Por favor, alguém me explique: como é que o casamento gay ameaça a família? Se o Estado reconhecer a união do meu vizinho gay com o namorado dele, eles vão comemorar esfaqueando a minha esposa e meus filhos, é isso? Ou talvez os gays só possam se casar se assinarem os documentos com sangue removido da hipófise de heterossexuais abatidos com balas de prata? Não sei, não estou entendendo isso. 

Bolo de casamento gay

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 03/06/2015 

31 thoughts on “Pergunta ao leitor: casamento gay

  1. Por coincidência, hoje mesmo eu estava me lembrando de uma imagem que eu vi em uma página do Facebook. Acima, havia uma foto de religiosos radicais (provavelmente cristãos, mas não tenho certeza) protestando contra o casamento entre pessoas de “raças” diferentes, presumo que na década de 40 ou 50. E abaixo havia uma foto atual de “cristãos” protestando contra o casamento gay. E mais abaixo estava escrito: “imagine como você vai parecer ridículo daqui a 50 anos”.

    Sério, no tempo do Orkut eu conversava com várias pessoas que eram contra o casamento gay e perguntava o motivo, e NENHUMA jamais me deu uma resposta satisfatória. O máximo que eles diziam era “casamento é entre homem e mulher, casamento entre dois iguais não existe” ou algo do tipo.

    Porém, convém lembrar que, até pouco tempo atrás, a medicina ocidental tradicional considerava a homossexualidade uma doença. Veja bem, não estou falando de nenhuma teoria sem pé nem cabeça, de nenhuma religião fundamentalista, estou falando de MEDICINA. Aqui na minha casa mesmo tem um livro escrito por um psicólogo na década de 80 com orientações que supostamente poderiam “redirecionar a sexualidade desviada”, conforme as palavras do autor.

    Porém, creio que a sociedade evolui com o tempo.

  2. Esta aí uma coisa que nunca entendi – qual é o problema desse povo contra o casamento civil de pessoas do mesmo sexo…. Certa vez perguntei a um colega evangélico e ele me disse que os pastores afirmam que se sair a lei os homossexuais vão querer forçar os pastores a fazer o casamento dentro da igreja….

    Juro….

    Simplesmente não faz sentido…

    1. Sim, essa é uma objeção um pouquinho mais racional. Porém, a lei do divórcio já existe tem um bom tempo e ninguém pensou em obrigar a ICAR a casar divorciados. O que é uma bela hipocrisia, já que um divorciado que se tornar viúvo pode se casar normalmente.

  3. Pare! vc quer que nossas crianças vejam estas obscenidades de homem com homem e mulher com mulher e pensem que isso é o normal? Vai que eles achem que isso é o habitual? Não, não é assim. O normal, o habitual, é um homem casado com uma mulher. Este homem, algum tempo depois de casado vai ter uma amante, talvez mais. Esta mulher, depois de algum tempo, vai pensar em ter um amante, até ter. Os filhos vão passar horas e horas na mídia móvel e os pais vão chegar em casa cansados e não vão ter tempo de saber se eles estão lendo algum livro legal. Vão se preocupar com as notas na escola, normalmente, pq isso afeta o status familiar. E o pai e a mãe vão furar filas, e dar um jeitinho de conseguir bons empregos pros filhos que não conseguirem por sua própria capacidade. Isso tudo é o normal, o habitual a ser seguido como exemplo pelas nossas crianças, e não venham vocês com estas anomalias emocionais e sociais!!!!

  4. Não adianta querer ser politicamente correto. Homossexualismo não é normal nem nunca será. Desde que mundo é mundo, o homossexualismo foi considerado doença pela medicina, tendo sido retirado apenas na década de 80, não com base em evidências científicas, mas por pressão do movimento gay organizado. Essas pragas querem empurrar sua visão de mundo distorcida goela abaixo de todos, impondo como normal algo que não é, e quem disser o óbvio (que isso não é normal) é logo taxado de “homofóbico”.

    Fui criado por um PAI e por uma MÃE, recebi uma educação cristã e aprendi a valorizar a moral e os valores da família tradicional, valores que transmito agora ao meu filho e que hoje, infelizmente, estão cada vez mais em desuso.

    Não tenho nada contra homossexuais, mas não queiram me obrigar a achar isso normal.

    1. Eu comecei a ler achando que era ironia. PQP, já procurou saber sobre os gregos, os bonobos, etc. Evidente que uma minoria nunca será o normal, mas é só nisso que você baseia sua homofobia?

    2. Está vendo? Bastou eu dizer que o homossexualismo não é normal para me tacharem de homofóbico. Homofobia não existe, esta palavra é apenas um xingamento que o movimento gay encontrou para discriminar todos os que discordam de suas práticas.

      Sobre o homossexualismo na Grécia antiga, recomendo este link:

      http://www.linkscatolicos.com.br/2013/09/o-mito-do-homossexualismo-na-grecia.html

      Deus ama os pecadores, (sejam homossexuais, ateus, feministas, pedófilos, ladrões, etc) mas isto não significa que não irá puni-los.

    3. “Desde que mundo é mundo, o homossexualismo foi considerado doença pela medicina, tendo sido retirado apenas na década de 80, não com base em evidências científicas, mas por pressão do movimento gay organizado.”

    4. O que tem de errado com esta frase? Eu apenas fiz uma constatação histórica.

    5. Esse link remete para sites católicos que não dão as fontes de suas argumentações. Destaco uma colocação correta de um desses sites: “[Advogando em causa própria, retira toda credibilidade!]”
      Estou com preguiça imensa de ficar pesquisando links confiáveis para argumentar contra quem não está aberto à possibilidade de ser convencido. Vou apenas levantar algumas dúvidas. Costumes sociais muitas vezes evoluem em ondas, alternando períodos de tendências opostas. Nesse caso, pode ter havido períodos em que a homossexualidade era mais tolerada e períodos em que era mais combatida. Se a própria democracia grega teve altos e baixos por que a tolerância com a homossexualidade não teria? Além disso, uma prática que não é comum não precisa ser combatida, ela simplesmente é um não problema. Ninguém achará uma lei proibindo o uso de celulares nas aulas de Platão. Sem links confiáveis e sem uma análise temporal mais consistente vai ficar sua palavra contra a minha. Por enquanto está bom para mim.

    6. Chamou os homossexuais de doentes.

    7. Rachel Sheherazade

      Ex-gays: eles também existem!

      https://www.youtube.com/watch?v=Z9Z34ygpYjE

      Ótimo vídeo.

    8. A Lei de Godwin me impede de argumentar contra a Rachel.

    9. HAHAHAHAHA! Quem com mais de dois neurônios funcionais dá a mínima para o que a Rachel Cheira a Nazi pensa?

  5. É simples: as pessoas adoram regular a vida alheia, o estado sempre foi a melhor ferramenta pra isso. Vence quem tem mais capacidade de fazer lavagem cerebral e de manipular a máquina.

  6. De um modo geral, os religiosos acreditam que os homossexuais ameaçam a família porque o seu líder religioso disse que sim. Tem alguns mais esclarecidos que acreditam que se trata de uma escolha comportamental que pode ser induzida. Desse modo, tudo que naturaliza a prática homossexual poderia torná-la hegemônica ameaçando a normalidade da família tradicional descrita em seus livros mágicos. Penso que a única questão válida nesse episódio seria se cenas de carinho na TV devem ser permitidas ou proibidas, independente da orientação sexual dos envolvidos.

  7. A união gay, Arthur, abala profundamente as raízes da família heterossexual! Cento e cinquenta voluntários masculinos, exteriorizando todos os tipos de paladares sexuais (heterossexuais, homossexuais, indiferentes, simpatizantes, antipatizantes, bolsonaristas, e por aí vai!), foram expostos a filmes explicitamente gays, com personagens do sexo masculino). Os indivíduos da platéia tinham seus parâmetros sexuais mensuráveis (diâmetro do pênis, movimentos involuntários da pele escrotal, ritmo cardíaco, pressão arterial, e essas coisas), monitorados durante o experimento. Os ditos héteros e assemelhados foram os mais atingidos pela pegadinha erótica. Os mais enojados da boca para fora foram os que tiveram as maiores ereções das calças para dentro. Fazendo uma analogia, perfeitamente cabível no contexto, as raízes da família heterossexual foram as que ficaram mais túrgidas.Logo, abaladas! Conclusão: O homofóbico tem um profundo medo de exteriorizar suas sensações sobre o assunto. O homofóbico não sabe perceber a diferença psíquica entre o ilimitado prazer e o libido como impulso necessário ao afeto. Em suma: o homofóbico é, antes de tudo, um veado.

  8. Alguém já se perguntou por que não tem casamento gay lá dentro do Club Bildeberg? Alguém já se perguntou por que essa elite globalista constituídas de famílias dinásticas, rígidas, hierárquicas, patriarcais, dão rios de dinheiro para esses movimentos de esquerda, que defendem essas novas modalidades de família? como casamento gay? Alguém já pensou nisso? Alguém já pensou, por que eles jamais permitiram esse tipo de novas modalidades de família na família deles, mas apoiam na dos outros?

    1. A redução do número de filhos das famílias tende a concentrar os bens tornando as famílias tradicionais mais ricas.

  9. Acho que o que mais pegou, nesse caso, foi a insistência do movimento gay e de seus apoiadores em ousar, forçando goela abaixo a aceitação do que eles pregam a uma maioria já cansada de tanto auê.

  10. Joaquim Salles

    04/06/2015 — 17:51

    Desconfio que parte da questão seja o conceito de “família” ( ou família nuclear burguesa) da qual o marxismo gostaria de destruir.
    Veja, por exemplo, em https://www.youtube.com/watch?v=QUoWUfUhSEw.
    Já achei frase dos tipo as seguir na net:”Nós só conseguimos chegar ao nível que estamos graças “a “família nuclear burguesa”.
    O fim da família tradicional representará o fim da sociedade, a queda no caos e a transformação do mundo num depósito de gente sem laços, facilmente manipuladas e comandadas por algum grande irmão orwelliano. Esse é o objetivo de Karl Marx, indíviduo que não teve competência para cuidar de sua própria família e, então, lançou as bases para destruição de todas as famílias. ”

    Nesse link achei algo que parece ser mais próximo da sua pergunta: https://www.youtube.com/watch?v=QUoWUfUhSEw
    “Segundo as premissas aceitas pela sociedade atual, os homossexuais não estão errados em reivindicarem os mesmos direitos que os heterossexuais, a conclusão não pode ser outra: eles, de fato, têm os mesmos direitos. Mas, quais são essas premissas falsas? E como chegaram a ser assumidas? É o que Padre Paulo Ricardo explica neste Parresía.” Pelo que entendi, se questiona ( se entendi corretamente) são as “premissas” usadas, ou seja o “sexo” como fonte de procriação X fonte de prazer.

    Agora, apos ler muito sobre o tema ainda não entendi todas essa confusão.

    1. Nenhum casal é mais capitalista e burguês que um casal gay.

  11. estou profundamente impressionado com muitos comentários que acabo de ler… caramba!! Tem enrustido em tudo que é canto…

  12. Joaquim Salles

    05/06/2015 — 11:24

    Achei esse outro link http://ohomossexualismo.blogspot.com.br/2014/01/10-razoes-pelas-quais-o-casamento.html porem acho que também não responde a questão. Achei boa parte da argumentação fraca.

    A “melhor” que achei até agora é do Padre Paulo Ricardo. Tá certo que ele questiona as premissas:
    “Segundo as premissas aceitas pela sociedade atual, os homossexuais não estão errados em reivindicarem os mesmos direitos que os heterossexuais, a conclusão não pode ser outra: eles, de fato, têm os mesmos direitos. Mas, quais são essas premissas falsas? E como chegaram a ser assumidas?”.

    Só não entendi quais as premissas falsas e a razão.

  13. Kkkkkk… Ainda tem gente discutindo se homossexual pode isso ou aquilo? É como discutir se negro pode casar com branca (proibido por lei nos EUA até 1967!) ou se índio é gente. Essas vozes supostamente conservadoras são nada mais que néscios com problemas sexuais, pois não foi apenas um, mas seis estudos sérios que demonstraram que os únicos que têm preocupação com a homossexualidade alheia são indivíduos que, mesmo sendo heterossexuais, têm alguma atração homoerótica que lhes incomoda. Por isso querem eliminar do mundo isso q lhes causa tentação e provoca curiosidade. Quem é realmente macho, e o Arthur pode tirar diploma disso, graças aos seus vários artigos tocando no tema, não tá nem aí pro q outro macho faz na cama, desde q não seja com a mulher dele. O divórcio só foi aprovado no Brasil em 1977! Mas ainda na década de 80 mães casadas de amigos meus por vezes desaconselhavam que andassem com um filho de divorciados… Tudo isso não parece ridículo hj em dia? Pois é. O Bernardo e os Malafaias estão fadados a serem lembrados com o mesmo desdém e pena q temos daqueles americanos q não queriam dividir assento do ônibus ou da escola com negros. Esse suposto boicote à novela das 9 por causa do beijo da terceira idade é da mesma laia daquele em q americanos cretinos fizeram contra a NBC-TV por ter colocado no ar a cantora Petula Clark (branca) cantando com Harry Belafonte (mulato) – porque a loira, no finalzinho da canção, agarrou o braço do cantor jamaicano… Não precisamos perder tempo combatendo esses coitados, a História se encarrega de varrê-los para as margens.

  14. O Brasil é tão cheio de tacanhos q em pleno 1984 o público rejeitou (e a Globo acatou) o romance entre Zezé Motta e Marcos Paulo. Por ela ser negra. Em 1984!!! Então a opinião das massas sobre a homossexualidade não interessa. Como no caso do divórcio, dos direitos da mulher e do racismo, o q interessa é como decidem as elites pensantes, q têm as rédeas na mão. Se deixássemos para essa gente do dízimo decidir, não teríamos sequer divórcio e os negros estariam na senzala.

  15. Ok, é aceitavel que seja liberado, mas e quanto ao casamento entre irmãos, e entre pais e filhos? Afinal eu quero dar uns amassos na minha irmã, e ela me disse que se não fosse minha irmã casava comigo. E sem preconceitos ou piadinhas por favor, afinal, o que é mais esquisito ver dos homens bigodudos se beijando ou um homem e mulher apenas pelo fato de serem um pouco mais proximos, ninguem na rua acharia estranho. Por mim que liberem casamento entre irmãs e irmãs tb se quiserem, mas eu quero olhar a questão pelos meus interesses pessoais. Quem não lembra do caso da americana que era apaixonada pelo pai e os dois dormiam juntos, quando essa sociedade deixara esses preconceitos bobos, afinal o pai e a filha não estavam fazendo mal a ninguem, so queriam ficar juntos.

    1. Junta uma turma que concorde com você e reivindique isso. Por mim tudo bem. Só vou ficar na torcida para que ninguém use comparações esdrúxulas para tentar invalidar sua luta.

    2. Opa, vlw pelo apoio Andre. So acho que não seja algo que precise juntar turma, ou obter numeros, afinal, se fosse pela opinião da maioria, as questões do homossexualismo voltariam la para tras, e sim do nosso direito pessoal de duas pessoas autosuficientes, adultas, viverem suas vidas como bem entenderem sem fazer mal a ninguem.

    3. Mas você não vai conseguir arrancar concessões da maioria (que num mundo perfeito seria desnecessário) sem se organizar politicamente. Nesse processo você vai, entre outras coisas, aprender a engolir alguns sapos em nome de um objetivo comum, se submeter à vontade da maioria da minoria, apoiar lideranças um tiquinho estúpidas mas carismáticas, etc.

  16. Já tinha pensado nisso antes. Sinceramente, não sei como dar uma resposta racional a isso. Mas nesse caso ainda prefiro ser contra o incesto, mesmo assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *