Ainda é cedo para emitir qualquer opinião sólida sobre Donald Trump, mas é possível apontar um ou outro ponto nos quais ele está correto. Deportar imigrantes ilegais que cometeram crimes nos EUA é sem dúvida um destes. 

trump-deportation

Não quero entrar no mérito de outros pontos ou mesmo de outras deportações. Quero focar exclusivamente a deportação de criminosos. Eu não vejo como me opor a uma medida destas. Se eu pudesse identificar cada imigrante que cometeu crime no Brasil e deportá-los, eu faria o mesmo. Por que haveria querer manter em meu país alguém que não veio para cá para somar e sim para subtrair? Alguém que pode cometer violência contra mim, contra minha família ou contra meus amigos se ficasse livre e por quem eu teria que trabalhar para sustentar se fosse preso? Isso não faz o menor sentido. Neste aspecto, Donald Trump e seus apoiadores estão certos. Neste aspecto. Foco.

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 13/11/2016

5 thoughts on “Um critério correto para deportações

  1. O problema é o telefone sem fio. Ouve-se “imigrantes ilegais” e em questão de segundos ouve-se “ninguém mais entra lá”. Eu também não vejo problema em deportar criminosos, seja pra cadeia (americanos), seja pra casa (estrangeiros). Mas que o rumor de que TODOS os imigrantes seriam deportados assustou – maldito telefone sem fio -, isso assustou mesmo.

    1. Elsie, acho que esse telefone altera as coisas propositalmente. Não é uma distorção de mensagem sem objetivo.

    2. Sim… Há várias denúncias de distorções do que Trump disse. Mas só o que eu vi ele dizer e entendi direto no original já seria bastante preocupante. Eu era pró-Trump no início da campanha e ELE me convenceu de que seria melhor ser pró-Hillary.

      Ironia das ironias, a maldição de Mick Jagger me atingiu de novo…

  2. Fabiano Golgo

    14/11/2016 — 13:08

    Existe um porém: isso já acontece. O governo Obama expulsou mais imigrantes ilegais que qualquer outra administração anterior. Mais de 400 mil estrangeiros foram deportados exatamente por terem cometido crimes. Dezenas de milhares de outros estão na fila, esperando decisões judiciais, pois muitos têm filhos americanos, estudando, que sequer falam a língua natal de seus pais. O que Trump prometeu já acontece. Esse é o problema de quem o apoioi: falta de informação. O muro que ele pretende construir não vai evitar que um único latino entre no país, pois essa entrada já é feita por túmeis. Vide Palestina. Muro no deserto é burrice. Mas como o Trump é vigarista, não vai fazer nada do que prometeu. É até capaz de fazer um excelente governo, cheio de obras para revitalizar a economia e muito ouro na Casa Branca, para fazer jus aos dias atuais de cultura Kardashian que tomou os EUA. O problema do Trump não é ser reacionário, pois ele só fez esse papel pra ganhar votos. O problema dele é ser burro, mesmo. O vocabulário dele é tão extenso quanto o da Dilma.

    1. Se ele fosse tão burro assim, será que conseguiria se eleger presidente da República nos EUA? Pelo menos ou ele tem a virtude de saber como se ganha uma eleição ou ele tem a virtude de saber se assessorar para ganhar uma eleição. Vamos torcer para que seja esta última – porque nesse caso ele provavelmente saberá se assessorar para outras coisas também…

      Eu só espero que ele não faça um mau governo e arrebente os EUA. Uma crise econômica capitaneada pelos EUA seria a última coisa que o mundo precisaria hoje, em tempos de ascensão chinesa na economia e de terríveis dificuldades para o projeto de União Européia, com a direita raivosa rugindo contra tudo e contra todos que não aceitam seus dogmas, igualzinho ao que a esquerda fez nas últimas duas ou três décadas e que nos trouxe a ascensão da direita.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: