Quando a verdade não interessa para a ciência

Os cientistas não fazem ciência num vácuo histórico ou cultural. Tem gente que não consegue publicar artigos que relatam experimentos bem feitos porque o resultado do experimento é inaceitável para os revisores, mesmo que esteja correto. Aliás, muitos cientistas não conseguem nem sequer o financiamento para realizar certos estudos “inaceitáveis”. Eu mesmo já passei por isso!

Baseado sendo preparado

Uma vez uma conhecida minha quis fazer um doutorado sobre a influência da maconha fumada pela gestante no desenvolvimento cognitivo da criança. Eu bolei um delineamento experimental quádruplo-cego fantástico, o melhor que eu já bolei na vida, no qual nem os bioquímicos, nem os médicos, nem os professores, nem a própria pesquisadora saberiam que dados corresponderiam a que mães e a que crianças antes, durante e nem mesmo depois da análise dos dados. A minha proposta era que ela apresentasse a tese sem saber qual dos tratamentos era fumante e qual dos tratamentos era não fumante e que a banca avaliasse a tese e desse a nota final dela e concedesse o grau de doutor também sem saber qual tratamento era qual e só depois de ela receber o grau nós abriríamos um envelope que conteria a chave para identificar qual era cada tratamento, de modo que seria absolutamente impossível qualquer interferência ideológica em qualquer etapa do estudo.

A idéia foi rejeitada não tanto por ser tão ousada mas por existir o risco de provar de maneira cabal que fumar maconha durante a gravidez pudesse fazer bem para o desenvolvimento cognitivo da criança.

É.

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 20/09/2016

A verdadeira descrição do fim do mundo

Você quer saber como será o fim do universo? Prepare o seu coração… Pras coisas que eu vou contar… 

 

M81_M82

Cada galáxia do universo está se afastando de todas as demais em velocidade crescente. Com o passar do tempo, esta aceleração fará com que as galáxias estejam se afastando umas das outras em velocidades assintoticamente cada vez mais próximas à velocidade da luz. 

Segundo a Teoria da Relatividade, a velocidade da luz é insuperável. A conseqüência disso será o afastamento entre as galáxias a uma velocidade insuperável. Portanto, chegará o momento em que absolutamente nada – nem mesmo a luz – que saia de uma galáxia jamais alcançará outra galáxia. 

Isso provocará o completo isolamento de todas as galáxias entre si, de tal modo que uma suposta civilização que porventura floresça em qualquer uma delas após este isolamento olhará para o céu e verá somente as estrelas da própria galáxia… E mais nada. Nunca.

Esta suposta civilização jamais saberá sequer que existem outras galáxias no universo. Seus melhores físicos e astrônomos dirão que o universo é composto por um determinado conjunto de estrelas após o qual se estende um vazio infinito. Ela não poderá nem sequer descobrir o Big Bang. Mistérios que nós já resolvemos serão imperscrutáveis para ela, por mais avançada que seja. 

Cada galáxia individual, por sua vez, sofrerá o inescapável efeito da entropia. Algumas poucas novas estrelas serão formadas a partir dos destroços da explosão de algumas supernovas, mas ao final todas suas estrelas vão se extinguir, uma a uma, emitindo cada fóton possível e então esfriando até que a temperatura de tudo nela se aproxime também assintoticamente do zero absoluto. 

O universo então será totalmente constituído destes túmulos solitários e congelados de toda a vida e de toda a matéria que já existiu, que nunca jamais serão descobertos por qualquer explorador, para todo o sempre afastando-se vertiginosamente uns dos outros em meio ao mais absoluto silêncio e escuridão. 

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 12/08/2015 

O paradoxo antártico

Saiu no Washington Post: “O gelo no mar antártico cresceu até uma extensão recorde pelo segundo ano consecutivo, desconcertando os cientistas que estão tentando entender por que o gelo está se expandindo ao invés de encolher em um mundo que está se aquecendo.”

Ei! Peraí! Acho que existe uma explicação simples para isso! 

Gelo na Antártida

Continue reading “O paradoxo antártico”

Estudo científico mostra que vegetarianos são menos saudáveis

Pesquisa da Universidade de Medicina de Graz, da Áustria, mostra que não comer carne é prejudicial à saúde. Isso deveria ser óbvio: privar um organismo de um importante item da dieta natural da espécie não poderia fazer bem à saúde – e o ser humano é onívoro. 

churrasco-com-salada

Continue reading “Estudo científico mostra que vegetarianos são menos saudáveis”

CNPND: Novo relatório deixa claro: estamos em perigo e precisamos parar o aquecimento global

Relatório de equipe de cientistas liderada por Prêmio Nobel alerta para a gravidade das mudanças climáticas e o preocupante desconhecimento do público sobre o problema. Redução urgente das emissões de carbono é a principal medida necessária para evitar catástrofe climática. 

Continue reading “CNPND: Novo relatório deixa claro: estamos em perigo e precisamos parar o aquecimento global”

Vivemos em um mundo cartesiano-newtoniano

Você lembra de René Descartes e de Isaac Newton? Aqueles cujas teorias foram “demolidas” pela Teoria da Relatividade de Albert Einstein? Pois é, não engula essa história. O fato é que nós continuamos vivendo em um universo perfeitamente cartesiano-newtoniano. 

rene descartes e isaac newton

Continue reading “Vivemos em um mundo cartesiano-newtoniano”

Estudo falso é aceito para publicação em mais de 150 revistas

O artigo abaixo é cópia do artigo de mesmo nome do blog de Herton Escobar no Estadão publicado em 03/10/2013. O assunto é da mais alta gravidade e resolvi compartilhá-lo para ampliar o debate a respeito, em prol da credibilidade da boa ciência. 

science-cover

Continue reading “Estudo falso é aceito para publicação em mais de 150 revistas”

A falta de qualidade na educação científica

Um texto intitulado “Filhos de gays se saem melhor do que os outros” está causando rebuliço na internet. Resolvi pesquisar a fonte e fiquei surpreso ao descobrir que o texto foi publicado pela Revista Superinteressante – cuja qualidade editorial eu sempre respeitei. Fiquei duplamente decepcionado: principalmente com a pesquisa, porque é falha, mas também com a Super, porque eles falharam em detectar falhas metodológicas óbvias no estudo que gerou tais conclusões. (Engoliram a falácia da autoridade do pesquisador?) O estudo não é válido. Vou explicar por quê.  Continue reading “A falta de qualidade na educação científica”

Esqueçam a Relatividade e a Mecânica Quântica – estudem Newton e Descartes

Um fenômeno estranho surgiu após a popularização da Teoria da Relatividade e da Mecânica Quântica: as pessoas começaram a misturar física com metafísica e a inventar explicações pseudo-científicas para uma suposta realidade sobrenatural com base em interpretações equivocadas de conceitos pertencentes à Teoria da Relatividade completamente descontextualizados. Noutras palavras, houve uma apropriação indevida do vocabulário científico pelos místicos e muita bobagem travestida de conhecimento começou a ser propagada.  Continue reading “Esqueçam a Relatividade e a Mecânica Quântica – estudem Newton e Descartes”

A ciência PODE responder questões morais

Não sou eu quem diz, é Sam Harris no TED. Assista o vídeo, vale a pena. Sam Harris disse em apenas 23 minutos tudo que eu sempre disse sobre a relação entre ciência e moralidade. A diferença é que ele o fez com muito maior precisão e elegância do que eu fui capaz. 

Link: http://www.ted.com/talks/sam_harris_science_can_show_what_s_right.html (O vídeo tem legendas em português.)  Continue reading “A ciência PODE responder questões morais”