Mudanças. A sina inescapável de um mundo marcado pela impermanência. Mudam as estações, mudam nossas vidas, mudam nossos destinos. Mudei eu de moradia e mudaram o blog e a página do Pensar Não Dói no Facebook. 

mandelbrot-antenn01
Mudei também de papel de parede no notebook. Este é o Conjunto de Mandelbrot, a imagem fractal mais famosa do mundo, em uma apresentação espetacular.

Mudei de casa neste final de semana. Saí da casa onde passei alguns meses acampado na garagem e voltei para um apartamento térreo cuja paisagem ao redor é de paredes por todos os lados e cuja garagem tem uma rampa de acesso tão inclinada que só permite entrar com o carro vazio e mui-to-de-va-gar para não raspar o fundo. Grunf. 

Já fui brindado com um vizinho ouvindo música brega e outro vizinho xingando o juiz da final do campeonato catarinense, tudo na tarde de domingo. Grunf duplo. 

Apesar dos pesares, acho que foi uma mudança para melhor. O local é mais silencioso, não tem trânsito em frente, não tem mosquitos e apesar de ser um apartamento térreo tem mais privacidade. Além disso, fica mais próximo de um supermercado e da casa dos meus amigos. 

Fiquei contente com a mudança e resolvi aproveitar a ocasião para fazer também algumas mudanças que havia tempos eu estava querendo fazer aqui no blog e na página do Facebook. 

O blog passa a levar meu nome, embora eu ainda não tenha certeza se vou deixar “Blog do Arthur” ou se vou simplesmente usar meu nome completo. O novo layout é provisório, para que os antigos leitores se acostumem com a minha foto no lugar da imagem do Darwinito. 

As razões destas mudanças são duas. 

Primeira: o internauta médio julga um site em poucos segundos, sem ler quase nada. Como eu falo muito sobre temas sérios e até pesados da atualidade, muita gente chega ao blog pelo Google. Esses internautas chegavam procurando uma notícia séria, davam de cara com a imagem do Darwinito e fechavam a página sem ler. 

Nos próximos dias vou promover uma transição e depois vou verificar se o Darwinito estava mesmo causando rejeição. Conforme for, tudo pode mudar novamente. Ou não. Veremos. 

Segunda: o compartilhamento automático no Facebook aparecia sob o nome “Pensar Não Dói” na linha do tempo dos meus amigos, e várias pessoas reclamaram que isso parecia agressivo, como se a pessoa que estava compartilhando o artigo as estivesse acusando de não pensar. Além disso, parecia que os meus artigos eram de autoria de quem os estava compartilhando. Cheguei a perder compartilhamentos automáticos por causa destes dois fatores. 

Nomeando o blog com meu próprio nome, tanto esta aparente agressividade quanto quaisquer confusões quanto à autoria dos artigos desaparecerão. 

A página do Facebook intitulada “Pensar Não Dói” não pode mais ser renomeada, porque já tem mais de 200 curtidas (314 curtidas hoje), então eu decidi ampliar um pouco o alcance dela e também divulgar automaticamente uns poucos blogs de alguns amigos. 

Deste modo ela passará a ser uma agregadora de blogs que fazem pensar e manterá a proposta e o estilo que quem já curtiu a página espera encontrar nela. (Essa mudança não afeta os compartilhamentos automáticos dos outros blogs que eu divulgo na minha linha do tempo.) 

É isso, então. O blog vai ficar com uma cara mais “coluna de revista” e a página do Facebook vai ficar um pouco mais abrangente e movimentada. 

Mudanças. Elas estão por toda a parte, o tempo todo. Espero que estas tenham sido para melhor. Caso contrário, virão novas mudanças… 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 14/04/2014 

19 thoughts on “Mudanças

  1. Conservador Cristão guerreiros em Cristo FAMÍLIA MORAL E BONS COSTUMES

    14/04/2014 — 19:17

    Você pretende tirar a imagem do Darwinito?

    Até que ele é simpático. Vai fazer muita falta.

    1. Ainda não sei bem o que vou fazer.

      Se surgisse um bom slogan para o blog. que fosse sério e ao mesmo tempo fizesse sentido em referência à imagem do Darwinito, como o nome “Pensar Não Dói” fazia, ou como o slogan “Tentando ser razoável no Planeta dos Macacos” fazia, talvez ele ficasse ali a meu lado.

      Eu gosto da imagem do Darwinito. Ela é a alma do blog. Porém, se ela faz com que as pessoas tenham uma imagem errada do blog, então mantê-la acaba prejudicando o blog.

      É bem complicado.

      Verei que sugestões surgirão.

      Mas tenho que manter a credibilidade do blog como principal critério.

  2. Olá, Arthur!

    Acho que a mudança trará, sim, mais seriedade à aparência do blog, mas acho que manter a imagem do Darwinito ao lado da sua leva a uma comparação entre ele e você. Pelo menos para mim, traz essa ideia…

    PS: Aproveitando a deixa do fractal: haveria em seus planos algum artigo relacionado à Ciência? Ou à Matemática?

    Até mais,
    Lucas.

    1. E essa comparação traz que tipo de impressão?

      Se for um contraste, beleza. Se me fizer parecer com o Darwinito, deleto o miserável agora já. 😛

      Eu espero conseguir postar mais artigos sobre ciências em geral. Faz tempo que eu quero incluir no blog uma página neste estilo aqui: http://www.sciencecouncil.org/definition#

  3. PS2: A frase nova é fantástica.

    1. Valeu! 🙂 (Mas ainda é provisória!)

  4. Eu acho que até alguém avisar que é contraste, fica a impressão de que é de semelhança…

    E uma página como aquela que você referenciou ficaria excelente, até porque você poderia colocar como link permanente na home do site e como guideline em qualquer artigo sobre Ciência.

    1. Semelhança? Vou me matar. 🙁

  5. Lucas, peraí… Agora que eu me dei conta… Quando disseste que “a nova frase é fantástica” estavas falando da frase sob o título do blog ou da explicação de Kant sobre o que é iluminismo, que estava na coluna da direita?

  6. Falava desta: “Ou iluminismo, ou obscurantismo. Tertium non datur.”
    E não precisa se matar! Por favor… Mas que a imagem combinada parece com uma daquelas montagens malfeitas de haters fazendo vídeos no Youtube, isso sim…
    Se houver alguma espécie de imagem ou símbolo que passe a ideia de repulsa ao tipo de coisa que o Darwinito representa, essa seria a melhor opção…

    1. Ah, certo, falávamos da mesma frase, então! 🙂

      Pôxa, muito obrigado pelo elogio à montagem que eu fiz da minha foto com a do Darwinito… Foi muito estimulante… :-/

      (Cadê aquela corda pra me enforcar?)

    2. Mas está certo, sinceridade é a chave da correção…

  7. Malditas tags HTML. Fizeram-me errar o itálico.

  8. Aposente o bonequinho que serra sentado ao contrário. Mas aconselharia uma nova foto! Tire a gravata! Tirar o casaco também seria aconselhável. (Quadradérrimo!) Pode deixar uma camisa (já que o foco não é o naturismo)! Prefira uma foto frontal. Perfis inclinados são do gosto de políticos por que olhares soslaiados deixam no ar uma peteca do tipo “sei de coisas que vocês não sabem, mas estou aqui para iluminar vocês”! Não use chapéus! Turbantes nem pensar! Óculos, se você os usa de costume, devem estar presentes. Dão veracidade à miopia generalizada e o torna mais humano. Sorria sem mostrar os dentes. Há animais que interpretam isso como rosnado. Um olhar rajneeshiano ajuda. A cor da camisa deve ser editável conforme as tendências. Interprete tendências de forma elástica para abranger desde moda à sexualidade e desde estado de espírito ao espírito político. Fico com pena de “Pensar não dói” ser um item considerado ultrapassado ou passível de más interpretações. Porque não “O blog de Arthur Golgo Lucas, onde pensar não dói” ?

    1. Nada de gravata, nada de casaco, nada de chapéu, nada de turbante… Tá, eu sobrevivo. Mas “olhar rajneeshiano” eu não tenho a menor idéia do que seja. Já sei que um olhar gassetiano também será contra-indicado (Ortega y Gasset dizia que um olhar apertando um pouco as pálpebras era profundo, significativo e sedutor, mas eu tenho um pouco de senso de ridículo, felizmente). Vai ter que ser um olhar normal, sem frescura nem charme, infelizmente.

      Vou precisar bater dezenas de fotos até achar uma que eu não ache horrível. 🙁 A da gravata foi tirada logo após a festa de formatura de um amigo, alguns anos atrás. Foi a última vez que eu usei gravata, mas gostei da foto. 🙂

      Mas aposentar o Darwinito vai doer. Acho que vou dar um jeito de mantê-lo ativo. Vou escrever um artigo sobre a estupidez e linkar com a imagem do Darwinito bem no pé da página, sob os links de arquivo do blog. só vai chegar lá quem já tiver lido alguma coisa. 🙂

      E “Pensar Não Dói” continuará sendo um bordão bastante utilizado. Não vai morrer. Só não vai mais ser o nome do blog, para não causar confusão.

  9. Cérebro 1 X 0 Fígado. Sou obrigado a concordar com teu raciocínio (de novo). Tens que promover tua imagem, PresidentO Lucas.

    Não consigo imaginar a impressão que o visual inicial causava no visitante médio. Porque eu simplesmente a-do-ra-va o título e o Darwinito. “Pensar não dói”, embora seja mentira (dói em alguns). O Darwinito poderia aparecer em textos que tivessem a ver.

    Mudar tua foto? Olhar sexy-hipnótico? Não sei. Terno ajuda a agregar seriedade, embora eu não goste.

    1. A sensação de eliminar o nome “Pensar Não Dói” para mim está sendo comparável à sensação que o Marco Zygoteano deve ter sentido ao amputar o braço esquerdo com uma motosserra no pátio do hospital. Mas os Zygoteanos estão vindo, é necessário fazer o que é necessário fazer…

      A imagem do Darwinito, o nome Pensar Não Dói e a sacada que surge quando são apresentados juntos continuarão vivos: eles permanecerão intocados no < a href="https://www.facebook.com/arthur.bio.br" target="blank">portal do Facebook. Eliminar completamente essa referência histórica seria demais.

      A única diferença no Facebook é que a página do blog virou um micro-portal de blogs, então vou ter que modificar a imagem de capa, em que a Mafalda grita o endereço do meu blog. Talvez ela simplesmente passe a gritar um outro slogan, talvez a imagem mude completamente. Sei lá, ainda estou me adaptando às mudanças.

    2. Já pensou em colocar o Darwinito bem pequeno mas visível, logo abaixo do seu nome, com a explicação em letras menores “Porque pensar não dói”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *