Volta e meia alguém me diz que a dieta que eu faço é “desequilibrada”, que vai me fazer mal e que eu preciso voltar a comer de acordo com os conselhos dos médicos, nutricionistas e educadores físicos que nos mandam reduzir a carne vermelha, evitar as gorduras saturadas, comer cereais integrais, óleos “saudáveis” de soja, canola, milho e girassol, substituir a manteiga por margarina e ingerir 60% das calorias na forma de carboidratos. Será?

CHURRASCO-PICANHA-E-SALADA

Eu passei 26 anos doente, obeso, deprimido, tive onze diverticulites, estava com uma indicação para colectomia, fiquei diabético, minha glicemia chegou a 195 num exame de doze horas em jejum e minha hemoglobina glicada estava em 9,8 (equivalente à glicemia média de 212), meus triglicerídeos estavam nas alturas, minha Proteína C Reativa estava em 0,63 (alto risco cardíaco) cheguei a ficar incapacitado para o trabalho por cerca de dois anos… E aí abandonei as orientações que os médicos, nutricionistas e educadores físicos me deram durante todo este tempo e me joguei em uma dieta paleolítica de baixo carboidrato radical, sem tomar medicamentos nem fazer exercícios, contra todos os conselhos de médicos, nutricionistas, educadores físicos, amigos e familiares.

Eu fiz exatamente o contrário do que recomendam os médicos, nutricionistas e educadores físicos: eliminei os cereais da minha vida, eliminei os óleos de soja, canola, milho e girassol, eliminei  a margarina, cortei quase completamente os carboidratos da minha dieta e passei a me entupir de carne vermelha gorda, cheia de gordura saturada, meia dúzia de ovos todos os dias, tudo assado ou frito na banha de porco, mais uma saladinha verde com óleo de oliva, meio tomate e meio limãozinho e eventualmente um punhado de nozes ou castanhas-do-Pará.

Resultado: emagreci 25 kg, curei minha depressão, nunca mais tive diverticulites (exceto nas duas únicas vezes em que furei a dieta e comi derivados do trigo), não fiz e não vou fazer a colectomia, minha glicemia está permanentemente entre 70 e 100, minha hemoglobina glicada despencou para menos de 5,5, meus triglicerídeos desabaram, minha Proteína C Reativa caiu a zero (baixíssimo risco cardíaco) e nunca estive tão bem de saúde, tanto que estou ótimo no trabalho e depois de tudo isso comecei até a fazer musculação.

Ah, sim… Meu colesterol total aumentou um pouquinho. Oh! Céus! Vou morrer a qualquer momento! 😛

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 13/09/2016

11 thoughts on “A dieta paleolítica de baixo carboidrato é perigosa?

  1. Ainda vai ter quem diga que você teve sorte…

    1. Sempre vai. Já ouvi isso. Já ouvi que essa dieta está me fazendo bem agora mas que no longo prazo vai me fazer mal. Já ouvi que meus exames estão melhorando e eu estou me sentindo melhor mas que na verdade minha saúde está ficando pior porque minha dieta não é balanceada. Já ouvi que a dieta paleolítica fazia bem para o troglodita mas que para nós não faria bem porque não temos o mesmo nível de atividade física. Já ouvi tanta besteira que daria para escrever uma enciclopédia de besteirol. Bom, isso eu não garanto, mas um artigo pode sair. ?

  2. Não esqueça que o carro dos Flintstones só existe na ficção!
    Caminhe! Ugarthu, seu tátátá..?..tátátáravô andava quilômetros todo dia!

    1. Sim… Tenho pensado nisso… Preciso caminhar mais.

  3. Radicalizei e perdi com as outras dietas 25 klsmas continuava faminta e sentia q não estava no caminho certo até q radicalizei ainda foi uma tropecinhos tipo mascar trident as vezes! kkk Mas no mais sigo a dieta paleolítica e emagreci mais 20kls e continuo emagrecendo apenas com a dieta a única atividade física e o trabalho de caminhar pois sou revendedora de cosméticos!aprovo essa dieta me sinto mais ágil e saudável! !!

    1. Sem dúvida! A dieta paleolítica de baixo carboidrato é a mais saudável que existe!

  4. O que voce acha do oleo de coco? Passei a comer ovos todo dia e me sinto bem ao contrario do que o mainstream diz, no caso nao tinha fadiga fisica mas mental. O que voce diz sobre o gluten? A unica coisa que vem me fazendo fazendo nessa adaptação gradual que venho fazendo é a batata stax da elma chips. Tenho de corta-la realmente ou posso consumir de vez em quando, uma vez por semana ou por mes?

    1. Corrigi para ti a pontuação. 😉

      1) Óleo de coco é muito saudável. Usa e abusa, se puderes. O problema é que é caro. Ao invés de óleo de coco, eu uso muito banha de porco. E meus indicadores sanguíneos estão muito bons.

      2) Eu como pelo menos meia dúzia de ovos todos os dias. Cozidos ou fritos na banha de porco. Normalmente como ingredientes de saladas e omeletes. Pode comer ovos à vontade.

      3) Foge do glúten. Além de vir sempre acompanhado de uma dose alta de carboidratos de alto índice glicêmico, o glúten aumenta a permeabilidade do intestino, permitindo que toxinas bacterianas e pedaços mal digeridos de proteínas entrem na corrente sanguínea, onde provocam reações imunes e elevam o nível de inflamação de fundo. Estas respostas imunes são responsáveis pela diabetes tipo 1 e o nível de inflamação de fundo detona todos os vasos sanguíneos e o sistema nervoso central, causando infartos, tromboses, AVCs, demências e até Alzheimer.

      4) Eu cortei totalmente a batata, tanto porque é puro carboidrato quanto porque é feita quase sempre com óleo de soja, milho, girassol ou canela, verdadeiros venenos. Mas acho que, para quem não é diabético, nem está acima do peso, nem tem indicativos de ter problemas de saúde, um consumo bem moderado não deve ser grande problema.

    2. No stress do dia a dia, acaba fazendo mal mais mal que comer uma pizza. Eu relexava comendo 2 bombons nos piores momentos. Essa batata é a unica alternativa que me traz uma relaxamento proporcional ao chocolate.

    3. Eu nao tenho diabetes nem estou acima do peso, meus examesde sangue estao excelentes apesar de estar abusando nos doces na epoca.

    4. Os carboidratos têm este efeito no curto prazo. É por isso que se dá um copo de água com açúcar para quem está muito nervoso. Num primeiro momento, funciona mesmo. Ocorre uma inundação de carboidrato no Sistema Nervoso Central e um relaxamento que na verdade é um entorpecimento. Como o que se quer é acalmar a pessoa, funciona. Mas cobra um preço, assim como cheirar uma carreira de cocaína para se manter acordado par estudar para uma prova ou continuar dirigindo para entregar uma carga no prazo. (Aliás, é um bom paralelo.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *