O Esperanto é a Língua Neutra Internacional, criada por Lázaro Luís Zamenhof para se tornar a segunda língua de todos os povos e promover a comunicação internacional em pé de igualdade e espírito de fraternidade entre todos os povos, culturas e nações, preservando suas línguas nativas e suas culturas. É a língua mais fácil de ser aprendida no mundo, podendo ser dominada em seis vezes menos tempo que qualquer outra.

Zamenhof sobre a bandeira do Esperanto
Imagem de Zamenhof, o criador do Esperanto, em montagem com os continentes como marca d’água e a frase “paz no mundo” em Esperanto, sobre a bandeira do Esperanto.

Todo infinitivo verbal termina por -i. 
Todo futuro termina por -os. 
Todo presente termina por -as. 
Todo passado termina por -is. 
Todo condicional termina por -us. 
Todo imperativo termina por -u. 

Todo particípio passivo passado termina por -it-.
Todo particípio passivo presente termina por -at-.
Todo particípio passivo futuro termina por -ot-.

Todo particípio ativo passado termina por -int-.
Todo particípio ativo presente termina por -ant-.
Todo particípio ativo futuro termina por -ont-.

Todo substantivo termina por -o,
Todo adjetivo termina por -a.
Todo advérbio derivado termina por -e.

É necessário decorar uma lista de advérbios fundamentais e preposições.

Há uma pequena tabela de correlativos que também precisa ser decorada.

Há dois casos, nominativo e acusativo.
O objeto direto é marcado por -n (a marca do acusativo).
O objeto indireto é antecedido pela preposição.

Isso é quase toda a gramática do Esperanto. Que outra língua pode ter quase toda sua gramática descrita em 20 linhas? 🙂

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 13/09/2015

Quer aprender Esperanto de graça e com um ótimo material?

Clique aqui e baixe este livro: Esperanto Sem Mestre.

8 thoughts on “Aulinha rápida de Esperanto

  1. Mapa do esperanto no Brasil (em formação): http://goo.gl/PaaheF

  2. Onde posso aprender mais Arthur?

    1. Valeu Arthur!

  3. Ei porque é importante haver uma língua neutra como idioma de comunicação. Nenhum povo deveria impor sua língua aos outros. Um exemplo é a tentativa do governo chinês de acabar com pasmem, o cantonês:
    http://news.ubc.ca/2015/04/28/is-the-cantonese-language-under-threat/

    1. Bem facilzinho acabar com uma linguagem com centenas de milhões de falantes. 😛

    2. Acho que o objetivo é enfraquecer Hong Kong, eles sabem que acabar é impossível.

    3. Eu não duvido que eles tentem qualquer coisa. Quem vai se opor ou discutir com um partido extremamente autoritário com duzentos milhões de filiados armados? O cara some e quem pergunta por ele fica sendo enrolado ou some também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *