Você não vai perceber a diferença olhando para o blog, mas eu acabo de deletar meia dúzia de plugins. O principal plugin deletado foi o plugin de SEO – Search Engine Optimization. Houve um ótimo motivo para fazer isso. 

Desde que eu instalei o plugin de SEO, escrever os artigos do blog se tornou um processo tenso. Aquilo que no início parcia ser uma ajuda para posicionar melhor os artigos do blog nos algoritmos de busca do Google em pouco tempo passou a ser um estorvo. Eu escrevia o artigo e o plugin avisava:

  • Você não definiu uma palavra-chave.
  • A palavra-chave não aparece no título do artigo.
  • A palavra-chave aparece no primeiro parágrafo, mas não no início.
  • A palavra-chave aparece poucas vezes no corpo do artigo.
  • O corpo do artigo contém menos de 300 palavras, o que é menos que o mínimo sugerido.
  • Mais de 20% das frases contém mais de 50 palavras, o que é mais do que o máximo sugerido.
  • Blá-blá-blá, mexa nisso, mexa naquilo, mexa naquilo outro.

Eu acabava passando mais tempo corrigindo estas besteirinhas para satisfazer os algoritimos do que tinha passado escrevendo o artigo. Pior ainda, aos poucos eu passei a prestar atenção nestas sugestões durante o processo de escrever o artigo, para não ter que mexer nele depois de pronto. E o resultado foi que eu passei a prestar mais atenção na forma do que no conteúdo – e a produção do blog desabou.

Como havia outros motivos para o blog receber poucas atualizações, eu acabei subestimando o quanto pensar em termos de SEO estava matando minha vontade de escrever. Agora caiu a ficha de que eu estava me sentindo em frente à interface do WordPress como quem está preenchendo um formulário ao invés de como quem está criando livremente um texto para transmitir uma idéia.

Dane-se o algoritmo de busca. Dane-se a Search Engine Optimization. Eu não escrevo para me posicionar num ranking automático, eu escrevo para me orgulhar das idéias que enuncio, descrevo, eplico, debato. Eu não escrevo para me relacionar com o robô do Google, eu escrevo para me relacionar com seres humanos. Eu escrevo para meus leitores. Eu escrevo para você.

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 08/07/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *