Demitido por questionar ideologia esquerdista no Facebook

Segundo a Zero Hora: “O ilustrador Allan Goldman, que já desenhou histórias do Superman para a DC Comics, foi afastado da Chiaroscuro Studios, estúdio através do qual prestava serviços para editoras norte-americanas, após publicar um comentário sobre a jovem de 16 anos que foi estuprada no Rio de Janeiro em sua página pessoal no Facebook. No post, o ilustrador questionava a possibilidade da aplicação do que chamou “ideologia de gênero” no caso.

2002-2007 Dionisio Codama Sao Paulo, Brasil http://aimore.net http://aimore.org

O que o cara disse foi exatamente o seguinte:

“O que acontece se os 30 estupradores da menina alegaram que são mulheres?

Segundo a ideologia de gênero dos esquerdistas, uma pessoa é o que sente, e sua biologia não importa. A sociedade é obrigada a aceitar essa decisão, senão é fascismo!

Como a justiça irá julgar o caso de uma mulher que foi violentada por 30 outras mulheres?” 

Ou seja: o cara não falou que houve ou que não houve um estupro, não duvidou da palavra da vítima, não disse que a vítima é culpada pelo estupro, na verdade ele nem sequer falou do estupro!

O que ele fez foi, no contexto da discussão deste caso, questionar a ideologia de gênero da esquerda e dizer que seria um absurdo se os trinta estupradores se declarassem mulheres. Foi por isso que ele foi demitido.

Obviamente, a nota que os esquerdistas lançaram no Facebook para justificar a demissão do artista fez parecer que o sujeito estava atacando as mulheres, banalizando a violência, dando suporte à “cultura de estupro” e negando outros blá-blá-blás esquerdistas: 

“Aos nossos fãs e amigos,

O mais recente caso de violência contra a mulher nos encheu de tristeza e indignação.

Cabe a nós defender, valorizar e apoiar as mulheres, a comunidade LGBT e todas as minorias e causas que representam uma luta pela justiça, liberdade e igualdade, que entendemos como questões que são mais profundas que a simples polarização política.

A apologia e banalização da violência e da discriminação não cabem mais na sociedade e tampouco em nossa empresa.

Por esse motivo e à luz dos recentes acontecimentos que acabam de chegar ao nosso conhecimento, decidimos encerrar o relacionamento com artistas não alinhados com valores que, para nós, são absolutamente inegociáveis.

#NãoÀCulturaDoEstupro e que nossa sociedade seja cada vez mais justa, igualitária e inclusiva.

Direção e artistas da Chiaroscuro Studios”

O que tem essa a nota a ver com o que o artista demitido disse? NADA.

Ele questionou a ideologia de gênero.

A editora falou claramente que decidiu demitir os artistas não alinhados com sua ideologia.

O que fica absolutamente evidente pela leitura da declaração do Allan Goldman e da nota da Chiaroscuro Studios é que a verdadeira razão da demissão foi, sim, “a simples polarização política”. 

Este artigo foi escrito para deixar isso bem claro: a esquerda não somente tem o menor problema de demitir uma pessoa e deixá-la sem sustento apenas porque ela discorda das ideologias da esquerda como considera isso uma justificativa tão aceitável que manifesta publicamente esta posição. E, obviamente, centenas de esquerdistas comentaram a nota da editora dando seu apoio.

Eis alguns exemplos de comentários de internautas:

“Ninguém censurou nada, bando de bolsomínion lixo. A empresa é privada e ela contrata quem ela quiser, engulam o choro.”

“Parabéns a Chiaroscuro! liberdade de expressão não é liberdade de ofensa e de racismo, machismo e homofobia. Não confundam. O Brasil foi o último país a acabar com a escravidão, a aprovar o casamento gay, a aprovar o divórcio. E os mesmos que ontem reivindicavam o direito de escravizar homens, de estuprar mulheres e de punir homossexuais hoje reivindicam a liberdade de expressão como se fosse liberdade de fazer o que der na telha. O século XXI chegou! já era hora! Seja muito bem-vindo!”

“Gostaria de dizer que essa decisão foi muito sóbria da parte de vocês. Espero que essa postura sirva como exemplo para pessoas que, como esse rapaz, não se dão conta de que esse tipo de comentário e postura compactua sim com uma cultura que mata muitas pessoas ainda hoje. Sendo assim, fico feliz em ver que se posicionaram a favor da inclusão e igualdade, e contra a toda essa violência. Muito bom!”

“Parabens à empresa. Existem coisas com as quais não da mesmo para ter tolerância. Liberdade de expressão só vai até onde começam a estuprar, matar, humilhar.”

“Parabéns! Importantíssimo lutar contra a cultura do estupro.”

“Parabéns! Vcs arrasaram na decisão!!!!!”

“Parabéns!Ganharam um admirador!”

“Apoio incondicionalmente a decisão de vocês! Nem super herói suporta fascistas. Aliás, eles lutam contra fascistas!”

“Parabéns pela posição contundente e pela decisão corajosa! Machista, facistas, não passarão!!!”

Para os esquerdistas, ideologia é motivo justo e suficiente para demissão. 

Muito obrigado por me ensinarem isso tão claramente, esquerdistas. Eu gostei especialmente daquela que disse “Ninguém censurou nada, bando de bolsomínion lixo. A empresa é privada e ela contrata quem ela quiser, engulam o choro.” Vou me lembrar disso quando abrir minha empresa. 

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 29/05/2016 

A última estupidez do olavismo

Todo mundo com pelo menos dois neurônios funcionais sabe que o Olavo de Carvalho é um picareta que pastoreia um rebanho de otários acéfalos que rivalizam em capacidade crítica com os zumbis da seita da estrela vermelha, ou seja, nenhuma. Talvez por isso muita gente julgue esta turba ignara inofensiva, mas hoje eles se uniram ao PT no discurso do golpe e contrário ao impeachment. Não é divertido que o “mestre” do circo de horrores da filosofia brasileira esteja atiçando seus discípulos em defesa dos interesses de seu maior inimigo? Entenda como isso aconteceu.

Olavão_e_o_idiota_útil
A ironia de Olavo de Carvalho ter dito isso é deliciosa.

Tudo começou quando o PT estava firme e forte no poder, com Dilma ainda com uma boa avaliação popular. Naquela época, para agitar uma cenoura na frente de seus burros, Olavão reforçou o discurso de que o impeachment não iria acontecer porque “o comunismo sempre ganha”. Sua turba de paranóicos idiotizados relinchava com prazer orgásmico toda vez que ele dizia que era necessária uma intervenção militar para deter o avanço do comunismo, pois o PT, o PMDB, o PSDB, o DEM, a CNBB, a OAB, a Globo, a FIESP, o STF, o TSE, o Obama, o Papa, o Super-Homem, o Batman, os Teletubbies e até o seu peixinho dourado eram perigosos cripto-comunistas a um passo de estabelecer a Nova Ordem Mundial do governo mundial gayzista gramsciano da ONU.

Enquanto o Olavão regurgitava reacionarismo para alimentar seus enteados intelectuais, e que Deus me perdoe por usar a palavra “intelectual” neste contexto, movimentos sociais bem organizados como o Movimento Brasil Livre e o Vem Pra Rua, com algum grau de articulação que nunca será bem explicado com os partidos de oposição, faziam um trabalho duro, contínuo e competente pró-impeachment. E em 13/03/2016 a maior manifestação popular da história do Brasil mudou os rumos da história.

Um pouco porque a situação do país já era falimentar, um tanto porque muita gente queria livrar a própria pele, a base aliada do governo ruiu, o impeachment foi viabilizado e depois de muitas chicanas finalmente concretizado.

O astrólogo tinha errado sua previsão.

Urgia inventar algum disparate para manter vivo o mito de que “Olavo tinha razão”, ainda que respirando por aparelhos.

E não é que a patacoada inventada superou toda e qualquer expectativa mesmo para os padrões pândegos com que Olavo usualmente debocha de sua tribo de botocudos lobotomizados? O filósofo do refrigerante feito com células de fetos abortados profetizou que o impeachment na verdade legitimava a presidência de Dilma, que simplesmente “não era presidente” e portanto podia ser enxotada com um simples “sai daí” dito por qualquer cidadão comum. E as suas mulas-sem-cabeça amestradas com estômagos de avestruz engoliram essa bomba.

A cereja do bolo, aliás, foi a orientação do guru para que os cidadãos comuns ingressassem na justiça comum contra o TSE para obrigar este a não reconhecer a presidência de Dilma porque a eleição teria sido fraudada devido a ter sido realizada uma “apuração secreta”, afinal, nas palavras do iluminado, “contagem eletrônica é uma coisa, apuração secreta é outra”. E teve até advogado que engoliu isso! Sério, esse pessoal tinha que perder o registro na OAB. Para que vocês tenham uma idéia, isso equivale a um soldado raso do exército (juiz de primeira instância) dar uma ordem para um almirante da marinha (ministro do TSE, que é outro poder) para que ele afundasse um navio sob sua guarda (crime de sabotagem e alta traição na área de competência do outro). (Valeu pelo exemplo, Roberto!)

Ao vomitar uma groselha dessas, Olavão mais uma vez delimita seu público entre os mais estúpidos dos asnos, o que infelizmente não é pouca gente. Esta massa ignara está zurrrando e latindo nas redes sociais contra o impeachment e dividindo um movimento que precisa ser mantido unido apesar de todas as diferenças entre os aliados de ocasião pelo menos até a cassação definitiva do mandato da guerrilheira, evitando a volta ao controle do Estado da quadrilha criminosa mais nefasta que este país já conheceu desde a redemocratização. Para não terem que reconhecer que o picareta não é infalível, as olavetes estão ardorosamente defendendo os interesses do PT, atacando o impeachment.

Nunca os supostos anti-comunistas defenderam tão entusiasticamente a volta da esquerda ao poder. Para nossa sorte, além de estúpidos, são incompetentes. E o inconseqüente mentor deste incrível exército de Brancaleone está precisando apelar para táticas desesperadas que reduzem o seu rebanho de antas aos mais incapazes.

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 28/05/2016

E o zoológico virou zona

Postei hoje no Twitter:”Prezado presidente @MichelTemer: que o sr. não presta eu já sabia, por ter sido vice do PT. Mas que era BURRO eu descobri hoje. Lamentável.” Gente, pelo Amor de Deus, como é que o Brasil ainda está em pé depois de ter sido presidido pela jararaca, pela anta e pelo burro? 

Jararaca Anta Burro

Era para ser um longo artigo, mas eu deletei tudo o que escrevi. Decidi fazer apenas o registro abaixo:

Eu esperava por um milagre, mas não espero mais. Eu esperava que, apesar de ter sido vice da anta parida pela jararaca, o burro pudesse nos surpreender e se revelar um estadista. Entretanto, Temer sabia que seu governo seria alvo do mais intenso escrutínio e das mais intensas sabotagens e traições e mesmo assim montou um ministério com vários tubarões investigados e com o rabo preso. Graças a esta quadrupedice monumental, mais um traíra soltou uma gravação e agora assistimos a porcosfera pogressista (sic) cacarejando crocodilagem aos urros e bramidos e corremos o risco real de ver a anta voltar e nomear a jararaca ministro.

É dose pra mamute.

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 23/05/2016

A estupidez de proibir a estupidez

Vivemos em um mundo de estúpidos. Em um mundo de estúpidos, eu defendo radicalmente o direito de ser estúpido. É justo e é razoável. Afinal, não se pode legislar contra as tendências humanas e esperar que o resultado seja positivo. Portanto, como corolário óbvio do respeito à estupidez, é necessário proibir a estupidez de tentar proibir a estupidez.

Sorvete na testa

Eu estava aqui ouvindo ópera no Youtube quando ouvi o Fantástico berrando lá na sala que a marinha sei lá eu de onde tinha proibido um sujeito de se lançar ao mar “porque a embarcação dele seria insegura”. Ora, o cara tem todo o direito de se lançar ao mar com a porcaria da embarcação que ele bem entender. A vida é dele. Ele não está prejudicando nem ameaçando ninguém. Então, o problema é dele. Ninguém tem o direito de se meter. A marinha alega que o sujeito está cometendo uma estupidez, mas ela só aumenta os custos dele para ter um barco acompanhante, ou o obriga a agir de modo clandestino, e seus próprios gastos com fiscalização, sem produzir nenhum benefício. É a maldita estupidez de tentar proibir a estupidez.

Pouco depois a TV berrou de novo lá da sala que o STF proibiu a distribuição da fosfoetanolamina “porque ela pode fazer mal à saúde por não ter sido adequadamente testada”. Ora, nem vou entrar no mérito da estupidez que é alegar riscos a longo prazo para um paciente que tem uma doença cruel e fatal a curto ou médio prazo. A questão é outra. Já foi provado que a fosfoetanolamina não é tóxica nem interfere na quimioterapia. Então, qual o problema de liberar o consumo? Os médicos e o STF alegam que é estupidez usar uma substância que não foi adequadamente testada, mas ninguém será prejudicado pela substância e muitas pessoas que estão tendo melhoras de uma doença fatal e que causa muito sofrimento assistirão desesperadas a doença voltar a se desenvolver e matá-las. É a maldita estupidez de tentar proibir a estupidez.

Finalmente eu pulei da ópera para o TED Talks e assisti a palestra de uma prostituta fazendo uma excelente avaliação do resultado de todas as políticas que costumam ser usadas para lidar com a prostituição: proibição total, proibição da oferta do serviço, proibição da procura do serviço, proibição de atividades do entorno do serviço e legalização com normatização restritiva, todas elas com resultados negativos. Ora, tudo o que as prostitutas do mundo inteiro querem é descriminalização e possibilidade de exercício da profissão como um vendedor comum. Mas ninguém as ouve. Alegam todo tipo de teoria absurda ou princípios que não são relevantes para nenhum dos envolvidos e continuam implantando políticas que pioram a situação e promovem sofrimento. Mas qual o problema de atender as demandas delas? Quem não se prostitui nem paga os serviços de quem se prostitui só tem a ganhar com a regulamentação da profissão, devido à redução de insegurança, violência e gastos públicos. É a maldita estupidez de tentar proibir a estupidez.

Estou com uma dúvida terrível se eu tomei uma boa decisão reativando o blog. Não deixa de ser uma estupidez voltar a escrever sobre coisas que me incomodam sabendo que isso não vai mudar o mundo. Talvez alguma alma caridosa queira me poupar deste sofrimento me proibindo de escrever…

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 22/05/2016

O que significa o recuo de Temer no caso MinC?

Resuminho: o Brasil por muito tempo teve o MEC, Ministério da Educação e Cultura; as pastas foram separadas no governo de José Sarney; o presidente Michel Temer refundiu as pastas; os artistas tiveram um piripaque e saíram difamando o Brasil pelo mundo; Temer recuou e recriou o Ministério da Cultura. A pergunta sobre a qual #PensarNãoDói é: o que significa isso no atual cenário político?

Ocupa MinC

A resposta não é óbvia. Por um lado, isso pode indicar fraqueza de Temer; por outro lado, isso pode indicar uma avaliação estratégica para evitar desgaste comprando uma briga de longo prazo com uma classe artística ideologicamente comprometida com seus adversários políticos, com alta visibilidade e grande capacidade de mobilizar multidões contra o governo.

Se o recuo foi mera demonstração de fraqueza, estamos ferrados. Um governante que já na primeira semana recuasse em medidas anunciadas sob holofotes internacionais por não querer se incomodar com cantores, atores e cineastas em meio a um déficit orçamentário de R$ 170.000.000.000,00 e onze milhões de desempregados não chegaria ao final do primeiro ano de governo. Eu prefiro acreditar que não seja assim. Espero não estar me enganando.

Se o recuo foi estratégico, ótimo! Um governante capaz de se adaptar rapidamente e de tomar decisões estratégicas difíceis em pouco tempo será muito bem-vindo ao país. Se Temer optou pelo recuo numa questão pouco relevante para poder se concentrar naquilo que realmente importa, é sinal de que teremos finalmente um governo que saberá atuar com prioridades claras. Esperemos que seja assim na maior parte das vezes.

Em qualquer dos casos, a medida terá um efeito colateral negativo para o qual Temer terá que se preparar. O PT e a esquerda em geral certamente não vão elogiar o presidente por sua sensatez e disposição democrática, eles vão aproveitar o recuo de Temer para criticá-lo ainda mais e para mobilizar suas bases alegando que “basta pressionar que o golpista cede” e coisas do tipo.

Este episódio pode vir a nos mostrar uma característica positiva do presidente da República, mas de qualquer modo terá sido um erro que custará ao governo críticas, desgaste e acirramento de ânimos e obstinação de seus adversários. Temer precisa de uma assessoria para assuntos estratégicos melhor.

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 21/04/2016 

Textos recomendados de outras fontes:

Temer decide recriar Ministério da Cultura; ministro assume na terça

Ter Ministério da Cultura é fruto de mentalidade patriarcal, burocrática e centralizadora, diz ex-diretor do Masp

Menos da metade dos países desenvolvidos do mundo têm Ministério da Cultura específico

O retorno do Jedi (3)

Saudações! O Pensar Não Dói está ativo novamente! O blog funcionou por seis anos ininterruptamente e então ficou seis meses sem postagens. É hora de explicar os motivos disso e como as coisas vão ficar a partir de agora. 

Jedi Master

O último artigo que publiquei, em 15/11/2015, foi sobre o embrutecimento político. E foi o embrutecimento político que me levou a tirar férias do blog. Quando percebi que meu nível de indignação com a terrível rota política, econômica e cultural em que o país foi colocado nos últimos anos estava impedindo que eu escrevesse do modo como eu queria e que o blog estava se transformando em uma praça de guerra, decidi dar um tempo por aqui e postar somente no Facebook. Agora que o país está muito mais respirável, decidi voltar para o blog e também para o Twitter

O retorno do blog será marcado por apenas (duas mudanças estruturais) uma pequena mudança estrutural:.

A (primeira) mudança é evidente: substituí o tema do WordPress. Antes era o Athaualpa, agora é o Decode. O motivo é simples: a versão que eu usava do tema Athaualpa não tinha “layout responsivo“, ou seja, não mudava a formatação conforme o tamanho da tela em que o internauta lia o blog, o que se tornou problemático quando os acessos via smartphone se tornaram a maioria dos acessos. O tema Decode resolve este problema e dá um ar mais sóbrio ao blog. Infelizmente, a imagem do Darwinito serrando o galho sobre o qual está sentado não é compatível com esta sobriedade, mas ela não será totalmente descartada, apenas deslocada: vou colocar aquela imagem em algum lugar do blog com uma explicação adequada.

A segunda é o sistema de comentários: adotei o plugin social do Facebook. Antes era o sistema de comentários nativo do WordPress, agora é aquele integrado ao Facebook. E o motivo também é simples: é um sistema robusto e que dá maior visibilidade ao blog. Mas tem um problema…

Alerta de Gambiarra: como não é possível importar os comentários nativos do WordPress para o plugin do Facebook, eu tive que deixar os dois plugins ativos para que os comentários antigos possam ser lidos. Para comentar os novos artigos, entretanto, somente o plugin do Facebook ficará habilitado.

Eu ainda preciso pensar no que fazer, se volto ao sistema antigo ou se elimino o widget de comentários recentes, porque ele só funciona com os comentários nativos do WordPress e vai ficar mostrando comentários desatualizados eternamente. Opine a respeito, por favor.

OBS: Os parágrafos acima foram riscados porque o plugin social do Facebook não funcionou como esperado e eu recoloquei o sistema de comentários nativo do WordPress.

Quanto ao conteúdo, o Pensar Não Dói continuará mais ou menos o mesmo. Mais maduro, espero, mas com a mesma orientação. Nos próximos dias vou postar novamente sobre os assuntos pertinentes às diversas categorias do blog, um pouco para retomar o ritmo, um pouco para apresentar com um formato um pouco mais sóbrio alguns temas que foram tratados em momentos de stress. Acho que será interessante.

Que bom estar de novo com vocês.

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 20/05/2016