Gente que pede um golpe de Estado e a implantação de uma ditadura em nome da liberdade é moral e politicamente indistinguível de quem instala uma cleptocracia coitadista em nome da democracia e da ética na política. É difícil decidir qual me dá mais nojo. 

Marcha 1964 Constituição

Observe o que eu ressaltei nesta foto de 1964:  

“LUTAREMOS PELA CONSTITUIÇÃO”

Os manifestantes de 1964 protestavam contra o comunismo exigindo o respeito à Constituição. Não havia cartazes pedindo um golpe de Estado e a implantação de uma ditadura. 

Já os manifestantes de 2014 protestam contra o comunismo exigindo a violação da Constituição. Circulam amplamente na internet pedidos para que haja um golpe de Estado e a implantação de uma ditadura. 

Tanto no caráter do governo quanto no dos movimentos sociais – de esquerda e de direita – estamos pior do que em 1964. Ao invés de aprender com os erros dos últimos 50 anos, estas cambadas de canalhas e de idiotas dos dois lados estão louquinhas para repetir a história na forma de uma caricatura piorada, cada lado achando que desta vez esmagará o outro, ansiosos para meter o Brasil em mais um período de autoritarismo. 

Ganhe quem ganhar esse jogo de embrutecimento, quem sairá perdendo é o cidadão honesto e inofensivo. O que não deixa de ser um preço justo por sua acomodação e desleixo político. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 22/03/2014 

25 thoughts on “Marcha dos inconseqüentes com espírito de porco pela ditadura

  1. Acho complicado definir a Marcha de 64 por uma única faixa.

    1. Sim, claro. Mas há muitos outros registros neste sentido. Nós nos acostumamos a ouvir a versão da esquerda e apenas a versão da esquerda sobre a história. Pesquisando melhor não é difícil de constatar que a versão da esquerda é distorcida. (Aliás, a esquerda distorcer tudo não é nenhuma novidade…)

      Não acredita em mim: faz uma busca e tenta achar um único cartaz de 1964 pedindo um golpe de Estado e a implantação de uma ditadura, depois procura o mesmo nas imagens atuais.

      .
      .
      .

      Gostei dessa faixa aqui: “reformas sim, comunismo não”. http://www.pco.org.br/banco_arquivos/conoticias/img/2014/3/3760/43997/43997.jpg

      Ironicamente, olha de onde é a imagem. 🙂

    2. Não é questão de duvidar, pode ser que o pessoal da marcha de 64 estivesse super bem intencionado e o movimento deles foi utilizado como desculpa para o golpe. Meu ponto é que, por se tratar de uma afirmação polêmica, eu esperava uma argumentação mais forte ou mais links. Não que fosse fundamental para o texto, já que pedir um golpe militar quando mal saímos do último é o fim da picada.

    3. Se o pessoal da marcha de 1964 estava bem intencionado eu não sei e para falar bem a verdade tenho grandes dúvidas, mas eu sempre ouvi que “o povo foi às ruas para pedir a intervenção do exército” pelos dois lados da história, um afirmando que isso demonstrava que a “Gloriosa” era um golpe burguês e o outro afirmando que a demanda popular legitimava a intervenção do exército. Hoje percebo que os dois lados estavam reinterpretando os acontecimentos de modo bem distorcido.

      E tens razão: não achei importante me estender nos argumentos porque meu objetivo era apenas denunciar tanto a incoerência quanto a acomodação, mas teria sido bom aprofundar um pouco mais.

  2. Eu gostaria muito de perguntar para esse pessoal da marcha se eles estão cientes de que, se o pedido deles fosse atendido, eles sairiam da marcha direto para o DOI-CODI.

    1. Ou para os porões do DOPS.

  3. A “Marcha” de 2014 é uma total DISTORÇÃO daquela de 64!

    Olha só isso:
    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/reedicao-da-marcha-da-familia-quer-mobilizar-conservadores-em-sp

    O organizador do evento disse o seguinte:
    “Nosso movimento é contra a corrupção”, diz Franco. Mas o fotógrafo também acredita que, 50 anos depois do golpe de 64, os militares deveriam ser chamados novamente a desempenhar um papel na arena política brasileira. “Defendemos a intervenção militar para que haja uma transição de governo”, diz ele. As eleições marcadas para este ano não bastam para Franco. “Não temos confiança nas urnas eletrônicas.”

    O boi nunca se mantém longe da boiada,não é?!

    1. Eu também não tenho confiança nas urnas eletrônicas e muito menos ainda no gestor das urnas eletrônicas, mas o que eu quero é a presença de observadores internacionais com alta qualificação técnica e urnas auditáveis, não uma ruptura da ordem institucional e um regime de exceção “transitório” (o de 1964 também se propunha transitório, é sempre bom lembrar).

  4. É o ser humano,nada mais do que isso.

    O escorpião pica a si mesmo quando encurralado,dizem,rs.

    Quem ousar ler pode dar uma olhadinha em Primeira Samuel- 8,vejam só os direitos do rei.

    E Deus disse para Samuel explicar para o povo,advertindo-os solenemente,qual seriam os direitos do rei que reinasse sobre eles>>>>

    1)tomará os vossos filhos,e os empregara no serviço de seus carros,e como seus cavaleiros,para que corram diante deles;
    2)e os porá uns por capitães de mil e capitães de cinquenta;outros para lavrarem os seus campos e ceifarem as suas messes;e outros para fabricarem suas armas de guerra e aparelhamento de seus carros;
    3)tomará as vossas filhas para perfumistas,cozinheiras e padeiras;
    4)tomará o melhor das vossas lavouras e das vossas vinhas,e dos vossos olivais,e o dará aos seus servidores;
    5)as vossas sementeiras e as vossas vinhas dizimará,para dar aos seus oficiais e aos seus servidores;
    6)também tomará os vossos servos,e as vossas servas e os vossos melhores jovens e os vossos jumentos e os empregará no seu trabalho;
    7)dizimará o vosso rebanho , e vós lhe sereis por servos;
    Então naquele dia clamareis por causa de vosso rei,que houverdes escolhido;mas o Senhor não vos ouvirá naquele dia…

    E esta tem sido a maldição do escravo.
    A história da humanidade conta que tudo isso e muito mais os poderosos fizeram e fazem ao povo que os escolhe por senhor.

  5. As coisas não vão se repetir nos mesmos moldes porque são diferentes nos alicerces. O direitismo militar era contra os políticos que ganharam espaço com a renúncia de Jânio. Hoje o “direitismo” comunga com a esquerda no poder. São sócios! A marcha não levaria a golpe contra o estado… só contra nós!Naquela época – também – roubar era mais romântico ou pitoresco. Ademar de Barros dizia: “Eu roubo,mas faço!” Hoje eles dizem que não roubam, mas também não fazem! Antes nós acreditávamos no Ademar – nas duas partes da afirmação. Hoje nós não acreditamos mais nos ademares, pois eles roubam a luz do dia, sob os olhos da mídia, da igreja, do exército, da justiça e ninguém faz nada. Ou melhor: eles dividem o butim. Não há a quem recorrer. Só é hilário. Vejam só: o cara está reclamando! Do quê? Pra quem? Por quê? Mas é um idiota! Em vez de curtir reclama para o vento. A essência do espírito democrático está na possibilidade de todos nós podermos roubar uns dos outros sob a complacência dos poderes, contando que não seja de uma forma grosseira e deselegante…


    1. “Não há a quem recorrer.” (Romacof)

      Nós somos as pessoas a quem recorrer. O problema é que o povo não está interessado em recorrer a gente honesta e nós não conseguimos organizar nosso público nem sequer para mostrar que existe uma alternativa.

    1. Já postei sobre o Yuri Bezmenov. 🙂

  6. “Eu também não tenho confiança nas urnas eletrônicas e muito menos ainda no gestor das urnas eletrônicas, mas o que eu quero é a presença de observadores internacionais com alta qualificação técnica e urnas auditáveis, não uma ruptura da ordem institucional e um regime de exceção “transitório” (o de 1964 também se propunha transitório, é sempre bom lembrar).”

    Não é necessário fraudar urnas, tem o bolsa família…

    1. Sim, mas o Bolsa-Família é imoral, enquanto fraude eleitoral é imoral e ilegal. Tem uma diferença de grau de canalhice aí.

  7. Vejam onde o PLANETA está se metendo.

    Se a idiotice fosse coisa só de brasileiro,destruindo o Brasil o planeta estaria salvo.

    Infelizmente os xerifes do universo também são estúpidos.

    1. A macacada que elege os xerifes é que é estúpida.

    2. Cuidado ao falar “macacada” hoje senão os PCs vao querer te enquadrar por racismo.

    3. Quem tentar vai levar um processo por calúnia.

  8. Sempre foi,e não acredito que mude nos próximos milênios,se existirem.

  9. Sou uma guerreira,travo uma luta constante contra minhas ignorâncias e limitações.

    Se tenho tanta dificuldade em mudar a mim mesma,como posso exigir mudanças ao meu redor.
    Mudanças que não dependem de mim?

    O mundo é do jeito que é porque as pessoas são diferentes umas das outras.

    Posso ser derrotista,mas a lâmpada de Diógenes continua acesa,rs.

    E a cicuta continua em farta distribuição,ainda que a aparência seja outra.

    1. Como assim “mudanças que não dependem de mim”?

      Isso non ecziste.

  10. Por acaso EU posso te mudar em alguma coisa?

    Teu pai ou tua mãe podem te fazer mudar,se tu não quiseres?

    1. Eu estou falando do gerenciamento do mundo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: