Quer discutir política e economia comigo?

Eu estou disposto a discutir política e economia em tese SE E SOMENTE SE se tratar de políticas simultaneamente centristas, liberais e solidárias. E eu estou disposto a discutir política e economia em concreto de países reais, fazendo avaliações com base em fatos verificáveis. Fora isso, nada.

Não quero, no meu espaço, defesas de porcarias que já foram testadas dezenas de vezes e sempre resultaram em degradação moral, miséria econômica e opressão política. (Como qualquer coisa de esquerda ou totalitária.)

Não quero, no meu espaço, defesas de porcarias que nunca foram testadas nem sequer em pequena escala e que são apresentadas como se fossem a solução para a humanidade. (Como anarco-capitalismo ou qualquer coisa anarquista.)

Quem também quiser, no seu espaço, que eu não defenda a minha linha de pensamento – que fica entre ordoliberal e social-liberal – só precisa me avisar e eu me absterei totalmente de fazer qualquer comentário quando ler alguma de suas postagens sobre política ou economia.

Por que isso?

Porque eu passei mais de três décadas discutindo os mais variados assuntos com literalmente dezenas de milhares de pessoas e sobram dedos em uma mão para contar o número de pessoas que eu já vi mudarem de idéia por mais que eu tenha gasto horas, dias, semanas, meses ou anos explicando alguma coisa.

Eu já tentei de tudo. Mudei o tom. Mudei o modo de explanar. Mudei a abordagem. Mudei tudo o que podia mudar, menos a firme decisão de ser intelectualmente honesto e coerente.

Não fez, não faz e finalmente percebi que não fará jamais diferença alguma explicar o que quer que seja deste ou daquele modo, demonstrar algo detalhadamente e de modo impecavelmente lógico, mostrar inúmeros exemplos, apontar as mais gritantes contradições, dar nó em pingo d’água.

Salvo raras e honrosas exceções, ninguém muda de opinião, mesmo nos casos em que fica absolutamente evidente que sua opinião é obviamente incompatível com os fatos, ilógica, irracional, indefensável e insustentável.

Então, para que discutir política e economia com quem tem uma ideologia divergente?

Minha decisão

Da política e da economia dependem nossa segurança, nosso bem estar e a própria manutenção da vida na Terra. Portanto, nunca vou deixar de me interessar por discutir política e economia. Porém, sem tentar fazer o que já sei ser impossível.

Pelo bem da minha saúde e do meu bem estar físico, mental e social, vou assumir uma estratégia cooperativa no meu blog e na minha timeline do Facebok: só vou discutir política com quem quiser discutir como avançar políticas simultaneamente centristas, liberais e solidárias.

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 03/07/2017

Um RRR-2015 para você!

Um Resoluto, Realizador e Realista ano novo! Seu 2015 será feliz e próspero se – e somente se – você assumir as rédeas de seu destino com convicção (resoluto) e fizer o que tiver que ser feito (realizador) do jeito certo (realista) para construir a sua felicidade e a sua prosperidade. 

The-Real-R2D2
Este é o R2D2. O que tem ele a ver com o título desta postagem? Nada. É um papel de parede legal para o seu computador. 😉 (Clique na foto para abri-la em tamanho real em outra janela e fazer o download.)

Minhas resoluções de ano novo: 

Nunca mais me preocupar com as pessoas mais do que elas se preocupam consigo mesmas. 

Nunca mais tentar convencer quem quer que seja de coisa alguma. Não confia em mim? Problema seu. 

Nunca mais sacrificar minha saúde ou bem estar para não ser chato ou parecer radical. 

Ano novo, Arthur novo. A vida continua a mesma. Eu estou mudando. 

Arthur Golgo Lucas – www.arthur.bio.br – 01/01/2015 

Mudanças

Mudanças. A sina inescapável de um mundo marcado pela impermanência. Mudam as estações, mudam nossas vidas, mudam nossos destinos. Mudei eu de moradia e mudaram o blog e a página do Pensar Não Dói no Facebook. 

mandelbrot-antenn01
Mudei também de papel de parede no notebook. Este é o Conjunto de Mandelbrot, a imagem fractal mais famosa do mundo, em uma apresentação espetacular.

Continue reading “Mudanças”

O valor da precaução

Passei dois anos lapidando a configuração do meu computador até ela ficar exatamente do jeito que eu queria… E, quando eu estava realizando uma tarefa crítica de atualização do sistema, que só realizo mais ou menos uma vez a cada dois anos, deu pau no ÚNICO programa que não podia dar pau, justamente o programa que faz a atualização e os reparos no sistema.

PC DESTRUIDO
Dá vontade, mas não adianta nada…

Continue reading “O valor da precaução”

Debate versus discussão

Debate é um diálogo em que cada lado tenta compreender as idéias do outro e avaliá-las para chegar a uma conclusão bem fundamentada. Discussão são dois monólogos em que cada lado tenta impor suas idéias ao outro para chegar a uma conclusão predeterminada. Debata comigo. Vá discutir com o raio que o parta. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 28/09/2013 

Causa e conseqüência

Não nos tornamos o que queremos, mas as conseqüências do que fazemos. Não adianta querer ser magro, o seu peso será a conseqüência do balanço entre o que você ingere e o que você gasta de calorias. Não adianta querer ser rico, sua condição econômica será a conseqüência do modo como você administra sua vida financeira.  Continue reading “Causa e conseqüência”

Restabelecendo o bom senso

Se havia ainda alguma dúvida de que “senso comum” e “bom senso” não são sinônimos, a pá de cal foi uma crítica privada que recebi sobre minha proposta de como acabar com a epidemia de crack. Tudo bem ler aquele texto e me chamar de louco, achar que sou um mau analista ou até desconfiar que eu seja mal intencionado, mas ler aquilo e me chamar de irresponsável demonstra que o sujeito não sabe do que está falando. Explico.  Continue reading “Restabelecendo o bom senso”

Você é um humanista? Check-list com apenas três questões

Eu tenho visto muita gente que se diz humanista, que se organiza em torno de entidades que se dizem humanistas, ou que aponta o dedo para os outros criticando-os por não serem “verdadeiros humanistas” cometer verdadeiras barbaridades contra o humanismo. Se você se considera um humanista e pretende agir de modo coerente, então pode tirar bom proveito de uma reflexão profunda sobre os conceitos expostos neste artigo. Continue reading “Você é um humanista? Check-list com apenas três questões”