Compartilhei recentemente um vídeo do Black Pigeon Speaks (eu sei, eu sei, altamente controverso) sobre a relação entre o recato sexual feminino e a estabilidade social. Hoje o perfil de uma tal de “Sociedade da Pílula Vermelha”, de onde eu nem tinha me dado conta que havia compartilhado o vídeo, curtiu minha postagem. Então eu fui lá ver o que era essa página. E encontrei na primeira postagem a pergunta contida na imagem abaixo.

E esta foi a resposta (chula) da tal Sociedade da Pílula Vermelha. Leia rapidinho essa porcaria ou pule de uma vez para o que eu escrevo logo abaixo assim que você perceber o nível da resposta:

“Esse é um ponto que tenho que destacar mais nas postagens aqui na página. O homem comum, viciado em extremos sensoriais não está pronto para viver em paz. Ele anseia pela discussão, pela raiva, pelo sofrimento e pela dor. É como um corno sadomasoquista que não consegue viver sem ser enrabado pela vida.
Como você pode ter deixado seu relacionamento chegar a esse ponto? Pelo seu relato é evidente que você perdeu uma bela e honrada dama.
Vamos analisar o relato da sua amada e ver que faz todo o sentido…
Ela relata que torceu o seu belo pezinho, algo totalmente dentro da normalidade. Outra coisa completamente normal é três pessoas largarem o que estavam fazendo para acompanhar a colega que torceu o pé em um atendimento médico. Até aí tudo bem, não há motivos pra crer que ela não foi sozinha com o macho e que ela não inventou a presença dessas outras 2 colegas para que você não desconfiasse que ela estava a caminho do açougue para ser abatida. Afinal, todos nós sabemos que mulheres são seres angelicais, que não mentem e nem mesmo sentem tesão em mentir para o namoradinho quando estão indo para o motel com outro homem. Você não deve dar bola pro fato do amigo dela ser exatamente o cara que você não vai com a cara, é uma mera coincidência.
Após uma noite árdua no hospital é lógico que as garotas estariam com fome e iriam querer se nutrir, não é mesmo? Quem sabe um salame? Hehehe! Depois é hora de colocar algum carboidrato pra dentro (ou apenas ela, pois quem sabe sua namorada é esquizofrênica e as amigas não existam, não a julgue). Enquanto o salam, ops, quer dizer, hehehe, a batata entra, a mesma te liga preocupada que você a esteja esperando como um bobinho apaixonado, lhe relata a orgia gastronômica e que você deve esperar uma ligação da mesma (abre o olho, boi bandido).
Após extrapolar o horário combinado em mais de 2 horas (o tempo passa rápido nos dias de hoje, sem problemas aqui), você, enfurecido por ciúmes injustificados (afinal sua bela amada jamais mentiria pra você) começa a entrar em modo de fúria, encorajado por devaneios onde sua bela amada participa de uma orgia helênica com o Ricardão.
Se você fosse uma homem esclarecido e tivesse feito o dever de casa tomando a pílula vermelha, você teria cagado e andado, estaria nessa hora já dormindo tranquilo sabendo que a sua namorada é só mais uma e que provavelmente não houve problema algum, que na verdade ela estava com a piroca do Ricardão em uma mão e na outra com o celular relatando as mentiras pra você. Mas não, você peca pela falta de confiança, mesmo a realidade estando esfregada na sua cara, você insiste em deturpá-la, insiste que nada ocorre, que tudo está dentro da normalidade.
Repare que é exatamente por isso que as brigas acontecem: você se apaixonou e foi jogado em um inferno emocional. Enquanto um homem seguro de si e com auto-controle emocional estaria cagando, pois tem ciência de que as mulheres mentem da maneira mais descarada.
Se você tivesse agido de maneira controlada, nem que fosse por míseros 2 minutos, apenas o suficiente pra dizer que não aceitaria aquele tipo de mentira e que estava terminando o relacionamento, a imund… digo, donzela, estaria em 10 minutos na sua casa implorando pra chupar o seu saco. Mas não, você se apaixonou e os papéis se inverteram: você homem virou a mulher da relação, emotivo, passional, cheio de ciúmes!
O pior é que você ainda deu trela pra escutar as historinhas de que demoraram duas horas pra levar as “amigas” em casa. Onde é que se demora 2 horas pra levar alguém embora as 22 horas? Realmente, o congestionamento no trânsito as 22 horas é algo brutal e que exige muita paciência, não é mesmo?
Para fechar com chave de ouro você fez exatamente o que sua amada queria: perdeu completamente o controle e começou a despejar xingamentos. Game over. Agora ela tem as condições pra inverter o jogo e jogar a culpa em você. Ela passou a noite toda chupando danone, comendo salame, colocando batata pra dentro, passeando de carro e ainda teve a sobremesa de acabar com o sub-homem que lhe estava sugando a beleza.
Desculpe ser ríspido, mas é isso que você é: um sub-homem. Você deixou que ela te controlasse o tempo todo. O horário que teria que ligar, a história que teve que engolir, o salame que ela teve de comer e a inversão de culpa. Você está no último estágio do fracasso como homem.
Para finalizar e mostrar a sua total inaptidão como macho, você ainda pergunta se exagerou. Não meu caro, você não exagerou. Você foi apenas controlado, você não tomou as rédeas de seu relacionamento, você não tomou as rédeas de sua vida, você não consegue nem mesmo interpretar uma história furada como essa que eu, em apenas 1 minuto lendo já sabia que estava cheia de furos.
Você deixou que sua vida fosse controlada por uma mulher e mulheres, dada sua natureza emocional, não têm capacidade pra gerir grandes coisas, ainda mais um relacionamento.
Você falhou em tudo o que relatou e continuará a falhar, pois não importa o que aconteça, você estará fadado a uma avalanche de sentimentos incontrolados, que nós aqui denominamos extremos sensoriais.
Pena é o que me resta ter de você. Diga adeus a sua masculinidade, ela está extinta.”

Eu fiquei aqui pensando se valia a pena comentar isso e decidi que havia um comentário que valia a pena fazer.

O brasileiro estraga tudo.

É impressionante.

O foco do vídeo que eu compartilhei era a relação entre o recato sexual feminino e a estabilidade social. O autor é conservador, eu sou liberal, mas isso não impede que eu reconheça que a base do argumento dele estava correta. uma correlação entre uma coisa e outra e muito provavelmente a relação é de fato causal como o autor daquele vídeo alega, em algum grau. A base biológica do argumento está correta, as implicações antropológicas são consistentes e as implicações políticas são altamente plausíveis.

Agora assista o vídeo do Black PIgeon Speaks, observe o linguajar com que o autor trata a questão no vídeo, observe o linguajar com que eu trato a questão no parágrafo imediatamente anterior e compare com o texto em azul que você leu mais acima.

O brasileiro estraga tudo. Como pode?

Poxa, o cara está divulgando um vídeo controverso, mas bem argumentado, que nem vem ao caso agora se está correto ou não – o fato é que o tema foi tratado com seriedade e sobriedade. E aí, na página dele, o que ele tem a dizer é um monte de grosserias obtusas que com certeza o autor do vídeo que ele divulgou rechaçaria!

Eu não entendo como pode isso. Sério, o cara nem deve ter entendido o vídeo, deve ter achado que o vídeo corroborava os preconceitos dele e compartilhado sem o menor cuidado. E o pior é que provavelmente o público dele vai entender a mesma coisa que ele, que o autor do vídeo não disse nem quis dizer.

Pára o Brasil que eu quero descer!

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 22/12/2016

10 thoughts on “O brasileiro estraga tudo

  1. é tudo uma questão de hipersensibilidade, alguns se ofendem com o vídeo, outros, como vc, com os comentários do tal pilulavermelha, outros como eu, com nenhum dois dois, apenas considero e aproveito o q entendo possa ser verdadeiro e descarto o restante. vc considerou o vídeo respeitoso, óbvio q muitos esquerdopatas histéricos discordariam até a morte. são dois trabalhos, de dois diferentes autores, em q o autor de um, compartilha, divulga o trabalho de outro. simples assim. não há necessidade de acreditar e concordar com 100% do q cada um dos autores propõe. pelo contrário, é natural e razoável esperar encontrar divergências entre o q vc pensa e eles. com muito pouca gente posso dizer q concordo 100% sobre algum assunto específico, ninguém sabe tudo sobre tudo, é um processo. experimente fazer com artigos e vídeos o mesmo faço com seu site, aproveitar a parte boa, e desconsiderar a parte nonsense. todos temos idiossincrasias, paciência. seu site, suas regras.

    1. Não é questão de “respeito” versus “desrrespeito”… É o nível. O Black Pigeon Speaks trata a coisa com seriedade e sobriedade, argumenta, fundamenta, mostra exemplos, se expressa com um linguajar adequado a qualquer ambiente. Já a Sociedade da Pílula Vermelha é rançosa, chula e se limita a vomitar agressões e obscenidades. Não representa nem um pouco o autor original que pretende representar.

  2. p.s. “liberal”, só se for no sentido norte-americano da coisa…

    1. Eu sou liberal, ponto. Não tem isso de “liberal nisso e conservador naquilo” ou de “liberal de esquerda e liberal de direita”. Toda vez que começam a meter muito trique-trique estragam tudo nos conceitos. Minha linha político-econômica é predominantemente ordoliberal, sem nenhuma ojeriza a Keynes, que era um liberal. E sou liberal nos costumes, tão liberal que dou a maior força para os conservadores serem o tanto conservadores que quiserem, desde que não tentem impor isso a mais ninguém. Sou contra o aborto porque isso é só outro nome para homicídio. Sou a favor não somente da legalização do casamento gay mas também da legalização da bigamia, do poliamor e do que qualquer maluco quiser fazer sem prejudicar terceiros, mas também sou a favor de uma cultura que incentive o casamento tradicional. Sou a favor do porte de armas para o cidadão honesto e da regra dos three strikes. Um “liberal” dos EUA olharia para mim horrorizado. 🙂

    2. Eduardo Silva

      15/01/2017 — 01:05

      Obrigado pela resposta, e desculpe a insistência.

      Eu defendo isso há anos. São homicídios também.

      E com relação às pesquisas com células-tronco? Tem algum texto onde você fala disso?

      Texto interessante sobre o desdobramento jurídico:
      http://ambito-juridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=16304

  3. Eu vi esse vídeo há algum tempo atrás e confesso que não levei muito a sério. Mas depois de pesquisar um pouco mais sobre a Suécia e ver o que realmente está acontecendo lá, fiquei preocupado.

    A Suécia é um exemplo perfeito que qualquer tipo de extremismo é degradante, até mesmo o dito “progressista”.

    1. Eduardo Silva

      24/12/2016 — 12:06

      Sou contra o aborto porque isso é só outro nome para homicídio.

      (Desvirtuando, porque a bola foi jogada e preciso chutar…)

      Toda definição (exata) de vida — e de quando ela começa — é arbitrária. Do mesmo modo é a senciência. Assim dito, pra gente manter a coerência, como a definição de morte da vida humana, i.e. término da vida humana, é baseada na senciência, coerentemente a definição de início da vida humana obrigatoriamente seria definida por esse critério. Um ser denominado “óvulo fecundado” e um ser denominado “zigoto” não possuem senciência, portanto não poderiam ser considerados seres vivos humanos.

    2. Só é arbitrária para quem não tem conhecimento suficiente, ou está comprometido com uma visão ideológica injustificável e procura confundir o meio-de-campo.

      A vida humana individual começa com a fecundação do óvulo pelo espermatozóide. Nem um instante antes, nem um instante depois. Antes disso, só o que temos são gametas, que são células que isoladas são incapazes de se transformar em um indivíduo. Depois disso, temos um indivíduo completo, com todas as informações genéticas que o acompanharão pelo resto da vida, que apenas não têm a aparência usual de um ser humano como aqueles com os quais estamos acostumados a interagir. É irrelevante para definir o início da vida se o indivíduo já possui ou não um sistema nervoso formado, isso é outro assunto. É irrelevante a senciência para definir vida.

    3. Eduardo Silva

      03/01/2017 — 13:44

      Só é arbitrária para quem não tem conhecimento suficiente

      Nenhum ser humano, até onde sei, tem “conhecimento suficiente”. Aliás, o que seria “suficiente”, visto que não possuímos todo o conhecimento possível? Somos macacos metidos à besta, acho que nisso você concorda.

      ou está comprometido com uma visão ideológica injustificável e procura confundir o meio-de-campo.

      “Visão ideológica” está correto, pois aparentemente todas as nossas opiniões e pensamentos contém ideologia(s). “Injustificável” está incorreto, pois o que propus possui uma justificação lógica, i.e. o fato de que “a definição de morte da vida humana, i.e. término da vida humana, é baseada na senciência”.

      A vida humana individual começa com a fecundação do óvulo pelo espermatozóide. Nem um instante antes, nem um instante depois.

      Vamos então adotar esta definição como correta: assim, a pílula do dia seguinte seria um método de assassinato; cientistas que descartassem óvulos fecundados in vitro excedentários responderiam criminalmente por homicídio culposo ou doloso, com as penas previstas em lei. Não vejo problema em se defender que a vida começa na fecundação do óvulo, desde que sejam aceitas, por coerência, todas as implicações disto.

      É irrelevante a senciência para definir vida.

      A senciência é mais coerente como definição lógica pelo fato de precisarmos utilizá-la para defendermos nossas proposições. Se você não a tivesse agora, não teria pensado, elaborado e expresso essa proposição. Por que a senciência é irrelevante aqui?

    4. “Vamos então adotar esta definição como correta: assim, a pílula do dia seguinte seria um método de assassinato; cientistas que descartassem óvulos fecundados in vitro excedentários responderiam criminalmente por homicídio culposo ou doloso, com as penas previstas em lei.”

      Eu defendo isso há anos. São homicídios também.

      “Por que a senciência é irrelevante aqui?

      Porque senciência não define nem vida, tanto que plantas não são sencientes, nem humana, para o que basta pertencer à espécie, nem indivíduo, que é a unidade a ser defendida, não sendo relevantes os gametas ou células somáticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *