga do Pragmatismo Político, que não se deu o trabalho de checar a informação: 

Presidente de Nestlé desmiente que proponga privatizar el agua

Animal PolíticoAnimal Político – mar, 23 abr 2013

Luego de la polémica surgida en internet en torno a sus supuestas declaraciones sobre la necesidad de privatizar el agua y que este elemento no debe ser un derecho humano, Peter Brabeck-Letmathe, ex CEO y actual Presidente del Consejo de Nestlé, aclaró que sus palabras fueron sacadas y descontextualizadas de un video grabado en 2005.

Desde hace unas semanas, circulan en internet notas y publicaciones donde se asegura que Brabeck-Letmathe planteó que el agua no debería ser un bien público, pues, en su opinión, esto afecta su distribución en los lugares con más difícil acceso.

“Hay dos opciones diferentes en el tema. La primera, que creo que es extrema, representada por las ONG’s que hablan repetitivamente sobre el agua como un derecho público. Eso significa que como ser humano tienes el derecho de tener agua. El otro punto de vista es de ver al agua como un producto alimenticio como cualquier otro, y como producto alimenticio debería tener un valor comercial”, dijo el ex CEO de Nestlé en un video grabado en 2005.

Brabeck-Letmathe agregó: “personalmente creo que lo mejor es darle un precio a los productos alimenticios, así todos somos conscientes de que tiene su precio, y luego uno debe tomar medidas específicas para esa parte de la población que no tiene acceso al agua, y ahí hay muchas posibilidades diferentes”.

Con base en esas declaraciones, diversos medios han publicado notas en las que aseguran que el Presidente del Consejo de Nestlé pidió privatizar el agua y no considerarla como un derecho humano.

Ante estas informaciones, Brabeck-Letmathe publicó el pasado 18 de abril  una entrada en su blog oficial, en la que aclara que sus declaraciones fueron sacadas de contexto y explica que el agua debe ser considerada como un derecho humano y debe hacerse disponible para todos.

“Quiero ser muy claro acerca de esto otra vez aquí en el blog, porque creo que el videoclip, en el que se llevó a mis puntos de vista fuera de contexto, no es claro el punto que estaba tratando de hacer. El agua es necesaria para la supervivencia es un derecho humano, y debe estar a disposición de todo el mundo, dondequiera que se encuentren, incluso si no pueden darse el lujo de pagar por ello.

“Sin embargo, yo también creo que el agua tiene un valor. Las personas que utilizan el agua corriente en su casa para regar el césped o lavar el coche, deben asumir el costo de la infraestructura necesaria para suministrarla”, explica Brabeck-Letmathe en su blog.

Fonte: Yahoo Notícias do México. Que eu achei no Google, claro.

Vamos ficar mais espertos e conferir a informação em sites confiáveis antes de compartilhar no Facebook, pessoal, e vamos informar a verdade, porque de qualquer modo muita gente vai compartilhar a mentira. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 09/01/2014 

16 thoughts on “O presidente da Nestlé pediu mesmo a privatização da água?

  1. Pra começo de conversa a ideia em si mesma é absurda. No mais não tenho o que dizer, só falta privatizar a água do mar e os trouxas de plantão fazer tanto barulho e pra quê? Pra nada.

    1. Mas o que ele afirmou no blog dele está correto, não está? 😉

  2. Pesquise sobre a Nestle na cidade de São Lourenço – MG. Há anos a população está tentando tirar a Nestle de lá e ela sempre dá um jeito de continuar! É uma cidade turística conhecida pelas águas medicinais e a Nestle está secando as fontes por retirar água acima do permitido.

    1. Podes sugerir algum link?

  3. Arthur Golgo Lucas, quer dizer, então, que você é biólogo (é mesmo?), falante de Esperanto (coitado!) e cidadão do mundo (cosmopolitano?) Pois, para mim, com este nome e esta capivara você mais parece uma deformação biológica, cujo processo evolutivo se truncou e acabou por torná-lo um dejeto – abjeto. Na verdade, com tais credenciais você não passa de um mercenário zelote, a serviço das nulidades de Sião, espécie animal parasitária, politicamente organizada na Basileia em evento de 1897. Quais são as suas tarefas, afinal? Patrulhar, escamotear, falsificar e deformar fatos e informações que revelem ou confirmem os planos de domínio das nulidades davidianas? Você esbanja pretensão, ignorância e petulância, Arthur. Esta mistura niilhista, acrescida de oportunismo e fisiologismo, se configura ao classificar de asneira a divulgação, a denúncia e as críticas ao pronunciamento do capataz da Nestlé para, em seguida, reproduzir a confissão, as explicações e justificativas esfarrapadas do infeliz aprendiz de inimigo da humanidade. Arthur, diga-me o seguinte, quero entendê-lo: quais meios de comunicação você considera confiáveis? Os press releases das grandes corporações privadas transnacionais dos setores financeiro, industrial, agrícola e de serviços? As grandes agências internacionais e nacionais de notícia, publicidade, propaganda e marketing? As grandes editoras de livros, jornais e revistas? Os serviços de inteligência e contra-inteligência de Israel, EUA, Canadá, UE, Otan, Austrália, Nova Zelândia e Japão? As colunas e os blogs e blogueros ridículos da grande imprensa brasileira? Melhor será, tenha a certeza, apostar nas lições pífias, nos comentários ginasianos e nas predições cartomanciais do patético O. de Carvalho – alguém que, se não está enganado, sem dúvida, tenta enganar-nos.

    1. Boa semana pra ti também, Delima.

  4. AHAUHUAHAUHAUHAUHAUAHUAHUAHUAHUAHUAHAUHAUAH!

    Ô para-raios!

    1. Eu joguei bosta de brontossauro no monolito negro…

    2. Rindo muito aqui. Adorei a versão nerd-não-cristã!

    3. Hehehehehe…. Valeu! 🙂

      Mas a versão mega-nerd tem que ser esta:

      “Eu joguei bosta de brontossauro fossilizada no monolito negro…”

      Afinal, não havia mais brontossauros quando os macacos surgiram. 😉

    4. Estraga um pouco a cadência…

    5. Tá bom, tá bom, é admissível que se considere que todo nerd sabe disso, então é desnecessário tornar explícito que é fossilizada…

    6. Isso, isso, boa racionalização a posteriori… 😛

    7. Certo. Até aqui foi nerdice. Mais uma postagem falando sozinho vai parecer maluquice. Fui.

    8. Rindo ainda mais da cadeia de raciocínio.

      Mas basicamente é isso:

      “Tá bom, tá bom, é admissível que se considere que todo nerd sabe disso, então é desnecessário tornar explícito que é fossilizada…”

      Se bem que há muitas evidência sólidas que os humanos conviveram com os dinos, como os trabalhos científicos criacionistas, as famosas escavações em Bedrock pelos cientistas Hanna e Barbera e os diversos nichos de preservação apresentados em documentários como Dinotopia, Vale Encantado, Dino Boy, Era do Gelo etc.

    9. HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA!!!!

      Raios, como eu esqueci de todas estas provas científicas altamente rigorosas e reveladoras da coexistência entre humanos e dinossauros?!

      Ah, e tem também “O Elo Perdido”: a família dos Marshall, Rick e seus filhos Will e Holly, tinha encontros freqüentes com um Tiranossauro apelidado de “Zangado”. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *