Este artigo ainda não é sobre política. É mais um anúncio, uma declaração de intenções, sobre um tema que eu pretendo abordar a partir de hoje: o exercício correto do poder, ou ortocracia, tendo em vista a natureza do macaco falante (eu e você), os princípios iluministas e as experiências políticas mais bem sucedidas no planeta.

planet-of-apes

Com o tempo vamos ver como a biologia foi profundamente ignorada e mesmo ativamente rejeitada pela quase totalidade dos pensadores políticos, o que fez com que todas – todas – suas teorias e as ideologias baseadas nelas se demonstrassem infundadas e falhas, a não ser talvez uma delas, e mesmo assim por mero acaso.

Acima de tudo eu quero que, ao ler esta série, que vou publicar na categoria “Política do Arthur” aqui no blog, você se lembre que o ser humano é um macaco falante, todo ele um macaco falante, nada além de um macaco falante, e que a principal característica biológica do macaco falante é a capacidade de adaptação – tanto que com ela dominou o planeta.

Quero também que você se lembre que a maioria das pessoas não gosta de discutir política e que a maioria dos que o fazem não entende quase nada sobre política, tendendo a aceitar pacotes ideológicos prontos, acabados, indivisíveis, como se fossem a expressão da verdade, e a seguir lideranças que obviamente não estão atuando segundo o melhor interesse do povo.

Vou surpreender algumas pessoas apontando o maior erro que os iluministas cometeram e atribuindo esse erro à incrível inteligência e senso de ética dos primeiros iluministas. E espero deixar você curioso ao afirmar que, se aqueles primeiros iluministas tivessem tido um perfil no Orkut, isso não teria acontecido.

Mas eu acho que todo mundo vai se surpreender mesmo é com o quanto o ser humano é simultaneamente supersticioso e incapaz de aprender a partir das evidências, em especial a respeito de modelos político-econômicos, mesmo que elas sejam extremamente óbvias e esfregadas no seu nariz. E, obviamente, com as consequências desta característica para a conquista, para o exercício e para a manutenção do poder.

Convido você para acompanhar o blog nos próximos dias e participar do debate aqui nestas páginas.

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 22/10/2016

3 thoughts on “O macaco falante e a política

  1. Não dá pra negar que você é um cientista: esse artigo tá com cara de Introdução de paper científico! =)

    [p.s.: A apresentação aqui nos comentários tá muito melhor depois das suas intervenções. Mas, por algum motivo que só o WordPress poderia explicar, eu tô lendo esse artigo, meu comentário e todo o resto do blog com uma fonte Times 😛 ]

  2. Estou ansioso para acompanhar os próximos artigos! 🙂

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: