Sabe aquele papo de “ficar em cima do muro”? Aquilo não é centrismo. Sabe aquele papo de “não ideologizar os debates”? Aquilo não é centrismo. Sabe aquele papo de “assumir uma posição de consenso”? Aquilo não é centrismo. Centrismo é uma posição bem definida, ideológica e que nem de longe admite “acordão”. 

fisiologismo cargos e consciencia

A posição centrista é uma posição de rejeição dos extremismos de direita e de esquerda. Rejeição do egoísmo da direita e do coletivismo da esquerda. Se é assim, é claro que tem um matiz ideológico. Se rejeita os extremismos, não pode buscar um consenso entre eles. Tem que buscar uma terceira posição, que depure a política dos erros da direita e da esquerda, ao invés de contemporizar em busca de acordo entre os arautos do que é prejudicial para o ser humano.

Isso exige posicionamento firme. Exige combater o bom combate. Não é uma ideologia de contemporização. Recebe críticas de todos os lados, sendo acusada de esquerdismo pela direita e de direitismo pela esquerda. Políticos fisiológicos tentam ficar de bem com todo o espectro ideológico. Centristas denunciam a inadequação e a periculosidade dos extremos do espectro ideológico.

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 21/06/2016

4 thoughts on “Não confunda centrismo com fisiologismo

  1. “Combater o bom combate”, pensamento atribuído a Paulo, perdeu o significado, pois hoje os dois extremos o encampam acreditando que o seu modo específico de combate contribui para que o bem prevaleça (ou propagam a ideia que essa é uma convicção real!). Como os métodos e os objetivos se opõem, um deles está errado, ou ambos! E, no modelo conhecido, não vejo um centrismo não fisiológico no horizonte. Parece que qualquer tecido com pouca elasticidade não cobrirá a nudez da tal governabilidade. Qualquer coisa que se tente – da forma que estamos – sempre produzirá uma colcha de retalhos com múltiplos remendos mal feitos.

    1. Sim. Uma alternativa de centro não-fisiológica está por ser construída no Brasil.

  2. Espero que esteja falando sério pois o que estava vendo de você o Facebook parecia mais que tinha abraçado um monte de extremismos típicos da direita (por favor não me para para enumerar, não lembro mais e tenho preguiça de ir procurar…) com o argumento de que em seus extremos a direita é mais humana que a esquerda por favorecer a individualidade contra a coletividade.

    Acabou seu casamento com a direita? Parecia algo tão sólido e formal….

    E sobre estar em cima de muros eu nunca me esqueço quando ouvi uma professora, ao falar de algum tema “polêmico” que não recordo ter dito a pérola “Não sou contra nem a favor, muito pelo contrário!” que pra mim foi a melhor definião de alguém EMBAIXO do muro 😉

    Abraços.

    1. Nunca estive casado com a direita. A direita é no máximo uma aliada desagradável contra a esquerda, que representa um mal maior. Na dúvida, lembra sempre da metáfora: a esquerda é o Alien, a direita é o Predador. São dois bichos horrorosos que querem te ferrar o tempo todo, mas só com um deles dá para fazer uma aliança eventual para lutar contra o outro, que é intratável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *