Ontem eu vi na TV algumas cenas das quais eu jamais admitiria participar, mas que milhões de pessoas protagonizam diariamente. Achei aquilo uma completa indignidade, mas a reportagem seguinte me mostrou que aquilo é o que o povo quer. 

Lata de sardinhas 3

Era uma reportagem sobre algum metrô, sei lá eu se de São Paulo ou do Rio de Janeiro, que mostrava as condições nas quais as pessoas se colocavam para irem para o trabalho diariamente. 

A reportagem mostrava os depoimentos de pessoas que já se feriram, que já caíram e foram pisoteadas, que já viram outras pessoas quebrarem uma perna… E mostrava também cenas parecidas com estas: 

metrô 01
Sardinhas dirigindo-se para o local onde serão enlatadas
metrô 02
Sardinhas aguardando a abertura das latas
metrô 03
Sardinhas disputando vigorosamente para entrar nas latas
metrô 04
Sardinhas que ficaram com as barbatanas ou o rabo para fora das latas sendo comprimidas para dentro das latas por funcionários do enlatamento
metrô 05
Sardinhas enlatadas, prontas para transporte
metrô 06
Sardinhas durante o transporte

Eu achava que isso acontecia por causa do descaso dos governantes, da má administração, da ineficiência do Poder Público, do desvio de verbas, da corrupção… 

Como eu fui tolo!

Isso acontece porque o povo escolheu viver assim. 

Eu não entendo por que o povo brasileiro escolheu viver esmagado como sardinha em lata, governado pelos políticos corruptos que aí estão, ficando aleijado ou morrendo nas filas das emergências dos hospitais, com escolas de péssima qualidade, com baixa renda e alta criminalidade sendo parasitado pelos impostos e dizimado pela violência, mas sou obrigado a aceitar como um fato inequívoco que estas são as escolhas do povo brasileiro, verificáveis pelo comportamento diário dos brasileiros e por suas escolhas livres e soberanas nas urnas. 

E a razão é muito simples: o carnaval me mostrou que eu estava errado.

O povo brasileiro é altamente capaz de organizar-se e obter aquilo que deseja, sem ficar esperando pelas autoridades, sem ficar reclamando que os outros não fizeram aquilo que deveriam, sem esperar as coisas caírem do céu.

carnaval 01
Quando quer, o povo brasileiro produz aquilo de que vai necessitar, sem pedir para ninguém que o faça em seu lugar, mesmo que precise trabalhar o ano inteiro para isso, como faz para produzir as fantasias que irá usar no carnaval.
carnaval 02
Quando quer, o povo brasileiro utiliza as mais variadas competências técnicas para produzir equipamentos complexos, como carros alegóricos multi-articulados, com capacidade para carregar diversas pessoas e leves o suficiente para serem empurrados com tração humana.
carnaval 03
Quando quer, o povo brasileiro cria obras de arte impressionantes, com criatividade, sensibilidade e alta capacidade de realização dos projetos, como esta escultura que enfeitará um carro alegórico.
carnaval 04
Quando quer, o povo brasileiro estuda logística, planeja instalações capazes de acomodar milhares de pessoas e monta e desmonta tudo isso com muita agilidade e segurança.
carnaval 05
Quando quer, o povo brasileiro resolve problemas de espaço para armazenamento em boas condições de todos os equipamentos de que precisará utilizar.
carnaval 06
Quando quer, o povo brasileiro armazena todos os materiais de que irá precisar com o cuidado e o zelo de um almoxarifado profissional, de modo que tudo esteja em perfeitas condições quando for necessário.
carnaval 07
Quando quer, o povo brasileiro cuida de cada detalhe estético e funcional das instalações e de cada item de segurança para que tudo funcione como foi planejado, sem falhas e sem riscos.
carnaval 08
Quando quer, o povo brasileiro ensaia diligentemente o que cada um deve fazer e a coordenação entre todos, de modo a obter o melhor resultado possível.
carnaval 09
Quando quer, o povo brasileiro ensaia e volta a ensaiar aquilo que se propõe a executar, incansavelmente, para que o resultado seja perfeito.
carnaval 10
Quando quer, povo brasileiro faz reuniões de planejamento, de avaliação, de replanejamento e de reavaliação, corrigindo cada erro, resolvendo cada problema, em busca da melhor qualidade, em busca do sucesso total.
carnaval 11
Quando quer, o povo brasileiro constrói obras maravilhosas.
carnaval 12
Quando quer, o povo brasileiro brilha.
carnaval 13
Quando quer, o povo brasileiro se aproxima da perfeição. (As notas são do carnaval 2013. São 30 quesitos com nota de 0 a 10, então a nota máxima é 300.)

Quando quer, o povo brasileiro faz acontecer! 

Então… 

Dá licença, mas…

superlotado 01
Isto é opção. Se o povo brasileiro quisesse lazer de qualidade, bastaria se organizar como faz para o carnaval e teria lazer de qualidade.
superlotado 02
Isto é opção. Se o povo brasileiro quisesse reduzir a criminalidade, bastaria se organizar como faz para o carnaval e teria oportunidades de qualidade.
superlotado 03
Isto é opção. Se o povo brasileiro quisesse transporte de qualidade, bastaria se organizar como faz para o carnaval e teria transporte de qualidade.
superlotado 04
Isto é opção. Se o povo brasileiro quisesse transporte de qualidade, bastaria se organizar como faz para o carnaval e teria transporte de qualidade.
superlotado 05
Isto é opção. Se o povo brasileiro quisesse organização de transporte de qualidade, bastaria se organizar como faz para o carnaval e teria organização de transporte de qualidade.
superlotado 06
Isto é opção. Se o povo brasileiro quisesse estrutura urbana e moradia de qualidade, bastaria se organizar como faz para o carnaval e teria estrutura urbana e moradia de qualidade.
superlotado 07
Isto é opção. Se o povo brasileiro quisesse serviços de saúde de qualidade, bastaria se organizar como faz para o carnaval e teria serviços de saúde de qualidade.
superlotado 08
Isto é opção. Se o povo brasileiro quisesse educação de qualidade, bastaria se organizar como faz para o carnaval e teria educação de qualidade.
superlotado 09
Isto é opção. Se o povo brasileiro quisesse cidadania de qualidade, bastaria se organizar como faz para o carnaval e teria cidadania de qualidade.

Bastaria o povo “se organizar como faz para o carnaval”, ou seja, com interesse e com participação ativa, com responsabilidade pelo planejamento, pela execução de cada detalhe e pelo resultado final, fazendo o que é necessário fazer com competência e com zelo, sem mendigar ajuda a corruptos e sem pedir bolsa-abadá, para resolver todos os problemas deste país. Todos. 

Se o povo brasileiro não transforma o Brasil em um espetáculo de cidadania, tendo a capacidade de organização, planejamento e execução que mostra ter no carnaval, é porque não quer. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 05/03/2014

19 thoughts on “A grande lição do carnaval

  1. Acho que esse questionamento é colocado de forma interessante no filme Waking Life:

    “Quais são as barreiras que impedem as pessoas de alcançar, minimamente, seu verdadeiro potencial? A resposta a isso pode ser encontrada em outra pergunta, que é… qual é a característica humana mais universal, o medo…ou a preguiça?”

    1. Tens o link do filme completo? 🙂

  2. Não há como não concordar.
    Mas…na indústria do carnaval há recursos para esta organização, tanto oficiais, quanto, desconfio/dizem, oficiosos. Estaria aí uma atenuante?

    1. Não.

      Esses recursos existem porque esse povo todo os procura, consegue um pouco daqui, pressiona um tanto de lá, etc. 😉

  3. Bastaria o povo “se organizar como faz para o carnaval”, ou seja, com interesse e com participação ativa, com responsabilidade pelo planejamento, pela execução de cada detalhe e pelo resultado final, fazendo o que é necessário fazer com competência e com zelo, sem mendigar ajuda a corruptos e sem pedir bolsa-abadá, para resolver todos os problemas deste país. Todos.

    Se o povo brasileiro não transforma o Brasil em um espetáculo de cidadania, tendo a capacidade de organização, planejamento e execução que mostra ter no carnaval, é porque não quer.

    Onde eu assino?

    1. Já assinou. 🙂

  4. Agnes Gonçalves

    05/03/2014 — 19:45

    “Porque eu me organizando posso desorganizar”
    Chico Science.

    1. Nara Pereira

      06/03/2014 — 01:59

      Maravilhoso Chico!

    2. Desorganizar para colocar o que no lugar?

  5. UFC-BAHIA

  6. Arthur, você pode baixar o Waking Life legendado via torrent aqui: http://cinemacultura.com/?p=2635 . Esse filme é muito bom.

    1. Valeu! 🙂 Muito obrigado!

  7. gustavo andrade

    13/03/2014 — 18:03

    Arthur, compartilho o mesmo ponto de vista com relação à nossa sociedade. O brasileiro é assim, se tem carnaval, putaria, futebol e um trocado para comprar uma cervejinha no final de semana, para ele está tudo bem. não tem senso de coletivismo, é dai que nasce o jeitinho para dar um forma de se aproveitar das situações. O nível de alienação é tanto, que se você tentar exercer seus direitos ou falar de política, sempre vem um dizendo que você quer se aparecer, ser o sabidão. Na cidade dos meus avós, a população escolhe o prefeito(PASMEM, É VERDADE)com base nas bandas que ele contrata para os dias de festejos. Lá não tem escolas com ensino médio, não tem posto de saúde, MAS o que importa é a banda que vai toar no festejo.

    1. Gustavo, dá licença pra corrigir só uma palavrinha no teu texto? Troca “coletivismo” por “cidadania”. Coletivismo não é uma coisa boa, cidadania é.

      Mas essa da escolha do prefeito com base na banda é ótima. Eu adoraria saber mais detalhes sobre isso, se puderes me contar algo a respeito.

  8. Link do filme Acordar para a Vida (Waking Life):
    http://pt.fulltv.tv/waking-life.html

  9. Será que eu li mesmo essas palavras: ” … escolhas livres e soberanas nas urnas. “…???????

    Aaaaffff….

    Depois dessa, vamos combinar … pensar até que não dói mesmo mas te ler, Arthur…. kkkk… é parir sem nenhuma anestesia !!!!

    Deu…!!!

    1. E não são escolhas livres? Alguém é obrigado a votar nesta ou naquela alternativa? Alguém é impedido de participar do processo eleitoral a não ser que tenha impedimentos legais? O voto não é universal e secreto?

      Se o sistema está se degradando – ou se já se degradou além do admissível – isso também é escolha do brasileiro. Quando a ditadura militar terminou, um processo político democrático foi implantado no país. Quem se interessou em participar dele? Quem se organizou? Quem assumiu suas responsabilidades políticas com o mesmo empenho que os foliões assumem suas responsabilidades carnavalescas?

      O país está do jeito que os brasileiros querem. Se quisessem algo melhor, se mexeriam para fazer algo melhor.

  10. Terrível artigo. Mas não achei falhas na argumentação. Desesperador.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: