Os primeiros cinco anos do blog foram muito intensos. Nos últimos doze meses, todavia, os rascunhos se acumularam e as postagens diminuíram de freqüência. Isso é sinal de que algo precisa mudar se eu quiser manter o blog funcionando. Suponho ter encontrado uma fórmula razoável.

Uma pequena mudança

Eu achava que minha queda de produção se devia à depressão que me acometeu nos anos de 2012 a 2014, mas percebi que não: primeiro porque a minha produção até a metade de 2014 foi intensa, segundo porque desde o início de 2015 minha produção não aumentou apesar de eu ter me recuperado muito bem graças à dieta paleolítica de baixo carboidrato (e agora pretendo atingir um patamar superior de vitalidade e disposição com um tipo de exercício físico “maluco” que todo mundo está dizendo que vai me matar, assim como disseram que a minha dieta “maluca” ia me matar, mas isso é assunto para outro artigo).

Se minha queda de produção não teve correlação com minha saúde, então qual seria o problema? Parei para pensar no que poderia estar me afetando e lembrei de conferir a data de um certo artigo. Bingo.

A real é esta: muito da energia que eu tinha para escrever se devia à esperança de construir um projeto político iluminista para o Brasil. Quando caiu a ficha de uma vez por todas que um projeto político iluminista nacional não tem a menor chance de progredir no Brasil, uma imensa república de bananas, subdesenvolvida e totalmente dominada por mentalidades obscurantistas e corrupção, o desânimo me venceu.

Por sorte eu sou biólogo.

Eu não deixei de acreditar no iluminismo, eu deixei de acreditar em um projeto político iluminista para o Brasil. Há uma grande diferença entre uma coisa e outra. Macacos iluministas continuam a ser interessantes e representam uma ilha de sanidade em meio a um oceano de macacos obscurantistas. 😉

Além disso, nossa velha amiga seleção natural vai resolver o problema, de um jeito ou de outro. Considerando o desastroso panorama cultural do Brasil, ser iluminista hoje se resume a pouco mais que ser um sobrevivente. Pelo menos até que eu tenha um novo surto de salvação de mundo, é isso que eu pretendo fazer.

Isso nos traz de volta ao problema da produção do blog.

Eu sou um iluminista. E eu gosto de política. Seria impossível contrariar minha natureza e passar a tratar de futilidades no blog. Portanto, eu vou continuar escrevendo bastante sobre política – mas vou mudar a estratégia. Para que o blog volte a um nível mais interessante de atividade, vou acrescentar uma boa pitada de colunismo político ao Pensar Não Dói.

Vejam bem: o Pensar Não Dói nunca foi, não é e nunca será um blog sobre política. Política é apenas o assunto sobre o qual eu mais escrevo. E isso vai continuar assim. A diferença é que o Pensar Não Dói só tratava da política obscurantista mundana como exceção, preferindo ater-se ao debate de princípios, e agora eu pretendo escrever um pouco mais sobre atualidades da política.

A maioria dos artigos do Pensar Não Dói era relativamente atemporal. A partir daqui, uma proporção maior acabará por ficar datada, mas eu espero que isso me permita manter o blog ativo ao mesmo tempo em que escrevo os artigos do estilo tradicional com mais tranquilidade, sem pressa para publicar só porque o blog está há dias sem artigos novos. Acho que é um preço pequeno a pagar para revitalizar o blog.

Palpites?

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 04/07/2015

12 thoughts on “Uma pequena mudança no blog

  1. “Além disso, nossa velha amiga seleção natural vai resolver o problema, de um jeito ou de outro”.

    É bom que venha logo. Idiocracia parece cada dia mais plausível.

    1. Idiocracia é mais ou menos o que está acontecendo de fato, mas é uma etapa transitória da evolução da humanidade, instável, que, se não for revertida pelo iluminismo, acabará forçosamente em função da superpopulação, do colapso climático ou de alguma ação de extermínio populacional planejado. É certo que o regime idiocrático vai terminar – opcional é o método.

  2. Meu único palpite é que adote de vez o disqus!

    Fora isso achei legal a proposta!

    Abraços 😀

    1. Prometo ler mais sobre a plataforma Disqus e reanalisar a idéia. 😉

  3. Interessante a mudança de foco! Abriu os olhos “…quando caiu a ficha de uma vez por todas que um projeto político iluminista nacional não tem a menor chance de progredir no Brasil, uma imensa república de bananas, subdesenvolvida e totalmente dominada por mentalidades obscurantistas e corrupção” e concluiu que a “nossa velha amiga seleção natural vai resolver o problema, de um jeito ou de outro”. E, além do mais, fica evidente que com “o desastroso panorama cultural do Brasil, ser iluminista hoje se resume a pouco mais que ser um sobrevivente” Comentar um texto do Arthur é barbada com Ctrl-C e Ctrl-V. Ele bate o escanteio e marca o gol de cabeça. Aprovo as mudanças. 🙂

    1. Valeu. 🙂

      Agora é tomar fôlego e começar…

  4. Acho ótimo. Vou gostar do conteúdo (mas pretendo discordar de 90% do que disser), e da maior frequência.

    1. Hehehehe… Vou achar ótimo te ver concordar mais comigo. 🙂

  5. No aguardo. Mas desconfiado.

    1. Desconfiado do quê?

    2. Que você continuará atraído por análises mais profundas e atemporais. Penso em você mais como um cientista que como um colunista. Mas veremos, você é talentoso e quando quer, flexível. O problema é o “quando quer”.

    3. Bem, obrigado pelos elogios. 🙂 Vou tentar misturar o cientista, o ideólogo e o colunista. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *