Medidas desesperadas para estabilizar o clima

Não vai acontecer. A humanidade é muito estúpida. Mas vamos supor, para efeito de mero exercício intelectual, que amanhã de manhã os sete bilhões de seres humanos finalmente se dêem conta de que este planeta é o único que temos para viver e que seu sistema de suporte de vida se encontra ameaçado devido às absurdas intervenções humanas, como as mudanças climáticas sinalizam. O que poderíamos fazer para reverter o estrago? 

Terra sufocando

Continue reading “Medidas desesperadas para estabilizar o clima”

A natureza é linda – a uma distância segura

Curtir a neve é maravilhoso – dentro de uma roupa bem quentinha. 

Acampar é delicioso – dentro de uma barraca seca e sem mosquitos. 

Viajar é ótimo – dentro de um carro confortável e climatizado. 

Caminhar é saudável – dentro de um par de tênis com amortecedores. 

Os ecochatos que me perdoem, mas tecnologia é fundamental. 

Arthur Golgo Lucas – arthur.bio.br – 23/07/2013 

Todo ecoxiita é um ecochato

Todos nós conhecemos algum ecochato. É aquele sujeito que enche o saco para você fechar a torneira da pia enquanto escova os dentes, ou que dá um discurso no churrasco da galera porque você usa sacolas descartáveis no supermercado ao invés de comprar uma durável. Mas há um tipo que representa o extremo do espectro da ecochatice: o ecoxiita.  Continue reading “Todo ecoxiita é um ecochato”

Quão rápido o mundo pode mudar? (Ou: o crescimento populacional humano e suas conseqüências)

Quando pensamos em “mudanças no mundo” em geral pensamos em mudanças rápidas no estilo de vida devido à evolução tecnológica, como a que os telefones celulares e a internet trouxeram. Mas estão acontecendo mudanças muito mais importantes devido a fatores que estão sendo criminosamente negligenciados – como o crescimento da população humana. E isso vai mudar a sua vida, queira você ou não. Pense comigo.  Continue reading “Quão rápido o mundo pode mudar? (Ou: o crescimento populacional humano e suas conseqüências)”

As sacolinhas plásticas

Então os supermercados em São Paulo deixaram de ofertar sacolinhas plásticas para os clientes carregarem suas compras supostamente devido à preocupação com o meio ambiente. Arrãm. Ontem eu estava em uma reunião com o Papai Noel e o Coelhinho da Páscoa e eles também concordavam que esta era uma importante medida de defesa do meio ambiente.  Continue reading “As sacolinhas plásticas”

A farsa do resgate de animais

Sabem aquelas operações de resgate de animais de áreas inundadas por represas? Numa única palavra: picaretagem. Deixem os bichos morrer, abram uma mini-temporada de caça ou levem-nos para jardins zoológicos, porque operações de resgate não funcionam. Elas constituem um imenso desperdício de dinheiro, produzem resultado ambiental zero ou negativo e só servem mesmo para enganar quem desconhece ecologia e manipular a opinião pública.  Continue reading “A farsa do resgate de animais”

Arrependei-vos! O fim do mundo está próximo!

O ano de 2011 foi o pior de minha vida adulta e não deixará saudade. Nunca passei tanta dificuldade financeira, nunca me senti tão sozinho, nunca me estressei tanto, nunca tive tantos problemas de saúde, nunca senti tanta dor. Decidi começar 2012 com uma nova postura, mais positiva, mais otimista, mais proativa, mais empreendedora. Porém, como hoje é o último dia de 2011, vou aproveitar para postar o artigo mais pessimista e catastrofista da história do blog. Continue reading “Arrependei-vos! O fim do mundo está próximo!”

Sou biólogo, ecologista, carnívoro e a favor da caça desportiva

Volta e meia eu vejo “ecologistas” defenderem idéias baseadas em ideologias que não somente não encontram respaldo algum na ciência como ainda produzem resultados opostos aos desejados. A idéia de “proteger os animais” através da proibição da caça desportiva é uma destas abobrinhas injustificáveis que violam tanto a lógica da ciência quanto a lógica econômica. Vamos aos fatos. Continue reading “Sou biólogo, ecologista, carnívoro e a favor da caça desportiva”

A Mãe de Todas as Tragédias

Three Mile Island. Chernobyl. Fukushima. Angra dos Reis. Eu espero já estar morto de velhice quando alguma grande agência internacional de notícias colocar estes quatro nomes em seqüência na reportagem de capa de sua página na internet, mas isso pode acontecer ainda em meu período de vida… e no seu. Continue reading “A Mãe de Todas as Tragédias”