Era uma vez dois gladiadores. Eles lutaram e um deles matou o outro, que foi substituído por um terceiro. 

polícia_e_ladrão

Pouco importa quem morreu. A turba queria sangue e o imperador apontou o dedo para baixo, sorrindo, a salvo. 

A turba sabe que os gladiadores são recrutados em suas fileiras. Mas todos acham que o espetáculo tem que continuar. 

Spartacus não perdeu nada. Quem pensa o contrário é um tolo iludido. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 17/04/2014

3 thoughts on “Os gladiadores

  1. Ainda bem que quem morreu foi um gladiador, e não um pobre leãozinho. Senão véio, a turba derrubava o Coliseu.

    1. AAAAAAFFFFFFFFFF… 😛

  2. Explicando as metáforas:

    Isso é o que acontece hoje em dia. Assim como os gladiadores, a população de hoje é dividida em facções arbitrárias que são postas postas em conflito.

    Podem ser policiais e ladrões, como na ilustração, ou quaisquer outras “classes” como brancos e negros, homens e mulheres, gays e cristãos, etc.

    Ao invés de se solidarizar com quem sofre, cada um na população escolhe um lado e torce de modo sádico, sem dar bola para o fato de que vive como uma rês no curral à espera do abate.

    Enquanto isso, uma elite oportunista promove e organiza os conflitos, mas obviamente se mantém a salvo.

    Spartacus resistiu à escravidão contra o exército romano e acabou sendo morto. O que ele perdeu? Nada. Morrer todo mundo vai. Muito melhor morrer lutando pela liberdade do que viver como escravo.

    Mas isso é para quem uma espinha dorsal. Spartacus tinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *