Quando a verdade não interessa para a ciência

Os cientistas não fazem ciência num vácuo histórico ou cultural. Tem gente que não consegue publicar artigos que relatam experimentos bem feitos porque o resultado do experimento é inaceitável para os revisores, mesmo que esteja correto. Aliás, muitos cientistas não conseguem nem sequer o financiamento para realizar certos estudos “inaceitáveis”. Eu mesmo já passei por isso!

Baseado sendo preparado

Uma vez uma conhecida minha quis fazer um doutorado sobre a influência da maconha fumada pela gestante no desenvolvimento cognitivo da criança. Eu bolei um delineamento experimental quádruplo-cego fantástico, o melhor que eu já bolei na vida, no qual nem os bioquímicos, nem os médicos, nem os professores, nem a própria pesquisadora saberiam que dados corresponderiam a que mães e a que crianças antes, durante e nem mesmo depois da análise dos dados. A minha proposta era que ela apresentasse a tese sem saber qual dos tratamentos era fumante e qual dos tratamentos era não fumante e que a banca avaliasse a tese e desse a nota final dela e concedesse o grau de doutor também sem saber qual tratamento era qual e só depois de ela receber o grau nós abriríamos um envelope que conteria a chave para identificar qual era cada tratamento, de modo que seria absolutamente impossível qualquer interferência ideológica em qualquer etapa do estudo.

A idéia foi rejeitada não tanto por ser tão ousada mas por existir o risco de provar de maneira cabal que fumar maconha durante a gravidez pudesse fazer bem para o desenvolvimento cognitivo da criança.

É.

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 20/09/2016

One thought on “Quando a verdade não interessa para a ciência

  1. Eu não sei nem o que comentar sobre essa esquisitice. A da banca, não a sua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *